terça-feira, 3 de julho de 2012

Matilde



Matilde estava desanimada. Sua vida profissional não ia nada bem. Ela trabalhava numa empresa que detestava. Detestava seus companheiros de trabalho, achava-os falsos demais, sempre falando pelos corredores coisas ruins de quem não estava por perto. Isso deixava Matilde furiosa! Seu patrão também não era legal. Aquele porco capitalista que só pensava em resultados, resultados, resultados! Matilde nunca o ouviu falar um obrigado... Nunca o ouviu agradecer nada. Muito pelo contrário o cara sempre queria mais e mais e mais!
Na sua vida amorosa as coisas também não iam nada bem. Matilde não firmava com namorado algum. “Os caras de hoje em dia só querem transar e depois tchau!” – Pensava Matilde com seu diário. Não tem mais homem que presta nesse mundo, só tem homem galinha e quando não é galinha é cachaceiro!
Das suas amigas, Matilde só tinha um contato razoável com Adriana. Ela era a única que suportava as reclamações de Matilde. Sobre a vida, sobre os namoros, sobre o serviço e sobre a sua família. Mesmo assim, Matilde não confiava cem por cento em Adriana, pois a viu beijando um cara que ela havia namorado a alguns anos e Adriana sabia disso. Mesmo com a Adriana explicando-lhe que já fazia muito tempo que o cara e Matilde haviam terminado e que eles só haviam namorado dois meses e que ela não sabia que isso magoaria tanto a amiga... Não adiantou. A amizade continuou, mas não era mais a mesma.
Matilde não gostava de sua família. Eles eram aproveitadores. Só vinham à casa dela se fosse pra algum almoço, e nunca trouxeram nem um guaraná! Matilde ia pouquíssimo a casa dos tios, tias, primos e primas. Seus país não a compreendiam e seu irmão... Um idiota que só pensava em trabalhar e estudar. Eles conversavam pouquíssimo.
Matilde nos últimos meses só se sentia bem quando ia ao consultório de seu psicólogo. Ela deitava no divã e falava, falava, falava e saía sempre de lá descarregada. Parece que seu ódio e repulsa ficava ali. Pelo menos pelo resto da tarde Matilde vivia feliz. Mas hoje Matilde pediu sinceridade ao seu psicólogo sobre qual era o problema do mundo que estava contra ela desse jeito!
O doutor olhou pra ela profundamente e teve a “audácia” de lhe falar que o mundo era assim mesmo e que o problema era com ela! Ah... Isso Matilde não agüentou... Jurou nunca mais ir a nenhum psicólogo... Esse tipo de gente covarde que só quer ganhar dinheiro ouvindo os problemas dos outros.

38 comentários:

  1. Oi André... conheço uma Matilde...quem não conhece?
    São pessoas tristes, amarguradas e infelizes.
    Penso que no fundo são carentes e precisam de muita paciencia.

    Sempre muito bom ler as tuas cronicas...

    bj...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Má!
      Quanto as Matildes... Elas estão por aí!

      Excluir
  2. Essa nem é chata. kkk

    ResponderExcluir
  3. Dedé, tudo bem com vocês?
    haha! Muito bom!

    O mundo é complicado, a vida é difícil mesmo, mas que tem gentinha que adora complicar ainda mais as coisas e tornar tudo ainda mais impossível: ver os problemas e nem pensar na solução. É mais prático reclamar de tudo mesmo e não olhar para si e tentar mudar-se também. Um pouco de auto-crítica é bom, o primeiro passo para tornar nossa vida mais bela.
    Essas "matildes" me cansam! :)

    Um abração para ti e um beijinho na Andréia e no Samuelzinho, não esqueci que dia 5 ele está fazendo 4 meses! Feliz 4 meses adiantado! *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Cissa!
      Vou falar pro Samuel que a tia Cissa mandou um beijinho!

      Excluir
  4. "Os maus julgadores por si julgam os outros."

    Comentar assuntos batidos é diversão, reclamar coisa de brasucas, mas julgar sentimentos é coisa de Matildes que na NET está cheio.

    Ciao Matildes

    "Anjinhos que vão pro céu, sem curva"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aclim ou assim.......by

      Excluir
    2. Aclim, hahahahahahhahaha, que chatinha! Hahahahahahhahaha.

      Excluir
  5. Caramba, fiquei preocupado agora, tirando as visitas ao psicólogo e substituindo os namorados por namoradas e o patrão por um superintendente porco capitalista, tem-se um relato da minha vida! kkkkkkkkkkkkkk Tá bom, eu reconheço, diferente dela, que em muitos dos casos o problema sou eu, mas ainda assim não deixo de sentir raiva do mundo à minha volta em diversos momentos... Sei lá, talvez isso seja mais comum do que imaginamos, ainda que não sejamos depressivos, tendemos a colocar a culpa no mundo pelas nossas derrotas e frustrações...

    http://sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/06/pulp-fiction-tempo-de-violencia.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahhahahahahahahaha se vira Brunão! Olhe a vida com outros olhos, porque ela é bela realmente. Depende de como a gente a encara!

      Um abraço amigão!

      Excluir
  6. Bom dia meu velho amiguinho !
    Vc como sempre trazendo suas crônicas...bem elaboradas que vivemos sempre dentro do contexto que apresentas.Quantas Matilde estão por ai,que conhecemos ...
    bjs e tenha um bom dia !
    Beijinhos no hominho da casa (Samuelzinho )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahhahahaha obrigado Severinha!

      Excluir
  7. De Matilde o mundo está cheio.
    A agudeza lhe faz aceitar o meio em que vives mesmo não concordando com ele.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Tiugo... Infelismente o mundo ta cheio delas! Haahahahahahahaha. Nada melhor que um calice do vinho do Lorencon pra esquecer! Hahahahahahahahahahahahaahhaha.
      Um beijão!

      Excluir
  8. Oi André,

    Pobre Matilde! Vitimismo é algo insuportável.
    As coisas não são fáceis mesmo, mas somente reclamar as torna piores.
    Quando achamos que o mundo está todo errado e que somente nós estamos certos é porque precisamos de uma bela reviravolta na vida para reaprendermos o caminho.

    Ótima sua crônica.

    Belo dia!

    Beijinho ao Samuca e abração procê.

    ResponderExcluir
  9. Nossa senhora. Que Matilde chata. Mas Dé acho que todos somos um pouco Matilde de vez em quando! O importante é saber a hora de parar de ser kkkkkkkkk
    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahhahahahahahahahha eu te conheço Camilinha, hahahhahahahahahahhahaa.

      Excluir
  10. Oi André
    Que belo texto, como sempre! Acho que cada um de nós pode identificar um pouco de si na Matilde, agora se alguém se identificar totalmente com a Matilde, aí essa pessoa está em apuros kkkkkk, ela é insuportável mesmo, é minha humilde opinião meu amigo.
    Bjão meu padrinho de blog. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua humilde opinião está corretíssima Lu!

      Excluir
  11. O mundo está cheio de "Matildes". São as pessoas que se sentem vítimas e que não olham para dentro de si. Todos falhamos, erramos e não conseguimos ser amados por todos. Mas Matilde tem um foco equivocado. Todos os seus males vêm de fora. Parece que nem o terapeuta conseguiu ficar calado (rss). Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pior é que elas nos tratam como inimigis as vezes, hahahahahahhahaha.

      Excluir
  12. A garota enxaqueca da Matilde precisa é de um homem, isso como dizem o pessoal aqui no nordeste é "queijo na cabeça", kkkkkkk. Mas gente assim tem aos montes por ai, pessoas mal resolvidas e amargas, nunca veem o lado bom das coisas, nada presta, e vivem uma vida ensossa e insípida por toda a vida.

    André, valeu pela ligação ontem, e vou ler teu texto que mandaste pra mim com o maior carinho, e fiquei feliz por estar no elenco, obrigado amigão.

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelismente tem muito mesmo Chengão! Hahahahahahahahahahaha.

      Excluir
  13. André, o texto entre outros bons exemplos nos mostra que nem todos estão preparados para ouvirem as verdades que às vezes são necessárias de serem ouvidas. Às vezes pensamos que o problema está no outro, quando na realidade está em nós mesmos. Um grande abraço amigo.

    ResponderExcluir
  14. O 'problema' é no contato entre a pessoa e o mundo.
    Há psicólogos e psicólogos.
    Mas temos que viver a mudança que queremos no mundo, em nós, enfim... nada vai mudar enquanto ficarmos parados olhando a banda passar.
    A banda precisa passar em nós.

    abraços!

    F.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse seu cometário realmente é muito verdadeiro Rebel!

      Excluir
  15. rsssssss..Essa Matilde não tinha caído a ficha ainda! Que chata !!! E lindo teu conto e há tantas Matildes por aí... abração,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Heehehehhehehehhehehe verdade Chiquinha! Elas estão por aí enchendo nosso saco! Hahahahahahahhahaha.

      Excluir
  16. Presentinho:

    Inexplicando a Loucura, o Amor e o Silêncio:
    http://www.youtube.com/watch?v=2IjIA_BihRI

    Depois fala o que achou.

    Abraços!

    Francorebel.

    ResponderExcluir
  17. por instantes, recordas-me uma tirada do filme indiana jones e a grande cruzada, quando o jovem indy, que antes estava montado no seu cavalo tendo em seu redor dezenas de outras montadas e amigos, olha em volta e percebe que está sozinho. deixa então escapar um profundo "olha, perderam-se todos menos eu" :)
    pior do que não ver é não querer ver.

    forte abraço, caro amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Jorginho... E esse é um mal que temos as vezes, não é mesmo? Quando caimos em sí...

      Excluir
  18. Nossa, adorei! Conheço "uma pá" de gente assim, que vê o mundo contra eles, mas não se tocam que ELES é que são o problema.. Texto muito bom, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E uma pá bem cheia, hahahahhahahahahaha.

      Excluir
  19. Acredito que nenhuma pessoa esteja isenta de algum momento Matilde, o que diferencia é continuar neste vitimismo ou reagir a ele.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!