terça-feira, 20 de junho de 2017

Só sei, que nada sei...






Eu fico me perguntando como é que pode ter gente intelectual, letrada, sábia e ao mesmo tempo, egocêntrica e metida. Na minha opinião uma coisa não combina com a outra!
Pra uma pessoa ser intelectual, no mínimo ela deve ser uma pessoa que lê bastante, que entende um da vida, das relações das pessoas através da história, que estudou e que se interessa pelas coisas.
Uma pessoa dessas, deve saber que nós não somos nada, que ninguém é melhor que ninguém, e que não é a sabedoria ou a quantidade de conhecimento que uma pessoa carrega dentro de sí, que lhe dá a proporção de ser mais ou menos que alguém que não sabe tanto.
Eu vejo essas reuniões de “imortais” de acadêmicos de artes e literatura, onde os membros são tratados como seres acima da média da humanidade, e que aceitam esse tratamento se achando mesmo mais importantes. Puxa... Como acho isso triste!
Acho triste, um cidadão ter certeza que é mais que o outro, que vale mais que o outro, que merece mais que o outro, acho triste, ainda mais vindo de pessoas que lutaram para absorver conhecimento, e que por isso mesmo deveriam ser semeadores de humildade, semeadores de respeito pelo próximo, de amor entre as pessoas.
Parece que para algumas pessoas, o esforço que elas fizeram para se intelectualizarem, o tempo que investiram em conhecimento e em estudo, as deixaram pessoas carentes. Pessoas que tem necessidade de mostrar que sabem mais, que são mais, que entendem mais.
Ainda bem que algumas delas acabam entendendo o sentido da vida, e aprendem realmente que o que importa é viver bem, e em comunhão com todos. Esses pra mim, são os verdadeiros intelectuais, porque aprenderam nos livros, na sala de aula e na vida. E a vida, ela ensina que hoje estamos em cima, amanhã estamos embaixo, e que a fila da morte está aí pra todo mundo, e que o próximo pode ser você.

Em uma reunião de magistrados, intelectuais de alguma academia de cultura alguém fazendo a chamada pergunta:
- Onde está o imortal da cadeira número trinta e cinco?
- Morreu! – responde outro imortal que também está na fila da morte.







quinta-feira, 15 de junho de 2017

O filho pródigo

Sei que vocês não gostam de ler textões, mas acho que essa reflexão que escrevi vale a pena.
Seus preguiçosos!!!!





A parábola bem conhecida, que Lucas narra no capítulo 15 de seu livro, dos versículos 11 a 32, fala de um homem que tinha dois filhos. Um dia, o filho mais novo, pediu para seu pai a parte que lhe cabia da herança e sumiu no mundo. Lucas fala que ele gastou seu dinheiro de forma indevida, e que chegou a passar fome, desejando comer a comida que as pessoas davam aos porcos.
Esse, “gastou o dinheiro de forma indevida”, a gente que não é bobo, entende que o rapaz deve ter gastado com a mulherada, com bebida, jogos de azar e por aí vai.
Mas um dia, depois de sofrer um pouco com as cabeçadas da vida, esse rapaz caiu em sí e voltou pra casa do pai. No caminho ele decorou um pedido de desculpas bem convincente, mas nem precisava, porque o pai, a hora que viu seu filho voltando pra casa, ficou muito feliz, e organizou uma festa de arromba! Mandou matar um novilho e fazer um churrascão, mandou também dar roupas novas pro moço, e um anel que significava que o menino era seu filho e portanto, patrão.
O filho mais velho, quando viu o furdunço, a música, a festança, ficou com muita raiva e foi conversar com seu pai:
- Pai, - disse ele – eu trabalho pra caramba, nunca te traí, nunca fiz nada de errado e o senhor nunca me deu nem um bezerrinho pra eu fazer uma festinha com meus amigos, mas esse seu filho problemático volta do nada, e o senhor faz uma festa dessas!
- Meu filho, - respondeu o pai, entendendo a braveza de seu filho – você sempre esteve comigo, tudo que é meu é seu, você não pegou esse bezerro e não fez essa festa porque não quis, mas agora, nesse momento, eu estou feliz, porque seu irmão que estava perdido voltou!
Bom, essa aí, praticamente, é a parábola que Jesus contou e que foi narrada por Lucas. Acontece que durante esses dois mil e tantos anos, alguns teólogos dizem que essa parábola fala sobre o arrependimento e a volta pra casa, espelhada pela figura filho pródigo, e outros teólogos falam que na verdade a parábola fala de pessoas que são filhas e não desfrutam do reino de Deus, espelhada na figura do filho mais velho.
Hoje, feriado, eu estava fazendo o almoço, e pensando na minha vida e na vida do meu filho Samuel, que ainda tem 5 anos, e tentando imaginar como ele vai estar daqui a alguns anos, e de repente essa parábola me veio à mente e eu me liguei que essa parábola pode também estar falando em outra situação, que não sei se alguém já olhou por esse lado. Então pra começar a nossa curta reflexão, eu vou fazer duas perguntas, e você que é inteligente, “eu acho”, já vai sacar onde eu quero chegar.
 - Como anda o relacionamento seu com seus filhos?
- Você é o melhor amigo dos seus filhos?
Me parece, lendo e relendo a parábola, que o pai em questão amava verdadeiramente seus filhos, que ele se preocupava com eles, e que, pela alegria que ele demonstrou na volta do filho rebelde, que ele também era um pai compreensivo.
Mas, apesar dessas qualidades, ele tinha umas falhas, que a gente percebe em uma leitura mais atenta, e que são falhas corriqueiras nas nossas casas, e nas nossas famílias de hoje em dia.
Um dos filhos, não estava contente vivendo na casa do pai, pediu sua parte da herança e partiu. Oras! Mas a casa do nosso pai, não deveria ser a melhor casa do mundo? Nosso pai não deveria ser o nosso maior amigo? A gente, não deve fazer o esforço de ser o melhor amigo de nossos filhos? Ainda mais nesse mundo maligno, onde existe uma má companhia em cada esquina, querendo sugar a vida de nossos filhos?
O pai da parábola não parece tão amigo dos filhos. Ele deveria ser aquele pai, que ama os filhos, e que acha que trabalhando muito, e dando tudo de bom e do melhor para o filhos, boas roupas, brinquedos, vídeo game, escola particular, aula de inglês, judô, natação, chocolate, danone, salgadinho e bicicleta com quadro de alumínio, já está bom! Ele deveria ser daqueles pais, que nunca sentou com o filho, nunca acariciou, nunca abraçou, nunca perguntou como foi o dia do filho e se o filho já está olhando diferente pra alguma menininha. Nunca perguntou como está o coração do filho, qual são as ideias do filho, e por fim, nunca disse ao filho: - Pode contar comigo! Eu sou seu melhor amigo!
O pai da parábola, foi inconsequente quando deu metade da herança pra um filho descabeceado, e o deixou partir pelo mundo com todo dinheiro, correndo até risco de morte. Um pai de verdade deveria conhecer o filho. Deveria saber que seu filho não estava preparado para fazer o que fez, e não poderia deixar isso acontecer.
Mas a parte do texto que mais demonstra que esse pai, apesar de amar seus filhos, não era um pai amoroso, é a resposta que ele dá ao filho mais velho, quando esse reclama que sempre foi um bom filho, e nem um bezerrinho o pai o deu pra fazer uma festinha com a galera.
O pai responde: - Meu filho, você está sempre comigo, e tudo o que tenho é seu!
Olha que absurdo! O menino se sentia um escravo do pai, um serviçal, ele não se sentia dono de tudo como o pai falou, “tudo o que tenho é seu”, e sabe por que? Porque o pai nunca disse nada disso ao filho. Nunca agiu com amizade, nunca sentou com o filho e disse que ele estava alí para segurar qualquer bronca! Nunca disse ao filho, que tudo o que era dele, também era do filho. Eles não eram amigos de verdade. O pai era um provedor na casa, e as provisões, para ele, eram a forma de demonstrar amor.
O filho por sua vez, demonstrou carência afetiva, tanto na revolta contra o irmão mais velho, quanto na revolta com o pai.
Amigos, dar tudo de bom e de melhor para nossa família é uma coisa boa, mas dar carinho, amizade verdadeira, amor e companheirismo, isso é melhor que qualquer bem. Porque os bens acabam, mas o amor de pai e filho, de marido e mulher, de família unida, esse amor dura para sempre.
Então, pra terminar a nossa reflexão, eu volto a fazer aquelas duas perguntas:
- Como anda o relacionamento seu com seus filhos?
- Você é o melhor amigo dos seus filhos?
A Bíblia é rica e viva! Um mesmo texto pode falar com a gente de diversas maneiras, e esse texto, tão batido e conhecido, hoje falou comigo dessa maneira.
Pense nisso!







segunda-feira, 5 de junho de 2017

Star Wars






Vou escrever uma postagem controversa aqui. Alguns vão elogiar e outros vão me excomungar, mas fazer o quê? Vida de blogueiro é essa mesmo.
Vamos lá: 1... 2... 3!
Eu não achei graça nenhuma na saga Star Wars!
Um amigo insistiu para que eu assistisse e disse que eu iria me apaixonar! Eu já assisti a seis filmes e até agora a paixão não veio.
Filmes toscos, com efeitos toscos, com personagens toscos, com enredo pobre, e sequencias que não nos fazem pensar em nada. Historinhas tatibitati, onde arrumam um problemão que parece irresolvível e de repente, póf! Tudo se resolve sem esforço nenhum.
Bom... Pelo menos o mundo criado pelo George Lucas é legal. Com vários mundos e planetas, e um reino querendo subjugar o outro e fazer um governo interplanetário, mas tirando isso... Me desculpem, mas não me apeteceu...
Até o Darth Vader que me botava medo quando eu era criança, agora assistindo eu ví que ele é um bandidinho pé rapado.
Vou continuar a assistir até o final da saga, afinal, tem dias que a gente quer mesmo assistir um filme B, que não nos faça pensar em nada e que sirva só pra entretenimento.
Por favor, não me batam demais, porque eu posso usar meu poder Jedi contra vocês, e aí, vou mandar todos para o lado negro da força!




sexta-feira, 19 de maio de 2017

Temeridades






Vou ser sincero aqui!
Não gosto do Temer como político, não gosto do Temer como pessoa, até porque ele tem o nome fortemente ligado ao satanismo e eu sou cristão.
Tenho que dar o braço a torcer que nesse momento o Brasil estava passando por uma leve melhora. A economia estava reagindo e o índice de desemprego baixando.
Bom, dizendo isso, agora vou comentar os acontecimentos de hoje:
Eu confesso que fiquei esperando o tal do áudio que a Globo estava prometendo, como se ele fosse uma bomba atômica que destruiria o Temer, o PMDB, a Dilma, o Lula e o PT e que mandasse a todos pros quinto dos infernos, mas, não foi isso que aconteceu.
O áudio é fraquinho, não é conclusivo, e qualquer advogado de meia pataca vai ganhar a causa pro lado do Temer.
A Globo deu uma força enorme para esse áudio, e as pessoas que geralmente tem preguiça de pensar, entraram de cabeça e decretaram o impeachment sem nem pensar.
Vou dar umas alternativas pra gente começar a pensar e tentar enxergar além das entrelinhas:
1- O JBS cresceu e conseguiu dinheiro do BNDS no governo de quem?
2- O tal Joeslei insistiu várias vezes numa conversa com Temer e quando conseguiu gravou um áudio que ele claramente leva a conversa pra onde quer. Isso é do interesse de quem?
3- As falas do Temer foram conclusivas?
4- A quem interessa o desmantelamento do governo agora? Será que um novo presidente eleito indiretamente não respingaria na continuidade das investigações da lava-jato?
Bom... Tudo está ainda no mundo das suposições e no exercício de pensamentos, mas acho que a gente não pode concordar com tudo, sem pensar e sem apurar verdadeiramente os fatos.
Tem que investigar o Temer, o Aécio, tem que provar, e aí sim, prender, e caçar os direitos políticos. Mas por enquanto, o que foi mostrado não é nada, e só serve pro jornal Nacional durar três horas e dar IBOPE de 99%.
Pensem nisso!







terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Marcel vs DC



Olá amigos!
Ainda estou na correria, mas uma correria produtiva!
Aqui vai o nosso segundo programa que foi ao ar pela TB Barretos e que agora está no Youtube.
O tema é a rivalidade que existe pelos amantes dos quadrinhos e filmes de super heróis.
A Marvel comics editora que criou Homem Aranha,Thor, Hulk, Capitão américa, X-Men, Os Vingadores, de um lado, e a DC comics que criou o Super Homem, o Batman, o Aquaman, a mulher Maravilha, Lanterna verde; do outro.
Essa briga é uma boa briga, e promete não acabar nunca!

Espero que curtam o programa.

Um abraço a todos, e fiquem com Deus!