segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Deskarmificar!







Eu estava pesquisando sobre karma, e descobri, que ele é como se fosse uma dívida que você tem com alguém desde uma hipotética outra encarnação.
Tipo assim: Você saiu com a mulher do cara lá na Idade Média, o cara passou a vida tentando te matar e não conseguiu, aí, ele vai te perseguir até os confins das vidas querendo te pegar.
Acontece que você nasce depois de 300 em outra hipotética reencarnação. O cara vai dar um jeito de nascer seu irmão, ou seu filho, ou um parente próximo, e se não conseguir essa parentela, ele pode ser até a sua mulher!
Ai meu chapa, pode esperar vários chifres na cabeça! Porque ela vai te trair com o padeiro, com o ferreiro, com o padre, com o seu irmão, seu primo, seu pai... Você tá ferrado!
Mas vamos supor que você se sinta traído, com uma raiva monstra dessa sua esposa malandra, aí você mate ela e depois se mate com um tiro na cabeça.
Ixi... Aí a coisa vai piorar muito! Sabe o que pode acontecer? Pode acontecer que você nasça com problemas mentais, porque se deu um tiro na cabeça, e que você ainda seja filho da mulher que você matou 300 anos atrás! Ela vai te amar porque é sua mãe e também vai te odiar porque você é o mesmo filha da puta que vem brigando com ela a 600 anos!
Rapaz, a treta é feia e só vai aumentando, aumentando, aumentando, até que você e esse seu inimigo íntimo consigam verdadeiramente se perdoar.
Bom... Eu como sou cristão, não posso acreditar em reencarnação, apesar de estudar essas teorias e possibilidades. Por isso, eu procuro deskarmificar minha vida, e resolver meus problemas aqui mesmo, sem levar mágoas e nem desavenças para o futuro. Eu não queria morrer cheio de inimigos querendo furar meus “zóios.”
Acho que tentar viver leve ajuda, nessa encarnação, que pra mim é a única, e nas encarnações futuras, de outras pessoas que acreditam.
Seja você cristão, budista, espírita ou seja lá o que for, acho que o certo é: Deskarmificar? Ou seja; não levar inimigos para o túmulo! Viver bem e feliz, é a solução! Pra toda(s) vida(s).




segunda-feira, 14 de janeiro de 2019







Os amigos que são mais antigos aqui no blog, conhecem uma personagem de muitas crônicas, mas que na verdade era bem real: A Frida, minha cachorra.
Infelizmente para os fãs da meninona, eu tenho que informar a todos que ela morreu dia 21 do mês passado.
Ela era mestiça; o pai era Dog Alemão e a mãe era Fila, por isso ela herdou a docilidade e companheirismo do Fila, e o medo até da própria sombra do Dog Alemão.
Eu estive pensando e acho que ela era mestiça de anjo também, ou mestiça de uma pessoa tão boa e feliz com a vida, que dá até vergonha de alguns dias, em que passei por ela sem ao menos fazer um cafuné, e quando me dei conta disso, ao virar para trás e encará-la, eu era presenteado com um ser me olhando apaixonadamente, com o rabo mais balançante do mundo, que parecia me entender e me perdoar no mesmo instante em que eu não lhe dei atenção.
Foram 13 anos de muito carinho, e só agora, nós aqui em casa estamos saindo desse luto, que muitas pessoas não conseguem entender e as vezes até caçoam.
Mas isso não importa pra gente, não importa pra minha família, pra gente, o que importa são as lembranças que a Frida deixou.
Vou contar uma coisa pra vocês: Se eu for um ser humano, tão bom quanto a Frida foi um cachorro, no dia em que eu for embora, vou feliz, porque com certeza vou ter cumprido meu papel aqui na Terra.






quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Visita renovadora







Eu resolvi parar com o blog novamente, mas depois de umas férias e de ver algumas coisas interessantes eu resolvi continuar.
Eu fui visitar o museu da xilogravura em Campos do Jordão e fiquei impressionado com esse pedaço da história que eu não conhecia.
Gente que ao passar dos anos, décadas e até séculos criaram arte, apenas pela arte. Pessoas que tinham um dom, e que por isso queriam apenas se comunicar, mostrar suas criações e embelezar o dia do próximo, muitas vezes sem ganhar nada em troca.





Vou contar um segredo: Quando a gente escreve, na verdade, a gente queria mesmo que o mundo todo tivesse vontade de ler as nossas coisas. Mas não é assim. Mesmo os amigos, mesmo os parentes próximos, mesmo pessoas que admiramos... Muitas vezes, digo, na grande maioria das vezes, essas pessoas não estão nem aí para o que a gente escreve.





Uma vez eu dei um livro meu de presente para uma pessoa que tenho grande carinho, ele não leu, emprestou para um amigo avaliar e dependendo da nota que esse amigo desse, ai sim, ele iria pensar se leria o livro ou não.
Depois de um tempo ele me falou que o amigo gostou, mas disse que já tinha lido melhores, e por isso ele não leu.
Essas são as pedras que atiram na gente durante o caminho, mas sabem de uma coisa? Eu resolvi não ligar mais pra essas pedras, porque, por outro lado, algumas pessoas que a gente nem conhece, ou talvez até conheça, mas que a gente não tem tanta amizade assim, acabam lendo os nossos escritos, e gostam, e além de gostar eles incentivam e as vezes até se tornam fãs do que a gente escreve, gratuitamente e sem nenhum interesse.





Vou escrever sem esperar nada em troca. Vou escrever e se esses escritos alcançarem alguém e contribuir para um dia feliz, pra mim, mesmo que eu não receba nenhum obrigado, já vai estar valendo a pena.





Alguns artistas xilógrafos fizeram cem anos depois o meu dia muito mais feliz e reflexivo. Eles nunca vão saber disso, mas pra mim, eles valeram a pena, suas obras valeram a pena, e a visita ás suas obras no museu, valeu muito, muito, muito.





sábado, 15 de dezembro de 2018

Engrenagens







O Trump está preocupado com a construção do muro, e eu aqui preocupado com a conta de agua.
O Marcos Pontes está preocupado com o foguete brasileiro, e eu aqui preocupado com a Frida minha cachorra que já está bem velhinha.
O Robert Downey está preocupado, pensando se continua ou não sendo o Homem de Ferro nos filmes da Marvel, e eu aqui preocupado em ser um pai presente para o Samuel.
O Papa está preocupado com a ascensão dos evangélicos, e eu aqui preocupado para que Deus abençoe o dia de minha família.
O Bolsonaro está preocupado em formar um bom ministério, e eu aqui preocupado em trocar o amortecedor do carro.
O Haddad está preocupado em tirar o Lula da cadeia antes do natal, e eu aqui preocupado com o preço do panetone.
O Emmanuel Macron está preocupado com o meio ambiente, e eu aqui preocupado em podar as arvores da calçada, porque elas estão sujando a rua toda.
O Messi está preocupado em ser ainda o melhor jogador do ano, e eu aqui preocupado em acabar de escrever mais um livro, que talvez eu consiga publicar um dia.
O Willian Bonner está preocupado porque o Jornal da Globo caiu 1% no IBOPE, e eu preocupado com a lasanha no forno.
A girafa está preocupada em comer as folhas mais macias da copa das arvores e a formiga está preocupada em estocar migalhinhas para o inverno.
Alguns são girafas, outros formiga, mas mesmo em mundos diferentes dentro do mesmo mundo, todos fazem a engrenagem girar.

Olá amigos:
Eu estou publicando no site de leitura gratuita chamado Luvbook, o meu primeiro livro: “Você vai saber por quê.”
Quem não leu o livro físico, que está momentaneamente esgotado, pode clicar no link abaixo e começar a ler.


 Um abração!



sábado, 8 de dezembro de 2018

Postagem sem título





Soltaram um fuxico de que o filho do Bolsonaro e a esposa do Bolsonaro estariam envolvidos em transações financeiras esquisitas, de um tal de Queiróz, antigo assessor do Flávio Bolsonaro.
Pronto! – pensei eu. – Lá se vai meu voto pro lixo mais uma vez!
Mas ainda bem que o presidente explicou, (pelo menos por enquanto), o que foi que aconteceu e porque alguns cheques desse Queiróz foram parar na conta de sua esposa.
Eita Brasil! Aqui a coisa é difícil. Uns querem roubar e outros querem atrapalhar quem não quer roubar...

Mudando de assunto, eu ando meio sem motivação para escrever no blogue, e isso está se refletindo nas visualizações. Tive 50 visualizações e apenas 1 comentário na última!
Me perdoem, mas espero que em breve volte a escrever naturalmente e a visitar os blogues de vocês.

Elvira! Minha comentarista solitária da última postagem: Eu te amo!!!!!

Mudando de assunto 2, eu estou publicando meu livro no site Luvbook, que é um site onde você pode ler muitos livros, gratuitamente. Apareçam lá, o link está abaixo:

Um abraço a todos!