terça-feira, 22 de maio de 2012

A face real



Anderson estudou do primário até a sexta série com Paulinho. Os dois moravam na mesma rua e eram amigos inseparáveis. Anderson se formou em medicina e Paulinho trabalha como mecânico em uma oficina. Hoje os dois se encontraram num dos corredores do supermercado, Paulinho ficou muito feliz e Anderson passou por ele fazendo de conta que não o havia visto. Paulinho não entendeu...
Carla era amiga de Rebeca e Ana Luisa, elas fizeram balé, catecismo, teatro e inglês juntas. Viviam se reunindo para ir ao shoping passear, eram grandes amigas. Carla se tornou uma grande atriz de cinema e novela, Rebeca trabalha de secretária e Ana Luisa tem um pequeno box numa galeria onde vende tranqueiras importadas made in China. Hoje elas se encontraram num salão de cabeleireiro. Enquanto Rebeca e Ana Luisa se abraçaram felizes e ficaram muito felizes ao ver Carla, ela foi para uma sala privada do salão e fez de conta que não conhecia nenhuma das duas. Rebeca e Ana Luisa não entenderam.
Antonia era babá de Alfredo, cuidou dele desde o nascimento até quando ele completou treze anos. Ela era uma verdadeira mãe pra ele, pois a mãe biológica trabalhava o dia todo e era Antonia quem dava carinho, atenção e educação. Alfredo tem uma rede de restaurantes, e Antonia aposentada, passa a vida com seu marido em sua casa, cuidando dos netos. Hoje Alfredo saiu de um de seus restaurantes e Antonia estava em frente esperando o ônibus no ponto, ela o viu saindo e ficou feliz em vê-lo, Alfredo a reconheceu e saindo com seu carro, levantou os vidros com insufilme fumê passando por ela sem nem falar um olá. Antonia não entendeu.
Jânio começou a trabalhar desde menino na loja de seu Valter, foi seu primeiro emprego. Foi na loja de seu Valter que Jânio aprendeu a ter responsabilidade e a arte que é ser um vendedor. Seu Valter era muito generoso e ajudou Jânio a pagar sua faculdade e quando ele saiu para trabalhar numa grande indústria como gerente administrativo, Seu Valter acertou todos os seus direitos e ainda deu-lhe uma gratificação pelos anos em que o menino fora tão fiel em vestir a camisa da sua lojinha. Hoje os dois vinham pela mesma calçada, Seu Valter ficou feliz em ver Jânio de terno e gravata vindo em sua direção, ainda lembrou-se daquele menino pobre que um dia ele acolhera e ensinara tudo o que sabia na sua loja. Jânio a poucos metros de Seu Valter, olhou pra ele como se olhasse uma paisagem e atravessou a rua, virando a cara como se não o tivesse reconhecido. Seu Valter não entendeu...
Paulinho, Rebeca, Ana Luisa, dona Antonia e Seu Valter não conseguiram entender, porque eles durante todo o relacionamento que tiveram com seus amigos, sempre foram sinceros e nunca usaram máscaras. Seus corações eram puros, e eles não entendiam como uma pessoa poderia ter mudado tanto com o passar dos anos. O que eles não sabiam, é que essas pessoas que hoje os ignoraram, na verdade não mudaram nada... Apenas não haviam tido a chance "até hoje" de mostrarem quem eles eram de verdade.
Por isso eles ficaram tristes, por isso eles ficaram sem entender. Afinal eles gostavam dos amigos e possivelmente ainda vão continuar gostando, pois em suas mentes as lembranças dos velhos tempos ainda estavam vivas.


35 comentários:

  1. Bah, senti uma certa "raiva" nesse conto. Ou será que é impressão minha?!

    Parece que estava expondo alguma mágoa do autor, e foi colocado para fora intensamente.

    Eu acredito muito daquela frase: "Quer saber o caráter de uma pessoa, dá poder a ela".

    As pessoas dançam conforme a música. O maior princípio da sociedade é não ter princípio. Somos como camaleões, trocamos de cor conforme nos convém. Eu não me surpreendo mais com esse tipo de mudanças, ou quando a máscara cai. Acho que com o tempo vamos aprendendo a nos blindar ou ficar mais reticentes no quesito "confiar".

    Abss!


    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahhaa Jim, sabe que esse assunto do texto realmente me irrita muito. Talvez seja isso que vc notou!

      Excluir
  2. Oi André
    Caramba, eu ia usar a frase que o Jim usou acima, é uma máxima, eu vejo isso o tempo todo no Fórum, a pessoa é uma coisa, quando se torna chefe, muda completamente, tem exceções, é claro, mas a maioria muda, como os personagens que vc citou. Meu filho está estudando música, e já ficou "famosinho" com 11 anos, já saiu deu entrevista até na afiliada da Rede Globo, tem tudo para ser um grande músico, eu sempre falo prá ele, acho que sou até chata, nunca perca a humildade. Se realmente vc chegar lá, nunca se esqueça de onde vc saiu, se ele mudar, vai ser pela cabeça dele, e ele vai sofrer as consequências, porque tudo que a gente planta a gente colhe. Muito bom o texto mais uma vez.
    Bjos padrinho e um ótimo resto de semana.
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei que vc não vai deixar seu filho mudar e se comportar como uma estrela. Você é uma pessoa huminde e legal!

      Excluir
  3. É ,André!!Que pena que assim seja e aconteça tntas vezes! mas sabes do que mais? Um pé na bunda dos que ignoram por se achar mais e mais do que os outros, esquecendo que o que fazem quando estão à sós no banheiro é igualzinho,rsrs


    Fico p da cara com isso! mas, é a vida e o melhor é fazer o que fazemos no banheiro ( nº 2)pra eles,rsrs abração,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahhahahahhahaahaha olha a Chiquinha braba! Hahahahahahahha, valeu Chica!

      Excluir
  4. Existem três classes de ingratos: os que silenciam diante do favor; os que o cobram e os que se vingam.
    Não sei de quem é esta frase porém penso que cabe no assunto de seu belo texto.

    Só para provocar hahaha.

    (Sei que não é este o caso em questão.)
    No entanto existe o lado oposto da moeda, e a sabedoria de quem necessita - 'Muitas vezes é melhor não aceitar ajuda do que aceitar de alguém que pode transforma-lo em escravo até da consciência por longos anos de sua vida'.Por isso o outro ditado ou proverbio 'sei lá' Que sua mão esquerda não saiba o que a direita doou.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comentário muito real Tiugo! Verdade!

      Excluir
  5. falou tudo! infelizmente tem gente que é assim...

    ResponderExcluir
  6. Oi André,
    Estive por aqui para saber das novidades!
    Gostei muito desse texto, além de muito bem escrito conota a pouca importância que alguns dão à amizade, escondendo o verdadeiro caráter... Lamentavelmente, você está certo! E como dizia Noel Rosa: “O dia do benefício é a véspera da ingratidão”.
    Se tiver um “tempinho” passa lá no meu.
    Um abraço e parabéns!
    http://vendedordeilusao.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou passar lá depois! Obrigado por sempre aparecer por aqui!

      Excluir
  7. Dedé, meu amigão!
    E não é mesmo que nossos textos tem a ver um com o outro?
    Pois nos dois falamos em consideração.
    Aqui casos como neste teu... xiiii... como existem! E também o oposto, que foi o que mais aconteceu comigo. Pessoas que nem ligavam para mim e minha família, hoje em dia, bajulando, e até pedindo 'amizade' no face hahaha! Sabe o que faço? Aceito e ainda digo para seguirem o blog haha!
    É a vida, e as pessoas pensam da gente o que querem pensar. Se você viaja, tem sua casinha, seu carrinho, ahhh... tá bem de vida! Então começam as bajulações, mas ninguém sabe que para tudo isso, já fiquei algumas noites sem dormir, e durmo muito pouco para honrar todos compromissos.
    Enquanto os fofoqueiros dormem, eu escrevo e/ou trabalho, assim como fiz estudando para ter uma profissão, mas isso ninguém vê.

    Excelente texto, amigo! Gente boa você!

    Abração para vocês e um beijinho especial no Samuelzinho! *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existe mesmo esse lado da moeda Cissa, mas eu tenho certesa que vc não mudou com os velhos amigos porque melhorou de situação. Quanto a esses novos que agora querem te puxar o saco, deixem que puxem... Mas com cuidado!

      Excluir
  8. Ola André!

    Caramba, deu para sentir a intensidade das palavras e um certo tom mais incisivo! Viajei?
    Sabe, é só questão de tempo para as máscaras caírem, pois ninguém consegue viver mascarado o tempo todo. Frequentemente isso acontece quando as pessoas deixam com que o dinheiro controle sua vida e todas as suas ações.

    E onde está a gratidão dessas pessoas? a amizade? o respeito pelo próprio passado? Sinceramente tais pessoas são frias e vazias e de uma maneira ou outra terão que aprender na faculdade da vida que não se pode ser assim.

    Palpite campeão! Não vale colar, rsrsrsr...

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. * Esquece o "Palpite campeão! Não vale colar, rsrsrsrs..." e que sem querer acabei dando ctrl+v no lugar errado.

      Abraços.

      Abraços, Flávio.
      --> Blog Telinha Crítica <--

      Excluir
    2. Falou tudo Flavão! A faculdade da vida vai lhes ensinar!

      Excluir
  9. André..esta foi umas das cronicas suas que mais gostei!Parabéns!!
    Quantas pessoas são assim?
    Felizes daquelas que apesar dos desafetos e decepções ainda se mantém puras.

    Um beijo na familia toda!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Má! Obrigado minha amiga!

      Excluir
  10. Tem pessoas que se pudesse eu nem via, mas não que não goste delas, mas é que elas às vezes representam um passado que não vale a pena ficar lembrando, personificado nelas.

    ResponderExcluir
  11. Um excelente e pertinente texto. Nos meus quase 65 anos não calcula quantos Janios, Carlas e Andersons eu tenho encontrado. Mas graças a Deus tenho encontrado também o contrário.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda bem que muitos "ao contrario" também existem né Elvira?

      Excluir
  12. Oi amigo,

    Tudo bem? Adorei a sua crônica e muito mesmo. Para mim foi uma das melhores que li. No domingo fiz um texto sobre vingança que foi inspirada em uma situação semelhante as que você relatou, só que a indiferença de uma pessoa levou a uma vingança sem razão. Não descrevi isso no texto, mas penso que a indiferença é sempre a melhor razão, pois o outro é quem perde, não evolui ou mesmo entra no fim do túnel. Gratidão é para quem tem sabedoria, amor e Deus no croação.

    Um beijo em ti, esposa e Samuca.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Lú... Vindo de vc é um grande elogio!

      Excluir
  13. Convivemos, por toda a vida, com situações semelhantes. No campo jurídico, muitas vezes, aqueles que fazem opção para a magistratura, sentem-se superiores aos antigos amigos, com quem cursaram a faculdade e dividiram muitas angústias, profissionais e pessoais. Mas há os que nunca mudam. E estão de braços abertos, a cada possibilidade de relembrar os velhos tempos. Cabe-nos, tão somente, valorizar os amigos reais. Os outros, apenas passaram por nós.

    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sentir-se superior é o primeiro sintoma da queda! Obrigado por aparecer Mary!

      Excluir
  14. Não entenderam? É só mudar os persogens que eles entenderão certinho o que o dinheiro faz com as pessoas, todas sem excessão.

    Não existe anjinho contando notas...rs

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é bem assim... Tm gente que não muda. Você mudaria?

      Excluir
  15. Isso se chama prepotência... arrogância... falta de humildade... tudo isso colocado junto, André!

    É uma pena vermos como as pessoas se transformam! Tem um ditado que diz "se quiser mesmo conhecer alguém, de-lhe poder"! Nessas horas as mascaras caem... digo, quem tem bom carater, continuará. Já quem não tem, vai se mostrar tal qual é, só que sem as mascaras!

    Inté JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o pior é que esse dirado gunciona na maioria das vezes!

      Excluir
  16. andré, meu bom amigo,
    as tuas crónicas são fantásticas, porque não se fazem de palavras, mas de pedaços de vida que colecionas com as próprias mãos, tornando-os teus, nossos - porque as lemos, por vezes, dada a crueldade das situações, não sem escondermos algum incómodo quando não mesmo indignação. esta aqui é de uma realismo assoberbado. quem não conhece, por experiência própria ou próxima alguns jânios, alfredos oucarlas deste mundo?
    um abraço para ti e família!

    p.s. pena aquele projeto não avançar, mas quem sabe no futuro até o tornamos possível? seria um prazer enorme.

    ResponderExcluir
  17. André meu querido, essa crônica é um retrato fiel da realidade que envolve as relações humanas num todo. Excelente, meu querido!

    ResponderExcluir
  18. Olá André,

    Há pessoas que se julgam superiores apenas porque se deram bem na vida. São orgulhosas e vaidosas, a ponto de ignorarem aqueles com os quais dividiram importantes momentos na vida. Essas pessoas não tem princípios ou caráter e jamais alimentarão uma amizade real e sincera. Pobre delas! Colherão o que plantam. Aprenderão com a vida a ter humildade e a dar valor ao que realmente
    possui valor.

    Bela crônica.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  19. Esse teu texto ficou fantástico!
    Já disse que sou tua fã né?! Tenho orgulho de trabalhar com vc! :)
    Já te disse e repito, esse teu jeito de transformar as coisas cotidianas em histórias é maravilhoso!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!