quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Vozes periféricas


E aí irmão? Tubo beleza? Tamo junto aí tá ligado?
Se piá algum pobrema aí é só falá cum nóis qui nóis tá na área e si relá ni nóis é penalti irmão, i si fô penalti aí fudeu mano, a casa cai... Cê si ligô maluco?
Vô falá uma realidade pocê agora aqui mano. As autoridade tá de brincadêra cum nóis aí maluco. Os hômi num qué deixá nóis vendê os produto dos Paraguai aqui na nossa comunidade. Eles tão falano qui nóis é ligado c'os tráfico, mais nóis num semo não irmão! Nóis vende é produtos diferente. Nóis vende cd e dvd e umas calça di marca. Nossas marca é igual as dos bacana e nossos dvd é igual das locadora, só qui nóis consegue antes deles chegá nas loja e nos cinema tá ligado? Isso dêxa os home maluco cum nóis. Os patrão tão de bronquinha ca gente e tão jogando os homi em cima di nóis véio. Os homi não tão dexano nóis fazê as correria. Depois os mano comerciante alternativo daqui vira tudo ladrão e as autoridade vão falá qui não tem culpa di nada mano. Mas como qui não tem culpa? As autoridade só lembra di nóis na época das eleição, tá ligado? Vem os bacana aqui, pega as criancinha, dá bejim nas criancinha, pága pipoca pros mano, pága docinho pras mina, pága umas garrafa di pinga pros sinhô alcólatra, i depois di eleito os cara vira fumaça. Nunca mais aparece na comunidade até a otra eleição. Ai eu te pergunto irmão, i as obras social qui os dotor prometeu pra nóis? I as escola boa, i as oportunidade que eles fala nos palanque? Os cara num presta irmão, é tudo uma cambada de hipócrita véio, i u pior é qui na otra eleição os mêmo dotor aparece aqui cas mesma cara de anjinho beijano as criancinha di novo. Ê véio, e o pior é qui nóis entra na deles di novo e vóta nos mesmo ladrão.
As criancinha lá de casa tá chorano quereno leite. Onde é qui eu vô arrumá leite si eu não vendê os produto dos Paraguai e num fazê as correria? Explica pra mim aí irmão?
Os patrão num mi contrata pra nada purque eu nem sei falá qui nem os bacana, eu só sei cunversá errado em cum as gíria no meio, mas eu aprendi assim mano. Nas rua a gente aprendi assim... Mas eu num sô ladrão mano, sô genti boa e trabalhador irmão. Quando os patrão aperta nossos comercio eu vô catá latinha, vô catá papelão, vô trabalhá di serventi di pedrero, eu dô meus pulo irmão. Mais nunca me envolvi c'os tráfico tá ligado? E tem mais um monte de irmão aqui que também nunca se envolveu. Mas os bacana põe nóis tudo na mesma panela e acha qui nóis é tudo maloquero, só porque nóis num sabe lê, num sabe falá direito e porque nóis é feio... Mas se liga aí irmão, no meio dos feio também tem gente boa. Tá faltano é os dotor das eleição dá uma ajudinha pra nóis... Se num fô pra nóis pelo menos pras criancinha que vem vino aí tá ligado? Quem sabe as próxima geração acaba melhorano aqui na comunidade.
Agora vô sai aí irmão, tenho qui vendê uns produto aí e fazê minhas correria qui dinhêro tá difícil tá ligado? Falô mano, tamo junto aí! Se piá algum pobrema aí é só falá cum nóis, nóis é feio mais é gente boa, e já te falei maluco, nóis tá na área e si relá ni nóis é penalti!

25 comentários:

  1. Eles num deixa vendê as muambaa, mas tamem num dá condição de trabalho, mano! E o pobrema só cresce, mano! E a fome aperta, mano! Falô? Tamo ligado na realidade, mano!

    Triste realidade, AndreZinho... triste realidade!!!

    bjkssss

    ResponderExcluir
  2. tamu junto mermão!!!rs...Linda crônica, mais uma!!! abraços,chica

    ResponderExcluir
  3. Queridíssimo,

    Essa linguagem é a do povo e vale uma resposta: tamos junto mano e num tem jeito não todo lugar, merma conversa de enganar os trouxas.Só tem uma forma de mudar, tá ligado, se pensar que em outubro oi nos di novo.

    Maravilha!

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  4. O pobrema véi, ñ eh o que tu faz com tua vida, mas com a dos outros, sacou. Se liga ai que os doutô se liga lá. Simples assim.

    Quem quer cheirar giz e dizer que tá doidão, pobrema dele, quer vender, probrema teu, é só se ligar na tua e ficar de boa.

    Abrçs

    ResponderExcluir
  5. Emilia Vaz29.2.12

    Pois é,tamos aí em eleição de novo.Tomara que os manos e as minas,estejam todos ligados em quem vão votar,e se lembrem depois para cobrar,e não ficar por aí a reclamar!
    Baita crônica e como deve ter sido complicado escrever esse português hein?
    Ótimo fim de semana que se aproxima Andre,pra você e família.

    ResponderExcluir
  6. Falô mano! (rsrsrssrsrsrsrs)

    É isso mesmo André. Pior que é verdade. Nem todos estão comprometidos com o tráfico e precisam sobreviver. Se o governo não apóia eles ficam com poucas opções. Afinal, eles só vendem "produtos diferentes" (rsrsrs). O jeito é os manos se "ligarem" na ora do comparecimento às urnas.

    Adorei!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Essa é a realidade que muitas pessoas de áreas carentes enfrentam.
    Vem um cara cheio de caô pra cima deles e depois que é eleito tira o deles da reta.
    O tamo junto devia valer também na hora de votar direito.

    Adorei o texto! Foi bem verdadeiro.
    Boa semana pra você e até mais ver.

    ResponderExcluir
  8. É nóis, mano.

    Azar toridade que se exproda .

    ResponderExcluir
  9. É isso aí, perfeito.

    O que me incomoda é que todos sabem disso e continuam votando nos mesmos sem vergonhas de sempre. Não sou contra os camelôs. A alta taxa de impostos em cima dos produtos incentiva a proliferação desse tipo de comércio.

    Se o governo baixasse os impostos, ou desse oportunidades melhores de emprego, não exterminaria, mas inibiria e teria razão de cobrar a exterminação dessa pirataria.

    Gostei do linguajar! Hehe.

    Abração.

    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. É isso aí meu, os cara sofre mermão! E a politicada sempre por cima da carne seca!É o nosso Brasil de desigualdades...Beijossssss

    ResponderExcluir
  11. Ai Mano tamo junto nessa, sacai eu colo aqui e tu cola no meu firmeza truta

    Po na moral vei curti o post, asauhsuashau

    Mermao fala ai qual branquinha e qual rainha é melhor, suave brow.

    Énois Manos Loucos. Um salve pa tu ai flws.

    ResponderExcluir
  12. Mano.... ta ligado... so treta..
    se liga ai...

    Andre..parabens pela cronica.
    Amei o linguajar.....ficou muito bom mesmo.
    Querem tirar os camelos da rua. Eu concordaria se este fosse um pais juntos, que fosse o pais da igualdade social e da democracia.
    Em se tratando do social, sabemos que pouco temos de democratico.
    Se o governo ao inves de bem admistrar as verbar publicas com certeza sobraria diheiro pra educacao e
    as pessoas teraim mais cndices de irem atras de empregos dignos.

    E isso mano. a treta e correr atras do preju e levar o leitinho dos pivete la de casa. saco??

    bjs

    ResponderExcluir
  13. André,

    fez um cursinho de linguagem dos mano ou você já tem intimidades com ela?

    Só sei que o mano mandou muito bem; se os ladrões que estão em brasília não melhoram a vida dos mano ainda, querem que eles morram de fome?

    tamo junto nessa.

    ResponderExcluir
  14. Andreee... fiquei bege agora, aonde vc aprendeu a escrever assim??
    Rsrsrsrsrs... o texto reflete a realidade, o governo não dá educação, a criancinha cresce, nãp sabe falar bem, escrever bem e o circulo vicioso continua e continua.
    Precisamos ensinar o povo a votar, só assim talvez teremos alguma chance de melhora para está gente que é sim trabalhadeira e só precisa de oportunidade.

    Cara!! Eu não sou cabeçuda!! Rsrsrsrs... mais tô ligada, o que vc me disse, está certissímo, minha família agora sou eu, meu marido, filhos e os 14 gatos que me rodeiam o tempo todo, então pra que ficar chateada com a familia linda que eu tenho? Obrigada por sua atenção e já fiz outro post, pra tirar aquele do topo sabe, fiz um de filmes que andei vendo e te recomendo o ultimo filme, vc tem cara que vai gostar!! Rsrsrsrs... Bjs e si liga mano, si relá ni nóis é penalti... rsrsrsrsrs

    ResponderExcluir
  15. É a CURRAL CRACIA mano e quanto mais ignorante, melhor.

    ResponderExcluir
  16. É exatamente essa situação que os "manos que estão no poder" não querem mudar! Assim podem continuar aprontando todas por ai. Fato !

    Só a educação liberta!

    Abraços, Flávio.

    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
  17. Olá, amigo André!
    O protagonista, a despeito de seu coloquialismo, tem ótima consciência política e critica de nossa realidade. E ainda tem o empirismo das mazelas sociais oriundas das desordem político-administrava.
    Temos que nos despertar, porque toda mudança está em nós.

    Parabéns pela versatilidade!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. E pensar que em pleno séc. XXI ainda há milhões de iletrados de pessoas que não sabem ler, ou escrever, que crescem na rua e não teem quaisquer perspectivas de vidas enquanto meia dúzia vivem chafurdando no desperdício que chegaria para dar uma vida decente a esta gente.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  19. Cara, tu deve ter passado umas 3 noites na rua pra dominar essas expressões idiomáticas urbanas né? Bem atual e mostra a eterna realidade das ruas, creio que conviveremos durante décadas com essa situação, e os políticos não investem em educação pelo simples motivo de que, se eles abrirem os olhos e a consciência da plebe, eles serão os primeiros a sofrerem a fúria e indignação pelo abandono e descaso com o qual foram tratados.

    Abraço mano. Tamo junto ai, o coco é de roda, o que dé pra um dá pra todos!!!!

    ResponderExcluir
  20. AndreZinho, voltei aqui pra pedir um favor... mudei o domínio de meu blogue. Aí, gostaria que vc modificasse o link em sua aba de blogs recomendados para http://umaseoutrasjoicy.blogspot.com/

    Pode ser? rsrsr

    Abração

    ResponderExcluir
  21. Pô mano, que crônica foda! Tu sabe que eu gosto de ti ler paks né? Pô jhow, mi dentifico cum teus iscritos, cum a maneira que tu fala!
    Namoral, vc é sinistro! rs
    Beijoos
    Sah

    saahandradee.blogspot.com

    ResponderExcluir
  22. Tô passando pra deixar um grande abraço e desejar tudo de bom pra você!! Legal a notícia do seu filho...é na segunda???

    ResponderExcluir
  23. Imbatível!!!!!!!! Assim eu te classifico, André, quando o assunto é sotaque e trejeito de fala... muuuuuuuuito bom, realmente!
    Agora, que a sociedade é muuuuuito hipócrita, lá isso é! Nada de mercadoria do Paraguai... camelô com produto chinês... mas loja que vende "made in China"... ou como é chique falar agora: "made in RPC" (que é a mesma coisa...hehehehehe) e pagam imposto, isso pode... mesmo que por traz esteja o trabalho escravo de um povo "marelim" lá de longe!

    Então é isso merrr mãooo! A vida tá "foda", mais sempre vale a pena vivê i sonhá co dia melhó!

    ResponderExcluir
  24. Querido André, além do abraço que deixo para o amigo, também quero parabenizá-lo pela crítica sem disfarces de um dos lados tristes da nossa realidade social. Toda fala do personagem que o texto desenvolve, aborda com tanta objetividade a crítica social que nele está inserido, que me atrevo a dizer, que uma figura letrada e conhecedora das palavras não retrataria tão bem uma realidade, como ocorreu com esse diálogo numa forma de monólogo, digamos assim; já que dialogo é a conversação entre duas ou mais pessoas. E o que é mais interessante, o desabafo do personagem do texto contextualiza no seu decorrer uma realidade que não deixa nenhuma dúvida no seu caráter de protesto e manifesto social. Parabéns!

    ResponderExcluir
  25. andré,
    não me foi fácil ler este texto e duvido mesmo que o tenha lido do modo que ele merece, não por falta de interesse, mas por dificuldade com um universo linguístico que não domino. ainda assim, pressinto um nicho linguístico característico de uma franja urbana, marginal, que se debate com a indiferença e a desvalorização das demais tribos sociais. engano-me?

    um forte abraço, caro amigo!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!