domingo, 26 de fevereiro de 2012

Inquilino do inferno



Ele não conseguia enchergar as alegrias da vida.
Achava que tudo era uma grande ratoeira e que ele era apenas um camundongo.
Ele tinha uma rotina que não gostava de ter.
Vivia trabalhando tristemente.
Achava seu trabalho uma grande ratoeira e que ele era apenas um camundongo.
Achava que o inferno era aqui!
Seu coração era nutrido dia a dia com idéias tristes.
Quantas pessoas nutrem seu coração com coisas que ninguém imagina?
Essas coisas que moravam em seu coração e em sua mente não deixavam ele perceber o sorriso de uma criança.
Não percebia a alegria do seu cachorro quando ele chegava em casa.
Não conseguia sentir o gosto do chimarrão.
Não percebia o perfume do seu jardim.
Ele achava o mundo uma grande ratoeira e que ele era apenas um camundongo.
Se achava incapaz de ser feliz e por isso nunca se dava uma chance.
Achava que o inferno era aqui!
Quando se pegava sorrindo por algum motivo, acabava se bloqueando.
Parecia programado a sofrer!
Sofrer porque se achava menor que todos.
Sofrer porque foi se acostumando assim.
As decepções da vida foram se aglutinando em seu ser.
Sobre as alegrias ele apenas passava por cima.
Não olhava pra elas como vitórias e sim como momentos.
Momentos que passariam e deixariam as tristezas voltarem novamente.
Ele achava o mundo uma grande ratoeira e que ele era apenas um camundongo.
Achava que o inferno era aqui!
Alguém lhe disse que se ele não acordasse desse transe de tristezas, realmente a ratoeira iria lhe matar.
Alguém lhe disse que se ele não acordasse desse transe de tristezas, realmente viveria pra sempre no inferno.
Aqui, alí ou lá...
Não importa onde. Ou ele acordava ou seria um eterno inquilino do inferno.
Avisado ele foi.
Agora bastava ele se tornar um grande camundongo, tão forte que a ratoeira não conseguisse lhe pegar.
E nada no mundo poderia lhe ajudar... A não ser.
Ele mesmo!

25 comentários:

  1. Sabedoria pura por aqui!! E quantos camundongos desse há que só reclamam, acham tudo um infernos e nem sequer tem coragem de abrir os olhos. Se o fizessem, poderiam ver as belezas da vida!

    Lindo texto! abração,ótima semana,chica

    ResponderExcluir
  2. Quem escreveu isto?

    Tadinho do rato, sentido com seus próprios erros? Os proprietários agradecem a detetização.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Oi querido amigo,

    Maravilha de post! Pergunto quem nunca se sentiu nessa situação? penso que é fácil entrar nesse inferno, mas é fundamental olhar com sabedoria as alternativas de recomeço. Ademais, evitar se achar o coitado da história. Enfim, somos responsáveis por nossas escolhas.

    Beijos meu amigo e uma ótima semana! Deus contigo!

    Quando nasce o Samuelzinho?

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Andreeeeeeeeee \o/
    Olhe eu aqui outra vez!! ausaushaussuh'
    Mas é nunca q eu abandono esse barco, meu!
    Tou aqui em novo endereço http://laurabmel.blogspot.com/
    e com página nova no face!!!!
    Valeu pela amizade meu amigo!
    De pessoas assim como vc q o mundo anda precisando!

    ResponderExcluir
  5. Que texto maravilhoso meu amigo!! Como foi o carnaval??
    Um grande abraço!!

    ResponderExcluir
  6. Olá André,

    Gostei muito do seu texto, viu? É um tema bem interessante, e você o tratou muito bem. Gostei da metáfora da ratoeira e do rato.
    Pessoas assim estão em sobra por aí, as quais não largam o pessimismo de jeito nenhum. O que está sempre em falta são pessoas que sabem aproveitar bem a vida, e antes de tudo, acreditar que isso pode ser feito.

    Beijo,
    http://ideias-defenestradas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Quando cada um de nós perceber e entender que podemos nos tornar camundongos enormes capazes de destruir as algemas que nos levam a inércia e a falta de fé na vida, não só nossas vidas mas o planeta inteiro será bem melhor! Não adianta ficar só reclamando, temos que levantar a cabeça, encarar as situações com otimismo e sacudir a poeira!

    Abraços meu caro.

    ResponderExcluir
  8. Qd li seu texto me lembrei muito de uma época em que eu comecei a ter síndrome do pânico, além disso tinha uma depressão fdp, e tudo junto me deixou achando que o mundo era um inferno, que ser mãe era um inferno e que a vida era muito reduzida, que nada vazia sentido.
    Que o lance de dar satisfação das coisas em tolhia, me fazia sentir pequena como um rato. Belo texto, profundo, quando a gente escolher caminhas por duas ou mais estradas, curtindo as variações da felicidade, olhando o mundo com mais simplicidade e amor as coisas fluem né?


    Beijos André
    Viviane
    Razão e Resenhas.

    ResponderExcluir
  9. Uma vez eu disse: -Mansin, puta texto bacana. Ou foi "do caralho". Ou foi: -Mansin, puta texto do caralho. De qualquer forma, mesmo com duvidas sobre o que eu disse da outra vez, vou dizer uma coisa agora:- Mansin, texto bom pra cacete.

    É bem verdade que tenho pouco tempo para passar aqui, mas sei, que o
    dia que venho, sempre terá algo que me deixará refletindo e mastigando o resto do dia.

    Mas ó, só aqui entre nós: -Eu sou o camundongo e sempre acho que estou no inferno.

    Bento.

    ResponderExcluir
  10. Gostei do que li... vc é bom, Mansim!! A ratoeira gigante me bateu um medinho!! Percebi a analogia com essas situações em que o culpado são sempre os outros... odeio que tem sindrome de coitadinho, pronto falei!

    rrsrsrs

    bjks pra vcs três, viu!?

    ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quis dizer *queM tem síndrome....

      Excluir
  11. Nós criamos nossos monstros e alimentamos nossa infelicidade. E isso só afasta as pessoas. Ninguém quer conviver com o mau humor e com quem se diz vítima da vida. Bjs.

    ResponderExcluir
  12. gostei da parte do chimarrão haha.

    É isso que eu sempre digo, as pessoas querem ser ajudadas, porém elas não querem se ajudar.

    Não adianta, pode vir toda ajuda e ter todos amigos do mundo, quando a pessoa que está passando pelo infortúnio não quer se ajudar, já era. Tempo perdido.

    Abração

    ResponderExcluir
  13. Foda que muitas vezes nos sentimos em ratoeiras mesmo Dé! Muito bem colocado, o fato é que não existe nada nem ninguém que possa ajudar numa situação como essa, só nós mesmos!

    Excelente texto, como sempre!!!

    Bjão e ótima semana!

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tive que refazer texto muitos erros- desculpe.

      Excluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Inferno é um termo usado por diferentes religiões, mitologias e filosofias, representando a morada dos mortos, ou lugar de grande sofrimento e de condenação.
    Como não creio nisso, apenas penso que cada um constrói o seu próprio inferno ou paraíso mesmo que não tenha espaço físico.
    Penso que é mais ou menos isso que você disse - salvo minha ignorância.
    Muito bom texto e a criação do inferno realmente não precisa de tanto espaço físico porque segundo a ciência existem tantos neurônios dentro da massa encefálica como estrelas no firmamento e penso que é o suficiente para se criar um inferno infestado de ratazanas.
    Ou um aconchegante e belo paraíso construído peça por peça.

    ResponderExcluir
  17. E todos nos sentimos assim pelo menos uma vez na vida. Bom quando damos um pontapé na tristeza queimamos a ratoeira e colocamos no seu lugar um vaso florido.
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderExcluir
  18. Existem pessoas que vivem o tempo todo de maneira amarga. São pessoas que não conseguem se libertar das coisas negativas que as aprisionam;parecem eternamente inconformadas com a vida. É bem verdade que todos nós por algumas vezes até ficamos assim, porém, fazer disso, um estado constante, já é demais. Um grande abraço, amigo André.

    ResponderExcluir
  19. "Quero que você me aqueça neste inferno...

    Quero infernizar a vida de um locador um dia.

    ResponderExcluir
  20. Há pessoas que são vítimas de si próprias. Não tem auto-estima e nem
    capacidade para valorizar as pequenas alegrias diárias. Acostumam-se
    com o sofrimento e já não conseguem viver sem murmurar.

    Realmente, só ele mesmo poderá se ajudar a sair do inferno que criou para si.

    Muito bom, André.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Só vc pode mudar sua realidade.Há pessoas que reclamam que não conseguem nada na vida, mas tbm não se esforçam, não fazem nada para melhorar e quer que tudo caia do céu.Não é bem assim...
    Quem só pensa em sofrimento, só atrai sofrimento.Do mesmo modo que quem pensa em felicidade e sucesso, trazem isso para sua vida.
    Acho que vale a pena tentar mudar e se esforçar um pouco para melhorar tudo na vida.Quando nos lembrarmos do passado, não vamos nos arrepender do que fizemos, mas sim do que deixamos de fazer.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!