segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Limpem os túneis

 Essa é uma re-postagem de um texto que escrevi no final do ano passado. Acho ele importante e interessante mas ele não teve tantas visitas como eu acho que merecia. Uns acontecimentos me inspiraram a colocar ele de novo aqui. Espero que gostem, e se você já leu, pode relembrar.





Todo dia era a mesma coisa, eles nem se lembravam mais qual foi o primeiro dia em que eles começaram a trabalhar naqueles tuneis. No começo o percurso era menor e os tuneis eram novos e fáceis de trafegar, mas com o passar do tempo o percurso só foi aumentando e os túneis cada vez mais foram ficando cheios de obstáculos.
O serviço deles era de vital importância nesse sistema. Eles tinham que levar oxigênio para o controle central e de lá esse oxigênio era distribuído para todos os órgãos por esses túneis.
O problema maior é que com o passar dos anos o gerente dessas instalações não tomou as devidas providências para manter os túneis limpos e fáceis de trafegar. O gerente deixou muito lixo se aglomerar nas paredes dos túneis e deixou-os infectar por produtos tóxicos e nocivos ao sistema. Assim os funcionários responsáveis pelo transporte de oxigênio estavam com muita dificuldade de fazer o seu serviço fazendo com que o comando central mandasse cada vez mais energia nos túneis tentando fazer com que o fluxo de oxigênio continuasse correspondendo as necessidades. O descaso com a malha de túneis era tanta que o controle central não estava conseguindo executar o processo e o sistema inteiro estava sofrendo... O setor responsável pela filtragem da água não filtrava direito e mandava impurezas para todos os lugares, o setor responsável pela renovação do oxigênio dos túneis não conseguia sugar e nem transferir esse ar para o sistema, o setor responsável pela inteligência do comando central e pela mecanização do todo começava a falhar e tudo estava entrando em colapso até que o sistema todo parou!
- Vamos tentar mais uma vez - falou o médico na ambulância!
- Carregando - falou o enfermeiro - pode colocar os eletrodos no peito dele, um, dois, três, lá vai!
O corpo estrebuchou e o coração deu sinais de vida.
- De novo - falou o médico!
- Um, dois, três... Lá vai!
O corpo estrebuchou de novo e o médico começou a fazer massagem no peito do paciente e respiração boca à boca. Conseguiram salvar o paciente. Ele foi internado na UTI. Quando saiu o médico lhe passou um regime, um plano de exercícios e alguns remédios. O médico falou que seu corpo estava muito descuidado e debilitado e que se ele não se cuidasse fatalmente não teria muitos meses de vida. Ainda dá pra recuperar só depende de você!
Assim as coisas foram melhorando para as celulas que eram os funcionários dos túneis. Agora eles poderiam levar oxigênio para todo o corpo e assim continuar a semear a vida. As placas de gordura foram sumindo das veias e o sistema conseguiu uma sobrevida melhor e com mais qualidade.




15 comentários:

  1. André, excelente texto! A certa altura dele, eu comecei a desconfiar que você falava dos "túneis" inumeráveis que cruzam nossos corpos levando o sangue, nutrição e oxigênio para as células.

    Bom alerta. Carregamos uma máquina incrivelmente complexa e que só veio a existir(para quem crê numa evolução cega) numa probalidade de uma em bilhões e bilhões de trilhões.(por isso não acredito na tal cegueira evolutiva).

    Vamos cuidar bem da máquina pensante que somos nós.

    abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá, grande amigo André!
    Fizeste bem reeditar esse texto, pois ainda não o tinha lido.
    Gosto de suas mensagens contidas nas mais sábias alegoria que nos são sempre importantes e reflexivas.
    A vida, o mundo enfim, tudo funciona numa sinergia interdependente, em que qualquer falha num componente, compromete todo um organismo.
    Cada um deve fazer sua parte.

    Parabéns pela perspicácia!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Belo texto.Valeu a reedição! Vale sempre te ler ou reler! abração,chica

    ResponderExcluir
  4. Oi querido amigo,

    Ainda bem que fizeste a reedição, pois permitiu o meu deleite. Sabe o que penso? Esse conto ilustra bem o cotidiano das organizações, ou seja, o todo é responsável pelas partes e vice-versa. Penso que sempre tem vários perfis, desde o carregador de piano que se estressa e adoece, bem como aqueles que ficam na berlinda a custo do outro. Esses as vezes destroem a célula e também interferem no clima, mas a solução é tocar o barco, repondo as energias.

    Deus contigo!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Realmente Dé, esse texto merece mesmo mais atencão!
    Excelente!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  6. Lembro-me de ter lido André. Também me recordo de ter gostado bastante. Creio que se procurar por lá, verá o comentário que fiz a respeito. Acho bacana, essas retrospectivas de vez em quando, afinal, blog é como audiência de TV, tem sempre gente nova chegando para assistir. Nesse caso é preciso criar a oportunidade para que outros vejam o que não puderam na vez em que ocorreu a publicação. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  7. Olha André, tanto o corpo como qualquer outra coisa, deve ser bem cuidado!
    Pois tudo muito "usado" tende a começar a dar "defeitos" com o tempo.
    Portanto, ter uma boa alimentação, procurar o médico regularmente, ajuda a ter um longo período de vida! ^^

    ResponderExcluir
  8. hahaha muito boa a analogia. Até re-li o começo novamente depois que descobri o que era o túnel.

    Bem por essas mesmo. Nosso corpo são tuneis que se interligam e quando algo falha, afeta todo o resto do processo.

    Show!

    Abss!

    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Cara, vez por outra eu reposto algum texto meu, tem um que gosto pra caramba, acho o melhor já escrito, mas sempre os comentários são tão poucos, mas tá valendo, esse teu não lembro bem, mas acho que comentei sim.

    Não só nosso corpo tem que está em harmonia, mas toda a nossa vida profissional, sentimental, emocional e espiritual, creio que se tudo funcionar em conjunto, teremos mais sucesso em nossas empreitadas, e até nos fracassos.

    Belo texto mano. Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Nossa!!Muito interessante!Nosso corpo é uma máquina mesmo e precisa ser bem cuidado!

    ResponderExcluir
  11. Tenho que tomar sinvastatina para manter meus túneis menos poluídos com os colesteróis e as triglicérides ruins.
    Os filtros naturais vão perdendo eficiência e tudo tem prazo de validade.
    O homem tem prazo de validade, os órgãos têm prazo de validade e aceitando sua fragilidade é mais fácil lidar com a saúde.
    Verificar a bomba, os filtros, as pressões, o fluxo nos túneis, as passagens e as reentrâncias os condutores como plasmas, insulinas, linfa e tantos outros órgãos que geralmente não damos muita importância quando ainda se é jovem e a saúde esta nos ‘trinques’.
    Os machões têm que verificar a próstata (O TÚNEL) porque ela é uma das glândulas que a natureza prova que o homem tem prazo de validade.
    Porque a glândula da procriação teria que funcionar além dos cem anos de idade?
    Por isso temos que cuidar do comando central nossa massa encefálica e viver cada minuto como se fosse o ultimo sentindo o perfume das flores, os sabores sentindo e produzindo boas emoções aos que amamos porque este ultimo minuto um dia chegará.
    Sei que a realidade é triste e não devemos ficar angustiados com ela, mas pior é não aceitar e um dia se deparar com ela.
    Musica.
    A ação poderia ser chamada de pecado se entristecesse, assassinasse, desonrasse, escravizasse outrem, este um pecado do homem contra o homem.
    Acredito que algumas mentes poderosas e vazias classificaram prazeres como pecados por ignorância ou inveja além de até hoje este pecado fazer parte de um cajado forte para tanger o rebanho.
    É bom que ele exista para aqueles que precisam do cajado.
    Sei que as controvérsias são inevitáveis e não fico chateado porque a polêmica é saudável e gostosa para a evolução do homem.

    ResponderExcluir
  12. amigo andré,
    este teu texto, que me lembro de ter lido e comentado em dezembro de 2011, recorda-me o grande conto do josé rodrigues miguéis, "arroz do céu". cá, como lá, o sujeito trabalha nos túneis do subway, sujeito a toda a imundície, doenças e escuridão, uma toupeira que não conhece a luz do dia. "O Céu do limpa-vias é a rua que os outros pisam.".

    abraço, meu amigo!

    ResponderExcluir
  13. Eu sou mais uma caverna semissuja do que um túnel limpo.
    O bom é ver a luz no final.

    Saca?

    ResponderExcluir
  14. André, minha net tá meio doidona..vc recebeu o comentário que escrevi falando do post e do Samuquinha?

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!