quarta-feira, 13 de abril de 2016

Virgem Maria - parte 3


 Seguindo o conselho da Ivone, vou colocar no máximo de 3 em 3 dias um novo capítulo de Virgem Maria. Eu fico esperando as pessoas lerem o capítulo atual, mas isso atrapalha quem já leu e também tem que ficar esperando.






A muralha de Manzaneda já podia ser avistada, Sr Armando e Miguel cavalgavam a mais de duas horas, quando perto da cidade, parado debaixo de uma figueira, um guarda fez sinal para que eles parassem.
- Onde é que vocês vão? - Perguntou o guarda de farda impecável e elmo reluzente.
            - Vamos à cidade.
- Eu sei quem é o senhor. – disse o homem retirando o elmo. - É o pai do menino que certamente vai ser queimado, acusado de ser bruxo.
- Sou eu mesmo, e vim buscar meu filho.
O guarda olhou fixamente para Armando depois encarou a Miguel, deu um passo para trás colocando a mão sobre sua espada e disse: - Como é que vocês dois, um velho e um garoto, querem salvar esse menino? Vocês não entendem que desde quando o monsenhor foi pessoalmente buscá-lo, é porque ele já foi julgado?
- Julgado por quem? - falou Miguel. - Eu não vi julgamento nenhum, nem o poema eles deixaram a gente ler. O pai, Sr. Armando, nem sabe do que o filho está sendo acusado.
- Pelo que vejo, você é fraco de músculos, mas é forte com as palavras não é garoto. Mas vamos supor que vocês possam chegar perto de seu filho, Sr. Armando, como é que vocês querem salvar o guri? Vocês por acaso tem algum plano?
- Nós vamos conversar com ele primeiro e ver o que foi que ele escreveu no tal poema, e depois, vamos elaborar a nossa defesa no caso - falou Miguel demonstrando coragem.  - Porque?  O senhor tem ordens para não nos deixar passar?
- Não, mas eu estou aqui esperando, porque sabia que o pai viria atrás de seu filho. – disse o guarda encarando Miguelito. - Me digam uma coisa, como vocês querem falar com o guri se ele está preso na masmorra?
- Não sei como - falou Armando - mas a gente vai falar com ele custe o que custar!
- Tudo bem. - falou o guarda pegando um pedaço de papel. - Dêem esse papel, com essas ordens, ao chefe da guarda que fica no período da tarde na masmorra, seu nome é Antonio Fernandes e, por favor, não falem com mais ninguém a não ser ele, digam que é da parte de Natanael, acho que assim vocês poderão ver o menino, mas penso que conversar com seu filho – disse virando-se para Armando – pode até ser possível, mas convencer Monsenhor Fernando a fazer um julgamento às claras, com a presença do povo, e com direito a defesa; isso vai ser difícil.
- Obrigado bom homem. - agradeceu Armando. - Ainda bem que nem toda a raça de cavaleiros está atrelada as covardias e desmandos da santa igreja.
- Não fale assim senhor, pois eu ainda sou um cavaleiro e tenho um juramento. Não me faça arrepender de ter lhes ajudado.
O guarda Natanael, com cara de poucos amigos, deu um passo para trás e estendeu a mão curvando um pouco seu corpo como num cumprimento e com um aceno de cabeça, olhou para as muralhas como se estivesse dando passagem aos dois em direção a cidade. Eles entenderam o recado e continuaram sua jornada.





9 comentários:

  1. Muito bom, amigo André, tens uma percepção da vida de forma peculiar, aqui senti uma certa analogia, os poderes da Igreja na Época da Inquisição e o poder político em todas as épocas, acho tudo intrínseco e desperta mesmo a imaginação e a capacidade de pensar.
    Amei ler, estarei por aqui para acompanhar, estou escrevendo em "páginas" lá blog Poemas sem Peias, todos os dias escrevo um pouco com maior liberdade, sei que as pessoas não gostam muito de ler, mas pra mim, acredito que para você também, o mais importante é escrever, dissertar, divagar em ideias ricas e quem quiser ler é bom, quem não quiser é bom também. Depois de escrever bastante quem sabe publicarei nos blogues, "em páginas" leem quem quiser.
    Amado amigo, obrigada pelo carinho, retribuo com todo o prazer!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por ser tão amiga! Suas observações ao longo dos capítulos tem sido muito importantes!

      Excluir
  2. Passei para pôr a leitura em dia, embora ainda me lembre da história.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  3. Que bom que Natanael deixou passar Armando e Miguel. Curiosa por saber como a história se desenrolará...
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahaha, vc vai gostar, Laura!

      Excluir
  4. Hey!

    Tô com a leitura atrasada...

    Ops!

    ResponderExcluir
  5. Cheguei!!!

    Esse guarda é do bem, por isso.

    Sempre tem gente de bem plantado em lugares estratégicos pra ajudar as pessoas.

    : )

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!