sábado, 1 de outubro de 2011

Rock in Paraguay

Muitos amigos meus estão chateados com essa miscelania que virou o rock in rio, eu entendo eles perfeitamente, sei que existem pessoas que são roqueiros até o fio do cabelo (isso eu não poderia ser né?) e que não aceitam essa comercialização e banalização do projeto Rock in Rio, pois quando ele surgiu lá atrás em outra década, a intenção era trazer ao Brasil shows de rock... Será mesmo? Olha alí em cima cada barbaridade que se apresentou no primeiro festival: Pepeu Gomes e Baby Consuelo, Erasmo Carlos, Gilberto Gil, Moraes Moreira, Alceu Valença, Eduardo Duseck, Ney Matogrosso e até Ivan Lins! Caraco! E alguns deles se apresentaram mais de uma vez! Gente que absurdo, acho que naquele tempo os "zineiros" que eram os blogueiros de antigamente, devem ter metido o pau de acordo mesmo! Deve ter dado muita conversa ver Alceu e Elba tocarem dois dias num festival de rock, deve ter sido uma revolução escutar Iron Maiden e Baby Consuelo no mesmo dia, deve ter sido uma catástrofe digna de vergonha roqueira nacional ver na programação Scorpions e Eduardo Dusek cantando com poucas horas de diferença no mesmo palco...
É meus amigos, engana-se quem acha que esse festival é um Woodstock à brasileira, na verdade esse festival nada mais é do que uma forma de ganhar muito dinheiro de uma só vez e é por isso que o empresário organizador ataca de todos os lados, sem medo de errar, porque sem dúvida ele vai acertar muitos gostos musicais, desde rock, metal, hardcore, até axé, oloduns, e coisas assim... Bom pelo menos não tivemos pagode e nem sertanejo universitário, porque se tivesse acho que pelo menos uns dez amigos meus estariam se mudando para o Paraguay!
Mas na verdade nós tivemos muita coisa boa também, e dá pra separar o joio do trigo né?
Aqui em baixo vai um super show dos integrantes que restaram do Legião Urbana, que por sinal foram os maiores responsáveis pelas melodias dessa banda que a gente aprendeu a gostar, eles pegavam as letras maravilhosas do Renato Russo e em pelo menos 70% das vezes criavam as melodias. Pra mim eles são dois marcos do rock nacional, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá, que infelismente ficaram à sombra do Renatão, por serem pessoas tímidas e pelo Renato ser centralizador de atenções. Mas aqui em baixo meus amigos, está o vídeo completo da apresentação deles, com musicas do Legião, e olha que mesmo com algumas participações bizarrinhas o show ficou maravilhoso, com a orquestra sinfônica de Brasilia abrilhantando ainda mais os acordes dessas musicas que marcaram e marcarão gerações! Então apertem o play e se divirtam!
E amigos... Não mudem do Brasil, pois o Rock in Paraguay deve ser muito pior!

13 comentários:

  1. O Legião Urbana sempre salvando a pátria (mesmo sem o Renato) e agora salvando também o que restou do Rock in Rio... Será que ficaria bem se o Metálica fizesse um concerto no carnaval carioca ou baiano? Como pode o contrário ser válido então... Minha nossa!!!
    Parabéns pela reflexão, Abdresão!!!

    ResponderExcluir
  2. "Quando eu passei por aqui
    A minha luta foi exibir
    Uma vontade fela-da-puta
    De ser americano

    (E hoje olha os mano)

    De ficar só no Arkansas
    Esbórnia na Califórnia
    Dias ruins em New Orleans
    O grande mago em Chicago

    Ter um rancho de éter no Texas
    Uma plantation de maconha no Wyoming
    Nada de axé, Dodô e Curuzu
    A verdadeira Bahia é o Rio Grande do Sul

    Rock'n'me
    Rock'n'you
    Rock'n'roll
    Rock'n'Raul"

    ResponderExcluir
  3. "Quando eu passei por aqui
    A minha luta foi exibir
    Uma vontade fela-da-puta
    De ser americano

    (E hoje olha os mano)

    De ficar só no Arkansas
    Esbórnia na Califórnia
    Dias ruins em New Orleans
    O grande mago em Chicago

    Ter um rancho de éter no Texas
    Uma plantation de maconha no Wyoming
    Nada de axé, Dodô e Curuzu
    A verdadeira Bahia é o Rio Grande do Sul

    Rock'n'me
    Rock'n'you
    Rock'n'roll
    Rock'n'Raul"

    ResponderExcluir
  4. Oi Dedé,
    rsrrs
    ai, ai... sem muito o que comentar amigo, apenas essa questão que sempre achei o Dado Villa Lobos e o Marcelo Bonfá, os caras do Legião. Assim como o Frejat, o cara do Barão! rsrs
    Rimou, tá bom? rsrs
    Abração para ti e a família! :)

    ResponderExcluir
  5. POis eh... concordo!

    Rock in roll!

    Ameei o blog!

    Espero sua visitinha no Crônicas:

    http://cronicasrapidas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Bem o que dizer..."dinheiro em rio " seria mais apropriado. Quando vejo bandas cantando Legião, nunca consigo gostar como se fosse o Renato cantando. E´como se ele tivesse deixado uma coisa que não pode ser substituida...e isso é tão forte e presente.

    Mas valeu a homenagem..

    obrigado pela visita caro amigo. Venho lhe convidar para que veja a nova postagem no blog, e sua opinião será sempre bem vinda.

    abraço e obrigado pelas visitas de sempre !

    ResponderExcluir
  7. Eu penso que o Rock In Rio, antes de ser um espaço exclusivo para o rock, é uma marca de festival de música e, como tal. desde o seu início uma verdadeira miscelânea.
    Mas o que se falar do Brasil se não que é uma mistura de tudo e mais um pouco?
    Que venham mais festivas de todos os tipos e viva a alegria e a diversidade!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Ótima colocação a tua mano, acho que ninguém, ou a maioria não tinha visto a coisa por essa ótica, mas vale ressaltar que, na época do primeiro festival, o Brasil tinha que ser representado, e, lógico que não colocaram somente o rock, que na época era os Paralamas, Barão, Kid e Lulu, mas quiseram mesclar a coisa e dar oportunidade a outros artistas da MPB, lógico que não concordo com isso, e realmente deve ter sido horrível ter ido pra assistir ao Iron e ser OBRIGADO a ouvir Baby Consuelo e Pepeu, mas a mágica do Rock in Rio de 85 é que, as bandas e artistas gringos que vieram abrilhantar o festival era o que tinha de melhor no cenário musical não só da época, mas de todos os tempos, o que não acontece hoje, tirando o Metallica, Motorhead e Stivie Wonder, toda a gringalhada não dá a metade do Legião remanescente, uma bosta só. Por isso que, mesmo com aquelas assombrações nacionais de 85, no geral, a coisa foi mais que satisfatória.

    Abração pra tu.

    ResponderExcluir
  9. a realidade que descreves, caro amigo andré, é um pouco a que temos por cá, infelizmente. a música pela música é, hoje, um território de românticos e nostálgicos; o lema, agora, é mais a música pelo dinheiro.
    um abraço!

    ResponderExcluir
  10. Não curto esses shows e tô por fora,srrs Mas tem cada coisa que ouvimos!!!abração,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  11. rock in rio é só para arrancar dinheiro do pessoal mesmo, e só tem banda mais comercial. Tem uma outra banda só que é legal.Mas daí ja vai tbm do gosto de cada um.

    ResponderExcluir
  12. Está para nascer outra banda tão boa quanto a Legião Urbana...

    Este evento Rock in Rio, deveria mudar de nome...

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!