segunda-feira, 6 de maio de 2013

Lendas do blues




As pessoas que seguem esse blog sabem que eu gosto de blues. Realmente eu acho esse ritmo e seus artistas, inspirados por Deus!
Só que algumas lendas, principalmente sobre alguns bluseiros do começo do século passado, provindos da região de New Orleans, falam que esses caras eram mesmo inspirados, mas não por Deus e sim pelo capeta!
Erick Clapton, que é um dos maiores mestres do blues da atualidade, gravou um cd maravilhoso só com musicas do Robert Johnson, que é um dos personagens mais famosos desses causos “capetingenos”. O problema é que esses artistas viviam em comunidades muito pobres, por volta dos anos 30 ou 40, época de história confusa e informações imprecisas, mas as lendas que se criaram sobre eles ganharam o mundo, porque as suas canções também ganharam.
Algumas letras de Robert Johnson ajudam mesmo a fomentar essas histórias sobre esse “pacto” com o cão sarnento, mas mesmo nelas, há varias formas de interpretação, e tudo fica mesmo no mundo da incerteza.
Segundo a lenda, o jovem Robert tocava em bares e clubes, mas não fazia tanto sucesso, então, um dia, ele pegou seu violão e foi até a encruzilhada das rodovias 61 e 49 em Clarksdale, Mississipi, pra fazer um pacto com o caramunhão. Chegando lá ele encontrou um cara bem "aprumado" e bem vestido com um impecável terno preto. Esse cara estava tocando uma canção do Robert numa gaita. Quando ele viu o Robert chegando ele logo se apresentou como sendo o capeta, e que estava ali, á espera, justamente para fazer um acordo com o jovem musico.
Robert deu seu violão pro rabudo, que afinou-o em um tom abaixo do que o musico costumava cantar e desse dia em diante a carreira do bluseiro decolou.
Robert Johnson só gravou 29 musicas, mas mesmo assim é considerado o musico mais influente do século XX. Suas musicas foram regravadas incontáveis vezes pelos melhores nomes do blues e do rock mundial.
Existem várias versões para sua morte, uns afirmam (essa versão é a mais aceita) que ele morreu envenenado por whisky envenenado com estricnina, porque estaria flertando com a mulher do dono do bar “Tree Forks”, onde estava tocando. Sonny Boy Willianson (outro grande nome do blues), que estava tocando junto com Jonhson, havia alertado-o sobre o whisky envenenado, mas Robert não lhe deu atenção.
Outra versão é que ele morreu de sífilis, outra diz ainda que ele fora assassinado com arma de fogo. Mas em seu certificado de óbito, apenas consta: "No Doctor" (sem Médico). Tem gente que jura que o viu morrer perseguido por seis cães negros, que o destroçaram com mordidas em forma de cruz.
Robert morreu com 27 anos, depois dele Jimmi Hendrix, Curt Cobain, Janis Joplin, Amy Whinehouse e mais uma pancada de roqueiro e bluseiro também morreu com essa idade... Coincidência? Sei lá!
Só sei que eu escuto as musicas do Robert Jonhson sem dar bola se ela foi ou não inspirada pelo encardido... Pois pode até ser que ele tenha se vendido numa encruzilhada, mas suas melodias não podem ter vindo das caixas de som do inferno. Se vieram, acho que o próprio capeta deve ter sido inspirado por Deus para compor musicas tão belas.

28 comentários:

  1. Nossa!Vi o vídeo!Belíssima mesmo, a voz do cantor então...!

    André,parceiro, gosto muito da sua forma de expressão!É dinâmica...rrss! Semppre que leio seus posts, é com sorriso nos lábios de prazer.

    Estes artistas devem mesmo ter sido contemplados por alguma magia...é muito talento...rsss!
    Curto quase todo tipo de música.

    Boa semana.Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Mariinha! Fico feliz por minhas escrivinhadas te deixarem feliz!

      Excluir
  2. Eu amo Blues! É delicioso curtir a melodia e as vozes roucas desses artistas! Hehehe
    Algo assim só pode vir do céu! Lendas só servem para difundir ainda mais o que é bom!

    Teu texto ficou delicioso de ler. Li sorrindo com as lendas! Adorei!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Coisas boas só são inspiração de Deus, o resto é lenda. Adoro bues também.
    Abração

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo e não acredito que tenha vindo do capeta,sr abraços,chica e linda semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um abração Chica! E tenha uma semana abençoada!

      Excluir

  5. André o/
    Tudo bom contigo?
    Ah eu sei que vc gosta de Blues..e essa história que vc narrou sobre os boatos que circundam os caras...bom para mim não passa de lenda de gente fofoqueira e ret´rogada daquela época. Antigamente diziam que o violino era o som do demônio só porque os violinistas conseguiam produzir sons incríveis com eles.

    AHSASH será que minha cabecinha roda demais? Ela roda e roda mas não pára hohohoh. É eu me enrolo em várias coisas e no fim acabo não conseguindo dar conta de tudo...nem anotando uma lista de afazeres costuma dar certo. Tenho de tentar reverter isso. Eu sempre digo que meus Papos Furados são sem noção rs.
    Aos poucos to dando prosseguimento ao livro...e também ás vendas do blog né...mas acho que consigo ajeitar..uma hora tenho de conseguir.
    Uma ótima semana!
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahahahaha fofoqueiro existe a milhões de anos né Tsu!

      Excluir
  6. Olá!Dedé, meu amigo!
    como vc disse,sei lá!Ninguém sabe dizer ao certo, mas os ditos especialistas no assunto acreditam que as lendas são narrativas cheias de imaginação, transmitidas dos mais velhos aos mais novos, que quase sempre combinam fatos reais e históricos com outros frutos da imaginação, e nos dão explicação aceitáveis para acontecimentos misteriosos e sobrenaturais onde não se encontra comprovação, tal como os que morreram com 27 anos.Sei lá!
    Desconhecia por completo a "história" de Robert Johnson.Bem descrita por vc,com seu toque bem humorado. Se ele viu a carreira decolar quando ele deu o violão para o rabudo, imagine esses artistas instantâneos e midiáticos de hoje, o q dariam pra verem a suas carreiras decolarem, hein?
    Gostei de conhecer um pouco mais sobre os blues.
    Boa semana
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felisão!
      Realmente o blues tem umas magias escondidas.
      Obrigado pela visita meu amigo.

      Excluir

  7. Olá André,

    Um som lindo assim somente pode ter partido de inspiração divina. Eu gosto e adorei ouvir a música do vídeo.
    Lendas sempre circundam grandes ídolos. Elas os ajudam a se imortalizarem.

    Deliciosa a sua crônica.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. André, não conhecia essa lenda, mas a música só pode ser dom divino. Elas exercem influências positivas sobre os homens. Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Oi André
    Sinistra essa história einh?! kkkkkk. Eu também adoro o blues, foi onde tudo começou, é música com sentimento, na minha opinião.
    Bjos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo a musica do coração né Lú!

      Obrigado pela visita.

      Excluir
  10. Meu filho, tenha cuidado. Sabe-se lá quem está do seu lado na poltrona quando você se deixa mergulhar no mar sonoro do blues. Oremos!

    Blues é simplesmente fascinante. Acho o estilo de música mais charmosa e envolvente.

    Bela matéria musical.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. De volta pra deliciar-me com suas boas postagens André, belo post!
    Abraços amigo!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  12. Muito bacana teu post, curto bastante nlues apesar de nunca ter parado pra pesquisar a fundo. Eric Clapton manja muito realmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Eric manja demais memo Léo!
      Valeu pela visita.

      Excluir
  13. Adorei,Andre.

    Amo blues e Eric Clapton é tudo de bom!

    Obrigada pela visita e comentário.

    Estou seguindo vc.

    Se quiser,será um prazer tê-lo em meu grupo tb.

    Beijos e ótima quarta


    Donetzka

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Donetzka!
      Vou seguir seu blog tambem.

      Excluir
  14. Olha André,eu acho que uma musica assim só pod ser inspirada por Deus!Um ritmo delicioso!bjs e boa quinta pra vc!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!