quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Personagens secundários



Eu sempre quis escrever um livro. Sempre tive muitas idéias sobre várias coisas malucas e outras não tão malucas para escrever.
Acontece que sempre que achava uma idéia legal, eu começava a escrever e depois acabava parando pela metade! A única coisa mais consistente que consegui terminar foi esse conto que você pode ler clicando AQUI. De resto eu acabei me especializando em crônicas, e textos mais curtos.
Mas um dia batendo papo com a Camila do blog “Vida complicada”, ela acabou me falando que acontecia com ela exatamente o que acontecia comigo. Ela começava e não terminava seus projetos literários. Então eu fiz uma proposta pra ela: Eu escreveria um tanto do meu livro por dia e mandaria pra ela “redatar” e ela escreveria um tanto do dela pra mim “redatar” daqui!
Legal! Eu pensei. Pois eu já tenho toda a história aqui na minha cabeçona e é só eu escrever e pronto! Belezinha!
Engano meu. O livro ganha vida própria, e personagens próprios, e o enredo ganha caminhos e atalhos próprios, e quando a gente tenta acordar da viagem... Já é tarde demais! A gente tem mesmo a história e tem que seguir um caminho traçado até onde se deve chegar... Mas pra chegar lá muita coisa acontece fora do combinado que você tinha em sua cachola! Aconteceu assim comigo e aconteceu também com a Camila no livro dela.
Um dos exemplos do que eu estou falando, são os personagens secundários e talvez até terciários. Um desses personagens apareceu no meu livro do nada, e acabou ganhando meu coração! O cara é maluco! Doido de pedra. Um dos personagens principais do livro conheceu esse cara quando foi preso numa penitenciária aguardando o término de uma investigação.
Esse maluco, que tem o apelido dentro da cadeia de “Treizoitão”, reza a lenda, que num acesso de fúria e descontrole mental, acabou matando sua família e por isso estava encarcerado.
Ele vive num mundo à parte desse nosso, e transita entre esse seu mundo particular e o nosso, misturando tudo ao mesmo tempo e deixando as pessoas que interagem com ele, as vezes confusas e as vezes alegres de ter um cara tão diferente para eles conviverem dentro da cela.
Acontece que no desenrolar da história o “Treizoitão” entrou numa enrascada e eu me vi forçado a dar um fim para ele. Se eu fosse pensar friamente no resultado que a morte dele traria para o livro eu teria o matado sem dó. Inclusive a minha redatora Camila disse que eu teria que fazer isso mesmo, e que o resultado ficaria legal mais lá na frente do livro. Ela falou também que eu não poderia me apegar ao personagem...
Depois de muuuito pensar, de brigar com minhas idéias e com a Camila eu acabei dando mesmo um fim no “Treizoitão”.
Mas não consegui matá-lo!
Dei um final digno ao cara! Afinal ele não era um assassino maligno... Ele tinha problemas psicológicos.
Engraçado esse negócio de escrever um livro. As pessoas e personagens da história vão entrando no coração da gente e as vezes até tocam-nos de uma forma que a gente se acha responsável por aquela vidinha de papel. Vida de palavras e de linhas escritas numa folha que antes era apenas uma folha em branco...
Os personagens ganham a amizade e a admiração da gente, se tornam criaturas dos nossos sonhos, e quando o livro vai chegando ao fim parece que a gente não quer que ele acabe mais!
Estou acabando de escrever, estou no finalzinho... Acho que fui legal com as pessoinhas de papel que criei, tomara que as pessoas de carne e osso que lerem o livro um dia também gostem e curtam tanto quanto eu estou curtindo, e que os personagens ganhem seus corações assim como ganharam o meu...

39 comentários:

  1. De suma importância!!!

    Beijo,
    www.estanteseletiva.com

    ResponderExcluir
  2. Ahhhh não somos mais anônimos kkkkk agora teremos que terminar de qualquer jeito kkkkkkk
    Dé eu amo o Treizoitao e acho que vc poderia criar um conto sobre ele no futuro!

    Ei, tenho a maior honra de ser tua redator e ter você com teus pitacos me ajudando todo dia! Kkkk

    Beijao!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehehhehehe obrigado Camilinha, eu também me sinto hontado em ser o seu redator!

      Excluir
  3. Super curioso pra ler esse livro Quando estiver pronto me avisa.

    ResponderExcluir
  4. Dezinho, ficarei torcendo para que tanto vc, quanto a Camila consigam concluir seus projetos! rs. Ah, fiquei interessada em saber mais sobre o "trezoitão"!!!!!!!!!!!!!

    Depois dê uma passadinha lá no Umas e outras. Gostaria de, se possível, ver sua participação num desafio que apresentei. É só responder nos comentários mesmo... Rápido e fácil. bjks em todos aí... principalmente no pequeno Samuca. :)

    JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  5. Pois é ... a gente descobre tanta coisa !
    Uma das coisas que nao imaginava era o quanto este meu irmao Andre era capaz de surpreender pessoas e leva-las aos mais diversos mundos que por nós mesmos nao conseguiríamos !

    Parabens meu irmao !
    Com certeza Deus dá este talento a pessoas certas . . .
    ( Ele realmente sabe o que faz )
    Estou certo de que irei saborear cada palavra deste trabalho .
    Continue .. continue .. continue ... continue , quando se cansar ,
    continuaremos ... continuaremos ... continuaremos ...


    Grande abraço a voce e aos seus !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehehehehehehe esse é meu irmão!!!!!!

      Excluir
  6. André, que legal isso! E fico imaginando como será legal te ler! Tenho certeza que criaste figurinhas maravilhosas...A começar pelos nomes,rs abração,lindo dia das crianças pro Samuquinha...chica

    ResponderExcluir
  7. Nem todos dão conta de escrever algo maior, essa que é a verdade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É... Mas se a pessoa for uma boa leitora e com um pouco de vontade e incentivo... Aí vai!

      Excluir
  8. Ótimo texto, André. É isso mesmo, os personagens ganham vida própria. Num conto do Jostein Gaarder(autor do best-seller "O Mundo de Sofia"), os personagens ganham vida e acabam por contrariar por completo o autor.

    Quando eu era adolescente eu era um "bom escritor". Escrevi muitos cadernos com príncipes, agentes secretos, Super-herois...mas depois cresci e comecei a achar muito difícil tudo isso. Quem sabe lendo esse teu post eu não me animo outra vez. Mas o talento é indispensável: uns tens outros não...rsss

    bom saber. espero ler o teu livro.

    abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deixa de preguiça Dudú! E vamo embora escrver!!!!!!

      Excluir
  9. Oi amigo,

    Tudo bem? Fico feliz que o livro esteja ganhando todos os contornos literários, inclusive a dedicação aos personagens. Estou na torcida pela brevidade da publicação!

    Beijos e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  10. Olá!Boa noite!
    Dedé, meu amigo!
    ...foi uma novidade ,para mim, esse seu projeto.Ficarei no aguardo da publicação!Ansioso pelo "trezoitão e sua morte digna".
    e... é verdade!Apesar que não sou escritor, mas percebo que que ao criarmos um personagem refletimos nela todas as nossas expectativas. Ela pode até não combina conosco, não se encaixar em nossas vidas, mas a convertemos em tudo aquilo que esperamos e criamos um vínculo, uma dependência de uma pessoa "inventada"...
    Boa sorte aos dois!
    Obrigado
    Ótimo final de semana!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahhahahahahha, não vou matar ele não caramba! Hahahahahhahaha você vai rir com ele quando o livro sair!

      Excluir
  11. Estou certa de que seu livro será ótimo. Você tem imaginação e já demonstrou, aqui no blog, que sabe criar personagens muito interessantes. Vai brincando e desenvolvendo o que deseja narrar. Estarei na torcida!!!! Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Oi André:
    Então está terminando um livro? Que legal!
    É engraçado, mas eu também às vezes penso em escrever um, só que seria de crônicas, pois não tenho um enredo na cabeça. Tenho muitas idéias sempre em ebulição, mas me falta tempo...
    Diz aquele ditado para para sermos completos devemos: ter um filho, plantar uma árvore e escrever um livro. Vc já plantou a árvore? rsrsrs
    Quanto ao seu livro, acho que é normal se apegar aos personagens, pois cada um é parte de vc também!
    Parabéns meu amigo! Estarei esperando ansiosa para lê-lo!
    Que Deus o abençoe
    Adelisa.

    http://adelisa-oquerealmenteimporta.blogspot.com.br/,


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehehehe estou terminando a terceira etapa!

      Excluir
  13. Então André, estou em dívida contigo porque ainda não tive tempo de ler os últimos capítulos da sofisticada, inteligente e dramática historia que esta cabeçona maravilhosa e brilhante, cria.
    O treizoitão era forte provavelmente por isso quase te dominou.
    Isso me fez lembrar do cartunista Angeli que teve que matar a rebordosa dentro da banheira porque já estava se tornando refém daquela escrota da boca do lixo.
    Ele disse que foi muito doloroso para ele dar um fim no personagem.
    Um abraço e assim que eu ler os últimos capítulos darei meus pitacos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Tiugo! Meu primeiro leitor!

      Excluir
  14. Oi André
    Que legal seu projeto do livro. Tá mais que na hora de vc escrever um livro mesmo, vc escreve muito bem. Estou aguardando o lançamento!
    Obrigada pelo carinho no meu blog e pelos conselhos que um padrinho dá a uma afilhada.
    Bjão. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  15. Bicho, fico orgulhoso por ti, peço perdão por não ter lido todo o capítulo que vc me enviou, é pq estou estudando pra um concurso é meu tempo tá escasso, mas te conhecendo e te acompanhando, com certeza virá um material muito bom e criativo, fico na torcida e Deus vai te abençoar neste projeto, parabéns mano.

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é malvado Chengão! Eu não te mandei um caítulo, te mandei o livro inteiro até aquele ponto! Malvadão!!!!!

      Excluir
  16. André, como um autor acaba se tornando Deus ao escrever. Veja que no seu caso isso fica bem evidente. Você se viu apegado a um determinado personagem, assim como Deus é por nós. Muitas das vezes, apesar de tudo, ele nos dá um final digno, diante de tudo que traçamos aqui. Você deu um final assim para o seu personagem. Resumindo; um autor é o Deus de seus personagens. Estou na espectativa por esse livro. Sucesso amigo, grande abraço.

    ResponderExcluir
  17. Teu entusiasmo ao falar do personagem me deixou curioso em relação ao seu livro. Espero que você o termine logo e que você possa encontrar rapidamente um editor que reconheça seu trabalho e lhe abra portas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também espero isso Brunão!!!!

      Excluir

  18. Olá André,

    Que ideia bacana esta do livro.
    Interessante conhecer os sentimentos de um escritor ao criar e conduzir a vida de seus personagens.
    Espero que este seu projeto seja um grande sucesso. Vou adorar ler o livro.
    Ótimo final de semana.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  19. Olá André,
    Cara, parabéns pela iniciativa! Tenho certeza que por sua criatividade e inteligência, além do auxílio da Camila, esse livro será muito bom e já estou na lista de espera para ler! Estou aos poucos escrevendo o meu, mas pior do que obra de igreja, devagarzinnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn, rsrsrsrrsrs... Mas sei como é muito bem o fato de nos envolvermos com um personagem assim como você com a cria "Treizoitão"... Aconteceu algo parecido quando fiz intensas pesquisas para a minha monografia, mas isso é outro papo! Mais uma vez parabéns e estamos esperando hein?

    Abração! Flávio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehhehehehhehe acaba seu livro logo aí então Flavico!!!!

      Excluir
  20. Legal! Você leva jeito mesmo para escrever, digo isso porque você escreve muito bem e tem ótimas idéias.
    Eu já tentei escrever um livro quando eu tinha meus 15, 16 anos.Eu adorava escrever! Eu inventava umas histórias meio malucas, mas nunca chegava no final, eu sempre acabava desanimando.E acabei descobrindo que eu gostava mesmo era de apenas fazer o "esboço" da história, agora passar para o papel de vez, linha por linha, palavra por palavra de um modo a persuadir o leitor a chegar até o final, era complicado... Quando eu era adolescente, meu sonho era escrever um livro.Hoje, essa idéia nem passa pela minha cabeça! Simplesmente não tenho mais a paciência e criatividade de antes.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!