domingo, 21 de outubro de 2012

Anjos

De tempos em tempos eu posto esse texto. Já faz quase um ano que eu o postei a última vez foi dia 25/12/2011 e infelismente ele continua atual. Acho que meu trabalho e o de todo mundo que se sensibiliza com essa situação é falar, falar e falar sem parar. Quem sabe assim as autoridades um dia tomarão alguma atitude. Então tá aí. Pra quem já leu pode se lembrar e pra quem não leu, tomara que o texto lhe diga algo de bom, mesmo que esse bom venha junto com uma dose de revolta.


 
Zezé era menino.
Menino que não sabia.
Menino que não conhecia.
Zezé era um menino que não sabia de onde veio.
Não conhecia seu pai, era filho de pai sem mãe...
Não conhecia sua mãe, era filho de mãe sem pai ...
Zezé foi criado por uma irmã mais velha. Um ano mais velha. Marcia era o nome dela.
Comiam os restos das latas de lixo, dormiam debaixo da ponte, se cobriam com jornal, cheiravam cola e fumavam bitucas de cigarro.
Um dia acharam o corpo de Marcia num matagal, comida pelos vermes e pelos humanos.
A policia achou normal, afinal, era só uma menina de rua mesmo...
Zezé prosseguiu sozinho. Já tinha quatorze anos e uma mulher! Carol.
Carol, que já tinha treze anos. A oito meses grávida...
- Que legal, eu vou ser pai!
E foi!
Comiam os três restos de lixo, comida roubada ou ganhada, o mercadão jogava muitas verduras fóra.
Carol, desnutrida, não tinha muito leite, e quem tinha não dava. Afinal um centavo valia muito falou o presidente!
Um dia a polícia entrou no cafofo. Cafofo era a casa de Zezé, e de Jão, Zé, Cráudia, Alê, Xixa, Carol e mais um monte de moleque de rua.
Cheirador de cola!
- E esse nenem? - Falou o policial - vamos levar pro juizado!
- Meu filho não! - Falou Carol.
- Vai ele e você!
Carol se atracou com o policial que queria tirar o nenem do seu colo, e os outros moleques entraram na briga, foi uma confusão. De repente um dos policiais puxa a arma e atira!
Legítima defesa ele afirmaria no processo.
Zezé que já tinha visto muita coisa nessa vida, viu sua mulher e seu filhinho cairem no chão...
O tiro atravessou os dois.
Zezé matou um dos policiais a pauladas!
Mais polícia chegou, a televisão chegou, as pessoas chegaram... Mais policia chegou, mais televisão chegou, Os moleques foram presos!
Hoje Zezé está preso... Deflorado, surrado, usado, pisado...
Ele sonha com o dia em que vai sair da cadeia para menores infratores...
Legal né?
Ele sonha...
Afinal ele é criança, que sonha antes de dormir, afinal ele é criança e sonha com fantasias de criança... Criança de quinze anos...
Que sonha acordado!
E sonha com dias melhores... E sonha com os Anjos!

37 comentários:

  1. Já havialido esse teu texto.
    Triste e realista numa medida assustadora! Quantos Zezés precisaremos para aprender né?!

    ResponderExcluir
  2. Olá!Bom dia!
    Dedé, meu amigo!
    Atual...bem atual...
    ....história dramática, com nome, de uma criança a quem está sendo roubada a vida e a felicidade . Muitas vezes só sabemos através de números. Crianças impedidas de irem à escola para trabalhar e sem condições de satisfazer as suas necessidades básicas, de higiene, alimentação, educação, saúde, amor e carinho,que não podem crescer de um modo saudável.Precisamos de um Estado Humano e e, se isso não for possível, talvez não precisemos deste Estado, fadado ao poço sem fim da indiferença...
    Obrigado
    Boa semana!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Felisão, também penso assim!

      Excluir
  3. Foi legal reler e pior que nada mudou, realmente., Tudo igual nas terras de Cabral,sr Pena!! abraços, linda semana,chica

    ResponderExcluir
  4. Oi André, tem como você me linkar novamente no seu blog?
    www.piratarockk.blogspot.com
    Obrigado e abraços.

    ResponderExcluir
  5. Pena que nossa justiça com seus tentaculares braços só alcance os pobres e miseráveis.
    Pena que nossa esfarrapada e mulambuda colcha de retalhos que se chama constituição, remendada e costurada com linha podre para os poderosos e inquebrável para os miseráveis foi construída por aqueles que podem pagar para usa-la em seu beneficio e que precisam dela a todo momento para proteger seus roubos, suas mazelas e corrupção.
    Pena que aqueles que mais deveriam enxergar estes argumentos estão encurralados.

    http://odia.ig.com.br/portal/brasil/minist%C3%A9rio-p%C3%BAblico-da-bahia-investiga-tr%C3%A1fico-de-crian%C3%A7as-no-estado-1.504859

    ResponderExcluir
  6. E assim quantas pessoas se vivem por ai comendo "resto" dos grandes?
    A espera de dias melhores...
    Vivendo de migalhas enquanto essa corja rouba...
    Mas André... eu acredito fervorosamente que da justiça de Deus ninguém escapa!
    òtimo texto!
    Beijos amigo!
    Mariangela

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Mary! Pessoas vivendo as mínguas por aí! Mas Deus vai fazer a justiça no final!

      Excluir
  7. Desculpe os errinhos sem querer!!rsrs

    ResponderExcluir
  8. Meu amigo André, de fato, um texto sempre atual... e maravilhoso, daqueles que agente arrepia ao ler. peço sua licença pra publicá-lo no meu blog, com seus créditos, obviamente, e o link, pra que possam ver o quento seu blog é maravilhoso!!

    ResponderExcluir
  9. André meu caro. É por isso que lá no blog fiz questão de falar da revolução da comunicação na internet. Você e seu espaço aqui são o que eu entendo como sendo objeto desse contexto de revolução da internet. O texto brilhante que acabei de ler não saiu da cabeça de nenhum grande nome da grande mídia, saiu da mente de um cara que, como muitos, estão na internet contribuindo para a comunicação de algum modo. A propósito, esse texto é uma rica contribuição. A realidade narrada no diálogo presente nesse texto, ainda é atual meu caro André e, infelizmente, me parece que continuará ainda sendo. Nenhuma política pública de segurança terá êxito se não cuidarmos das crianças de hoje, que ao contrário disso, poderão ser os criminoso de amanhã. Todos nós, de algum modo, somos culpados disso, governo e sociedade. Falar disso e colocar para que todos tomem conhecimento é uma forma de não sermos omisso a isso. É exatamente o que você fez André. Falou do assunto e nos convidou a participar dele também. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Belo comentário meu amigo! Obrigado!

      Excluir
  10. Oi amigo,

    Tudo bem? Fiquei triste com a leitura do texto, pois é uma realidade que mora ao lado. Lembrei do mendigo-gato, sucesso essa semana nos jornais, que por ser lindo e de olhos azuis, ganhou fama. Mas qual seria a razão do Brasil continuar a ser um país preconceituoso? Se o mendigo fosse feio ou mais escuro poderia passar a ser mais um. Enfim, um país que não atende os direitos de subsistência.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos fazer essa tristeza virar palavras e trabalhar com elas Lú!

      Excluir
  11. Oi André
    Nossa, esse texto me emocionou. Sério! Quase chorei, porque pensei nos meus filhos e no conforto que eles tem. Por mais que eu tenha convivido por anos com histórias como essa que vc narrou, nos processos que eu trabalhei, eu nunca me acostumo com isso. Belo texto, como sempre!
    Bjão. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa Lú! Vc é uma menina legal!

      Excluir
  12. Soco na boca do estômago, é essa a sensação quando se entrega a essa leitura. Acho, infelizmente, que você o postará daqui a dez anos estará atualíssimo. Que pena!

    Ainda assim, triste e duro, é lindo.
    Obrigada por ter ido lá, André.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Mansim!

    teu texto reflete infelizmente a condição de tantas crianças em nossas cidades. Quando será que vão entender que miséria não se combate com cadeia e repressão? Aqui no Rio o profeito Eduardo Paes está retirando as crianças viciadas em crack das ruas e levando-as para abrigos e decretou também que os adultos sejam recolhidos mesmo à força. É uma medida interessante. Quem recolhe é o serviço social e a polícia vai junto só para dar apoio. Mas infelizmente, os abrigos da prefeitura ainda não estão preparados para tratar e dar dignidade a essas pessoas e muitos poucos conseguem se recuperar.
    Mas vamos sonhar(e exigir!!) que um dia as prefeituras terão lugares dignos, que de fato irão recuperar e humanizar essas vítimas da miséria e da violência. Assim também como as cadeias de todo país precisam de um choque de humanidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Dudú! Obrigado por aparecer sempre!

      Excluir
  14. Oi André!
    Pois que crônica linda, pode-se dizer uma crônica? Me corrija se estiver errada!
    Então, é super verdadeira, a realidade desse país injusto! Eu não tinha lido esse texto ainda, e acho bacana você frisá-lo mais vezes, só assim para algumas pessoas acordarem e se revoltarem! Os polícias "matam" por legítima defesa sem se importa com os sentimentos dos outros... cheirador de cola não é bandido, eles não tiveram escolhas melhores nesse mundo! E pior, ainda tem pessoas que se passam de mendigos para ganhar dinheiro... e aqueles que precisam ficam na pior, se morrerem ninguém se importa, se forem presos muito menos. São crianças sem pais, sem ninguém, que não tiveram a chance de ser criança de verdade!

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Crônica meio poema, hahahaha. Mas de fundo de protesto!
      Obrigado por vir Leticia!

      Excluir
  15. infelizmente isso ainda é realidade e vai continuar sendo realidade por um bom tempo...

    ResponderExcluir
  16. Todo dia nasce um Zé, morre um Zé.

    Ninguém.

    ResponderExcluir
  17. Bem profundo esse texto e muito verdadeiro! Triste realidade que ainda insiste permanecer entre nós. Grande abraço!
    jorge-menteaberta.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Jorginho, obrigado por vir!

      Excluir
  18. Meu Deus André. Foi a primeira vez que li o texto e fiquei horrorizada. Sou católica, acredito em Deus, mas por vezes tenho dificuldade para entender os designios do Senhor em casos como o que relata.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não se horrorize Elvira! É a realidade aqui deste lado do oceano!

      Excluir
  19. Ola irmao !

    Triste a historia de Zeze , Bela a dos Bombeiros
    Que Deus nos encoraje a sermos os bombeiros que apagam os incendios que avassalam tantos Zezes nesse mundo afora .

    Belo trabalho !

    Abracao

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!