segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Olhar de cinquenta anos

Sabrina, Jonas, Augusto Cesar e Priscila entraram pelo salão de festas trazendo o bolo de bodas de ouro do vovô Valter e da vovó Soraia. Os velhos esperavam o bolo chegar, rodeados pelos filhos e amigos, que cantavam “parabéns pra você”. Uma lágrima escorreu pelo rosto da “vovó Sosô” e do “vovô Vartinho”. A cinquenta anos atrás eles nunca imaginariam que um dia chegariam a um momento desses.
Em 4 de agosto de 1952, Soraia era uma linda jovenzinha que trabalhava no mercadinho de seu “Manoel português”, um homem bom como patrão, mas muitíssimo exigente com seus funcionários. Soraia estava pesando um quilo de feijão para uma cliente, quando Valter entrou pelo mercadinho apressado para comprar batatas.
- Seu Manoel! – Falou Valter num só fôlego. – Me dê um quilo de batatas meio rápido, porque já está quase na hora de eu ir pra escola e minha mãe ainda não fez o almoço.
- Olhe garoto, vais ter quê spêrar a sua veixz! Purquê tem umas pssoas qui chigaram em vossa friente!
Soraia olhou para Valter com cara de poucos amigos... Ela detestava esses apressadinhos que vinham tumultuar o seu serviço.
Em 3 de setembro de 1953, Soraia esperava o ônibus para ir ao cinema encontrar seu namoradinho novo, um rapaz loiro que tinha os olhos mais azuis de todo o mundo! Perdida em pensamentos ela nem notou quando Valter sentou-se ao seu lado no banco do ponto de ônibus e começou a folhear um gibi do “Cavaleiro Solitário”. Os dois entraram no mesmo ônibus e mais uma vez sentaram-se lado a lado, até chegarem à porta do cinema. Soraia logo encontrou o rapaz loiro e Valter logo encontrou seus amigos que foram até ali pra trocar gibis e dar uma paquerada nas meninas.
Em 23 de maio de 1954, Soraia passeava com sua amiga Gorete pela praça da catedral, quando Valter passou em sua bicicleta olhando para Gorete, que era a menina mais linda da cidade.
Valter descuidou-se com os olhares e nem viu o banco da praça! Foi um capote só! Sorte que Valter caiu dentro do chafariz e apesar de ter se molhado todo, não se machucou além de uns arranhões.
Em 17 de janeiro de 1957 Valter discutia com sua namorada Ermínia sentado num banco da praça do coreto, enquanto Soraia namorava Arlindo num banco ao lado. A discussão de Valter se elevou tanto que Ermínia deu-lhe um tapa no rosto. O estalo foi tão alto que no banco ao lado Soraia e Arlindo até se assustaram! Quando olhou para ver quem tinha apanhado, Soraia só viu um rapaz indo embora com sua bicicleta por entre o jardim.
Em 22 de dezembro de 1959 Soraia estava junto com as meninas da igreja, passando de casa em casa fazendo uma coleta para montar cestas de natal para pessoas carentes. Ela bateu numa casa e a dona saiu muito brava, falando que não tinha nada para ajudar e que já estava cansada de pessoas enchendo o saco em seu portão. Valter passava pela rua e vendo o destempero da mulher, parou sua bicicleta e entrou no assunto defendendo a “menina da igreja”.
- Dona Rute! – Falou Valter em alto e bom som. – Isso que a senhora está fazendo não é legal! As meninas da igreja estão tentando fazer uma boa ação! Se a senhora não quer ajudar é só falar que não e fechar a porta, não precisa falar besteiras pra menina.
Foi a primeira vez que Soraia encarou os olhos de Valter. Ele era um desconhecido pra ela e ela era uma desconhecida pra ele.
Hoje, mais de cinqüenta anos mais tarde, os dois velhinhos se abaixaram para apagar as velinhas de cinqüenta anos de união. Ela encarou os olhos de seu velho e se lembrou desse dia em que ele a defendeu. Os olhos eram os mesmos, e a pessoa por trás deles também.
Novamente ela se encantou por aqueles olhos...
Jovens olhos.
Olhos de cinquenta anos...
Do amor de sua vida!



32 comentários:

  1. Que post bonito amigo.
    Sabe estou com 45 anos de casada e quatro de namoro. O que dá quase 50 anos. E milhares de recordações. E sabe o mais curioso? Meu marido viu minha irmã e se encantou por ela. Um colega lhe disse que minha irmã era muito arisca não queria saber de namoros, e nem dava "trela" a rapazes.
    Trela naquele tempo era conversa. Também lhe disseram que eu era muito diferente. Então ele veio ter comigo para se fazer meu amigo e assim ter possibilidade de conhecer a minha irmã e quem sabe namorar com ela. Pois bem, ficamos amigos, eu lhe apresentei a minha irmã, que não lhe ligou nada. Ficamos amigos começámos a trocar ideias, e três meses depois chegávamos à conclusão que eramos almas gémeas. Foi nos finais de 63. E continuamos a pensar assim até hoje.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo Elvira! É disso que eu estou falando nesse texto! Do verdadeiro amor e companheirismo!

      Excluir
  2. Algumas coisas nunca mudam, outras mudam e muito. Mas o tempo não dês intensifica um sentimento verdadeiro.

    Nossa! André, quantos "meios que" encontros e desencontros entre Soraia e Valter. (risos)
    Ou melhor: da vovó Sosó e do vovô Vartinho.
    Gostei muito! E achei bem divertido.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. Dedé, meu amigo!
    Lindo esse texto!
    E nos altos e baixos de uma relação, se é amor mesmo, o amor verdadeiro, ele entra e sai estação e é para sempre, mesmo que as pessoas mudem, porque todos mudamos, mas na essência, nesse olhar..., tudo fica igual como se parasse no tempo.
    Abração ao povo daí!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falar de amor é sempre lindo né Cissa! Obrigado por ser parceirona aqui do meu blog!

      Excluir
  4. Olá!Bom dia!
    André...amigo...
    ...vendo os desencontros iniciais , antes dessa união de 50 velinhas,de Vovó Sosó e vovô Vartinho me lembrei dessa:
    "Mil voltas o mundo dá
    Cada coisa em seu lugar.
    O que tem de ser será.
    Basta saber esperar.
    O que é do homem.
    O bicho não come
    O que é da mulher...
    Nem vou falar.
    O amor pode acabar
    Mas pode durar a vida toda.
    É só saber esperar..."
    Visto assim, amar é simples e natural. Relacionamentos, não. Porque envolvem mais do que um sentimento, dependem também de convivência, de autoconhecimento, de companheirismo.. Um amor em que a gente se mostre e se aceite sem disfarces. Que se baseie na amizade e no qual cuidamos de nós tanto quanto do outro. Um amor, para somar e não para preencher o vazio.Não economize respeito, cumplicidade, companheirismo e amor...
    São os alicerces que sustentam e fortalecem qualquer união!...Parabéns!
    Obrigado pelo carinho da visita!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahha valeu Felisão, obrigado pelo comentário! Seus comentários são sempre muito bons!

      Excluir
  5. Que lindo e emocionante...Dentro de mais uns aninhos, Kiko e eu estaremos assim( já quase 44 de casados)...

    Adorei esse olhar deles.Lindo!! abração,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu quero ser convidado pra essa festa!

      Excluir

  6. Que coisa mais linda, André! Fiquei aqui emocionada com este amor lindo.
    Que final mais doce!

    Gostei demais!

    Tenha uma ótima tarde.

    Abração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Verinha! Gostei de vc ter se emocionado!

      Excluir
  7. Dezinho... tão poucos romances têm esse final, né!? Bom quando duas almas se encontram e continuam juntas por tanto tempo, com muito amor! As mudanças eu acredito que aconteçam com todos, pq com o passar dos anos elas são inevitáveis...

    Gostei demais!!!

    Abção! :)

    JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Jó! Obrigado por aparecer!

      Excluir
  8. Cara, hoje postei um pequeno post comemorando meus 7 anos de relacionamento com minha esposa, e chego aqui e leio isso, ai é lasca, tu quer que eu chore mesmo, kkkk. Num relacionamento, principalmente de longa data, muita coisa muda, e até o amor, que deixa de ser cego, no princípio, para se tornar racional. Belo texto.

    Abração pra ti. E ótima música do Ira! Essa é do segundo disco, Vivendo e não aprendendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E daqui a 43 anos, vc lê essa postagem pra Michel, hahahahahaha.

      Excluir
  9. Mas que lindo Andre, me emocionei, eu desejo ardentemente fazer meu amor durar assim cinquenta anos, sempre tendo um olhar apaixonado pelo meu maridão .
    Amei o texto, sou romântica demais *.*

    Beijos

    Vivi
    Razão e Resenhas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando o desejo é verdadeiro o sonho vira realidade!

      Excluir
  10. Oi amigo,

    Tudo bem? Gostei do texto e, claro, da linda história de amor. O tempo passou e o amor ficou para o tempo e não no tempo.

    Beijos em ti e no Samuquinha.

    ResponderExcluir
  11. Que linda historia de amor.
    Acho que ha o tema esta no ar na blogosfera... vi varios blogs falando disso... inclusive o meu kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hehehehehehhehehehehe tá vendo Camilinha!!!!!

      Excluir
  12. Bom dia meu amiguinho querido!!!!!!!
    Por esses dias estive falando muito de ti,eu e uma pessoa que vc admira de montão...passa no meu blog e mata a charada,rsrsrsrsrs
    Seus textos são a demonstração de uma pessoa inteligentíssima da qual eu gosto muito de ler.Falar de amor nos deixa mais centrado na leitura...eu como estou me preparando para nesses 5 anos chegar nas bodas de ouro,que tenho para acressentar diante do que li,rsrsrsrsrs
    bjsssssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahaha obrigado Severinha! Tomara que tenham falado bem de mim, hahahahahahhahahaha.

      Excluir
  13. Oi André
    Não sei se essa história é ficção ou realidade, do jeito que vc contou parece até real, de tão bem escrita, mas o fato é que os relacionamentos hoje em dia são muito superficiais, infelizmente, como tudo, graças a Deus, tenho um ótimo companheiro que aguenta uma bipolar kkkkkkk, já cheguei nos 17 anos, fora os 7 de namoro, espero também chegar nos 50, se Deus permitir, e o Marcos me aguentar kkkkkkk.
    Bjão meu padrinho de blog. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah ele vai aguentar sim Lú! Fique tranquila!

      Excluir
  14. Olá meu caro!
    Nossa, que história de tirar o fôlego!
    Hoje infelizmente perdemos uma das coisas mais interessantes do amor: o romantismo. Acho essas histórias simplesmente bárbaras, indo da paquera até a bobice total, quando no caso ele cai de bicicleta e toma um banho no chafariz! E quando ambos trocam olhares surge então um momento todo especial, pois somente eles vão entender na totalidade aquele gesto!

    Muito bom cara!

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahaha obrigado Flavão!

      Excluir
  15. Olá!Bom dia!
    André...meu amigo!
    agradecendo o carinho dedicado ao meu blog e desejando um ótimo final de semana
    ( agora com PH.Ganso)...
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É Felisão! Agora vamos ver quando ele estréia e as condições físicas em que ele está!

      Excluir

  16. Olá André,

    Obrigada pelo carinho da visita.
    Um lindo dia para você e um excelente final de semana em família.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  17. André, você e sua capacidade de me emocionar com seus textos...
    Achei muito bonita a história e muito interessante a forma com que você narrou os desencontros entre eles até o momento em que se olharam nos olhos. Ainda sou dos românticos que acreditam que o casamento pode durar para sempre ainda que não seja um mar de rosas. O que determina se um amor é verdadeiro ou não, não é o tempo que a paixão inicial permanece acesa, mas a força que tem para se reerguer das tribulações e de cada um dos percalços, pelos quais passa...

    http://sublimeirrealidade.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!