domingo, 25 de setembro de 2011

Homens, cães e a vida

De vez em quando geralmente aos domingos eu re-posto alguns textos que gosto e que ficaram lá atrás na estória do blog. Acontece que meu amigo Marcel do blog: http://vemaquinomeublog.blogspot.com/  tem o personagem Fido que sempre desenha por lá. Ele me pediu para desenhar uma tirinha do Fido e extamente esse texto foi o que me inspirou. Ontem acabei a tirinha e mandei pra ele que está esperando outros desenhistas mandarem seus trabalhos para fazer uma edição especial do Fido, enquanto ele não publica eu trago pra vocês esse texto... Será que vocês conhecem alguém parecido com esses personagens da vida canina?

Eu tenho uma cachorrona gente boa que se chama Frida, essa mesmo das fotos. Acontece que a danada é um amor de pessoa quando se trata de uma outra pessoa (gente) ou quando é com um gato, porque eu acho que ela pensa que é um gato, pois quando ela chegou bebezinho eu já tinha uma gata siamesa a Menininha que na época tinha 15 anos, infelizmente ela morreu em janeiro, foi muito triste.
A Menininha ensinou várias coisas a Frida, o mais engraçado é ela se lamber inteirinha igual a um gato tomando banho, ela fica com a boca cheia de pêlos e com a lingua inchada de tão grande que ela é, demora uma hora se lambendo.
Mas não é sobre isso que quero falar aqui.
Eu venho notando que a Fridona (que sempre detestou outros cachorros, porque como um gato que ela acha que é, ela briga e corre atraz dos caninos vizinhos e late tanto quando eles passam na rua que chega a espumar a boca de raiva), quando está no cio muda radicalmente de temperamento e gostos.
Engraçado que os cachorros que ela tanto odeia, passam a ser amiguinhos. Ontem eu peguei ela de focinho encostadinho com o Duque, o cachorro da dona Arlete minha vizinha, e o pior é que ela estava de rabinho balançando toda alégrinha .
Lembrei de algumas meninas que já vi falando que homem não presta, que quer ficar sózinha e virar titia, mas quando a solidão aperta, uiuiuiui, cada trombolho que vira principe da noite pro dia!
Eu saí para ir até a padaria, e mais a frente olha o Duque namorando a Pretinha uma vira-latas feia pra caramba que pertence ao seu Juvenal. Eu pensei: - Olha só, esse Duque tá parecendo aqueles caras que tem uma mulher muito boa e bonita em casa, mas que sai por aí traindo a mulher com cada baranga que dá dó. Quando voltei da padaria, olha a Frida namorando o Paquito, um cachorrinho miudinho, que nem se subir na escada vai dar conta dela! Mas a coisa tá fácil mesmo, todo mundo aparece aqui no portão e acha que pode ser meu genro? Póde parar!
Toquei o Paquito que saiu correndo de medo e falei pra Frida: - A senhora tá parecendo mulher fácil que namora todo mundo por aí , e esses seus namorados estão parecendo um bando de cornos!
Sabe, a Frida ainda é uma menina virgem, porque ela não sai pra rua quando está no cio, mas se um dia ela aparecer grávida, aí eu é que vou parecer aqueles pais que são os ultimos a saber das coisas!
Como a vida é engraçada, a gente é humano e em momentos tomamos emprestado as atitudes dos cachorros, só que eles tem a desculpa do cio né, e a gente ?

16 comentários:

  1. Lembro dessa crônica e da Frida, Menininha, Duque.... Legal.Valeu reler ! Ótimo domingo,abraços,chica

    ResponderExcluir
  2. Minha cadela também é menina-moça, rs.

    Cachorros são certos seres humanos que conheço neste mundo-cão.

    ResponderExcluir
  3. O que me faz pensar em personificações literárias de humanidade contida nos cães ficcionais: Katchanka, de Tchecov; Quincas Borba, de Machado de Assis; Argos, o cachorro que não esqueceu o cheiro de Ulysses/Odisseu, na Odisseia, de Homero; a cadelinha Baleia e o São Bernardo, ambos de Graciliano Ramos; também não posso esquecer de uma versão canina contida em um belo texto do russo, Gogol... Enfim, os exemplos são infinitos, mas a Frida, sob o olhar de nosso Andresão acabou vindo junto nessa gama de cachorros literários, pois ela é tão platônica para mim quanto qualquer outro da ficção, uma vez que não a conheço, mas, lendo os relatos, acabei afeiçoando-me a ela também...
    Abração, amigo!!!

    ResponderExcluir
  4. Bicho, deve ser uma comédia ter uma cachorra e sair por ai vendo ela ser cortejada pela cachorrada, kkk. Ficou maravilhoso esse teu desenho Dedé, parabéns, gosto do blog do Marcel, na verdade faz um bom tempo que não pinto por lá, mas vou alicercar sim os vinculos com ele.

    Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  5. kkkkkkkkk... problemas caninos também tornam-se problemas nossos, NORMAL!

    Eu não tenho mais cachorro, mas o fictício Fido é um verdadeiro cão pra mim!!! Quando o desenho conversando com alguém, é como se eu me imaginesse ali conversando com ele.

    A vantagem que ele é tão respeitador, que não faria essa canalhice com a sua Frida, André... hehe.

    Abrs,

    ResponderExcluir
  6. Este conto me lembrou uma amiga.

    O vacinador chegou ao portão e gritou: _Dona vc tem cachorro?
    Ela respondeu:_Tenho, está trabalhando.

    É a vida uns chamam xero,outros amor....

    ResponderExcluir
  7. Mas, essa crônica é muito bacana!
    Adorei a alisão entre homens e animais. - rs

    Abração,

    Rodrigo Davel

    ResponderExcluir
  8. Ah..tadinha da Frida...Deixa ela namorar quem ela quiser owwwwww

    bjkas..bom final de semana!1
    Adorei sua cronica..como sempre..

    ResponderExcluir
  9. Andre, adorei esse texto da primeira vez q eu li!
    ashusahuasuhhaushuaahus
    Fiquei imaginando tu dando lição de moral na Fridoka!
    kkkkkkkkkkkkkkkk
    Ai ai!
    Prefiro os animais do que certos Humanos! ^^
    Abraços, Andre \o

    ResponderExcluir
  10. Dedé, tudo bem?
    Eu já tinha lido esta crônica, o que significa que já te leio a um certo tempo! (suponho)...
    é nossa Fridona aprontando! rsrsr
    Abração, amigo!

    Ri muito do teu mico por lá! rsrs

    ResponderExcluir
  11. Ô André, deixa a Frida ser feliz! rsrs
    Adorei o texto!
    bj,

    ResponderExcluir
  12. Bom dia meu amigo !
    Estou triste!Muito triste...me diz se levo jeito para ser triste...mas estou...estou sim...muito triste...andam dizendo por ai que meu blog está com vírus...SOCORROOooooooooooooooooo
    Me diz o que que faço...não entendo nem de virose,imagine vírus,kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    estou rindo,mas por traz do riso estou chorando,shuáshuáshuá,me diz o que faço sem os meus amigos?
    bjs de bom dia!

    ResponderExcluir
  13. Olá André,
    Desse jeito, logo você será vovô (rsrsrsrs).
    É melhor ficar de olho na Frida, afinal ela ainda é bem inocente e vão acabar abusando dela (rsrsrs).
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  14. André o/
    Valeu por ter curtido os cosplays!
    Ah e você recebeu o mail que te enviou sobre o link pra proteger os textos ddo blog?

    Sério cara..eu adorei voc~desabafando suas preocupações acerca da Frida...sério, ela é ainda uma menina jovem, pura, casta, púdica....não pode ficar entregando a virgindade dela pra qualquer mané não só porque acha que está na adolescência e deve fazer tudo...é preciso ter consciência pra depois não aparecer com vários projetinhos caninos bastardos...
    Apresente á ela bons partidos de pedigree..tipo, um Dogue Alemão bonitão, um Pit Bull fortão, um Dobermann responsável, um Pastor Alemão da polícia (renda estável), ou um Husky Siberiano modelo...
    bjs

    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Pois então André, como é bom ter cachorro, gato...A vida sem animais deve ser uma chatice pura. Sabia que amo a Frida mesmo sem conhecê-la? Beijos a vc e a ela.

    ResponderExcluir
  16. André, cuidado que a Frida pode fazer uma cachorrada!! rsrs
    Adorei :)
    bjokitas mil.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!