terça-feira, 12 de abril de 2011

As shakesperianas

Estava eu aqui no meu serviço, de mal humor (o que é raro), com o corpo ruim, doendo tudo o que podia doer, do fio de cabelo (se eu tivesse), até o dedão do pé (dedão eu tenho) por causa de umas "ites", que eu só fui descobrir ontem porque dei o braço a torcer e fui ao médico depois de ter gastado (burramente) mais de 80 reais na farmácia com remédio pra gripe... Aí o doutor me disse que eu não estava gripado e sim com sinuzite, renite, faringite, otite, laringite e chatite causada pelo mal-humorzite, ele me deu dois remédinhos e hoje eu já estou melhorando bastante!
Bom, mas no dia que comecei falar alí em cima, eu estava ferrado, e nesses dias que a gente está ferrado aparece cada um na nossa frente né?
Entraram na loja uma senhora de uns 50 e poucos anos e uma moça de uns 20 e poucos, as duas brancas, brancas, brancas de olhos azuis mais azuis que o olho da Chambinha minha gata, as duas com asroupas impecavelmente passadas, com maquiagem tipo modelo de foto de revista, com umas bolsas daquelas chiques que se juntar as duas deve comprar meu carro e sobrar dinheiro pra dar entrada na minha moto, o vestido da mais velha tinha uns babadinhos iguaizinhos a capa do botijão de gaz da minha avó, mais parecia ser chique e devia ser caro...
Quando eu fui atender as duas a mocinha olhou pra mim e falou: _ Olá rapaz, você pode nos prestar seu atendimento?
Rapaz? Prestar seu atendimento? - Uai que fala estranha - pensei eu, mas tudo bem fui atender as duas...
Depois de algum tempo eu fui para um lado da loja com a senhora e a menina foi para outro lado ver uns revestimentos, e derrepente ela gritou: _ Mamãe! Mamãe! Corra, venha aqui ver como é belo esse revestimento? Rapaz? Qual é o custo dessa peça?
Gente... Que isso? Essa menina parece que saiu de um texto do Shakespeare, parece a Julieta falando com o Romeu... Ou o Hamlet "ser ou não ser... eis a questão..."
_ Olhe mamãe - continuou ela - como ficaria divino esse revestimento no meu toillet!
_ Lindo minha filha, é uma peça de uma beleza clássica ímpar!!!
Ai... Minha otite doeu um pouco mais e deu até umas pontadas...
Acho que deve ser pegadinha do Faustão - eu pensei - essas duas não podem ser reais...
Eu atendi as duas, elas compraram umas coisinhas e foram pagar no caixa, foi quando o "papai" chegou, a menina deu um abraço e um beijo no rosto do papai, e este então perguntou: _ Quem foi que lhes atenteu minha princesa?
_ Foi aquele vendedor papai.
_ Qual deles filhinha?
_ Aquele um tanto quanto calvo...
Ah não... pra mim já foi demais! Depois dessa eu fui embora pra casa porque um tanto quanto calvo é muito pior que caréca... Minhas "ites" aumentaram 100% depois de escutar isso...
Hoje estou de bom humor novamente e resolvi escrever sobre as duas Shakesperianas, acho que se elas viessem hoje aqui eu teria apenas achado graça e não ficado irritado com as melosidades do vocabulário delas, afinal de contas ela não falou nada de errado, muito pelo contrário, elas falavam com sabedoria e correção, a gente é que foi acaipirando o português e botando umas gírias aqui e outras alí, tá ligado? Acho que gostamos de conversar mais informalmente e sem firulas... Mas tá valendo... Acho que hoje até aceitaria estar um tanto quanto calvo... Isso mesmo, até que é legal...
Um tanto quanto calvo! Hehehe!

30 comentários:

  1. kkk pois é André, raramente vemos alguém falar tão cordialmente assim, mas existe, essa é a prova concreta, e nós que as julgamos estranhas neh, sendo que nos os caipiras, viciantes de liguagens formais e brutalmentes informais..
    Gostei do texto, cara
    mt bom mesmo

    Passa la no blog, tem atualização !

    http://essenciaego.blogspot.com/

    abrç

    ResponderExcluir
  2. Oi Dedé...ótimo!!! rsrsrs
    Primeiro, espero que você esteja melhor das ites e obrigada por aparecer lá no meu blog nos momentos decisivos da Xerife rsrsrs

    Mas vejo como positivo. Acho muito bom que tenha pessoas que ainda falem o português correto, mesmo que pareça "um tanto quanto" rsrsrs piegas. Mas é o correto. E elas estavam sendo educadas, o que é correto também.
    Minha filhinha fala todos os "s" do plural, pede, desculpas, diz obrigada, e fala o português melhor que nós, acho isso ótimo. Mesmo que depois, principalmente na adolescência, ela vá perder um pouco isso.

    Abração meu amigo, e melhora, tá?

    http://anaceciliaromeu.blogpost.com

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkk babadinho igual ao da capa do botijão. eurialto. Poxa, eu queria encontrar gente assim... sério.

    ResponderExcluir
  4. Dedé, é meio incomum esse tipo de linguajar, apesar de ser culto e bonito, mas é preferível do que se ela chegasse na loja e dissesse: "Ei maluco, chega ai, quanto é aquela parada ali, pega leve mermão que não tô cagando dinheiro naum, bele?"

    Também com o tempo escrevendo no blog passei a me utilizar mais de um linguajar e escrita mais eruditas, acho bonito, mas depende muito do lugar, se estiver com meus amigos mais chegados lógico que não vou estar com "por obséquio" etc.

    Boa sacada essa tua. Abração, atualizei.

    ResponderExcluir
  5. rsssssssssss...adorei!!!

    E essas frescurites doem nos ouvidos mesmo. É muito forçado e formal.

    imagina se na hora desse uma dor de barriga e tivessem que pedir por um toillet...

    Até terminarem o pedido formal e fresco, se borravam,srsr

    abração para um senhor um tanto calvo!chica

    ResponderExcluir
  6. Oi Amigo Querido!

    Saudades enormes de ti! Quanto tempo sem me divertir e refletir com seus textos!

    Agradeço suas visitas sempre tão carinhosas... mesmo enquanto eu estava ausente!

    Espero que esteja melhor das suas "ites"!

    Beijo doce e grande!

    Sua e sempre Amiga

    Sil

    ResponderExcluir
  7. Nossa, raridade mesmo hj em dia, ein!
    Gostei dos adjetivos que ela usou para se referir a vc rsrsrsrsrsrsr

    Um forte abraço, meu amigo.
    Espero que steja melhor das ites todas! =P

    Te espero lá no blog ;)

    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. "Um tanto quanto calvo é muito pior que caréca..."

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Mas eu ri muito alto aqui, viu!
    ai ai
    Só vc mesmo Andre.
    Beijão meu amigo e Ótima semana.

    ResponderExcluir
  9. KKKKKKKKKKKKKKKKK! Ai, André, lendo aqui até parece que é mentira, essas duas existem mesmo? Eu tento ao máximo falar corretamente, mas desse jeito já é exagero! kkkk ! Eu ri aqui! ;D

    ResponderExcluir
  10. AI ANDRÉ
    TEM COISAS Q SÓ ACONTECEM COM VC!
    ACHO LEGAL FALAR CORRETAMENTE MAS ESSAS DUAS ABUSARAM!
    ABÇ ;D

    http://falandosobreall.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Ah, meu amigo, estou rindo muito, imaginando você, indignado...

    ResponderExcluir
  12. Ola Amigo,

    Passando pra deixa um comentário no seu blog. bancana hein!.

    comenta lá. http://rendamaisweb.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. As 'ites' e o mau humor vão s embora com as 'pílulas e chá de alho’ e a cotovia volta a cantar no raiar do dia.

    ResponderExcluir
  14. Oi André!
    Epa...qual filme sobre Idade Média? Eu acho que falei vários rs. Era o Cruzada? Ou o Balck Death? Eu acho que vc curtiria mais o CRUZADA. É bem mais político e realista além de um final mais 'positivo".

    Um tanto quanto calvo..sério essa eu ri. Mas falando nas duas...realmente esse modo de falar o portugues relativamente correto é bem fora do comum. Das duas uma: ou ~são uma família de professores de lingua portuguesa ou é gentep obre que quer pagar pau de rico vai saber,

    Lembro que na época de colégio particulçar que eu estudava tinha uma menina que, por ser filha de alemães se achava a última bolacha do pacote. Eu também sou descendente de alemães e não suportava aquele nariz arrebitado e empinado dela...
    Fato que essa menina quando estava co a familia em um lugar poúblico só falava em alemão, para se mostrar mesmo. Coitada...ela poderia ser descendente de alemães mas ao contrário, ela não tinha um sobrenome alemão famoso nem descendentes que serviram á SS....
    sabe acho esse pessoal que gosta de se aparecer em lugares públicos lastimável. Na realidade nem devem ser isso que tentam mostrar. Aposto que a bolsa era falsificada lá na feira da madrugada do Brás.

    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    André, será que ue poderia te pedir uma coisa? Será que poderiamos fazer uma parceria de blogs?

    ResponderExcluir
  15. Olá André!
    Me perdoe mas hoje eu estou um tanto quanto sem ter o que escrever...(brincadeirinha!) Mas é sempre assim quando sentimos qualquer tipo de dor nos tornamos mais frageis a tudo, qualquer comentáriozinho é motivo para nos elevar o stress, se contar até dez não resolver o negócio é ir para casa mesmo!
    Amei seu post, linda redação.
    Que seu dia seja lindo.
    Beijokas, Beta de Santana

    ResponderExcluir
  16. kkkkkkkkkkkkk
    muuuuito bom cara!!
    Parabééns ae pelo blog!

    ResponderExcluir
  17. Então André o lance da parceria é simples. Simplesmente eu pego um bannerzinho do seu blog e coloco no meu e vc pega um bannerzinho do meu blog e coloca no seu. Que tal?
    bjs

    ResponderExcluir
  18. Meu amigo "um tanto quanto calvo", estou aqui a lhe dizer que, ora pois, estou a trafegar no mesmo caminho, pois meus lisos pelos da fronte teimam em derrocadas sem fim! :)

    Meu amigo, quanta honra atender as duas portuguesas (ou seriam gaúchas), acho o seu linguajar muito interessante...

    Quanto às "ites" da vida, realmente é um saco meu amigo, tudo que é negativo fica elevado ao quadradro e algumas vezes ao cubo!

    Espero que já esteja "pronto para outra", no melhor sentido da expressão!

    Grande abraço renovado!

    ResponderExcluir
  19. É engraçado, porque criticam tanto os jovens, com suas gírias marginais, os "caipiras" e pessoas sem estudo, com suas linguagens "desviantes" da gramática normativa e agora encontro uma crítica contra pessoas que usam o português padrão. Estou me perguntando, "mas então como é que nós devemos falar?".

    ResponderExcluir
  20. Mansim,

    Teu texto é excelente!
    Parabéns!


    Quanto a maneira de cada um se comporta diante da "nossa língua"; fico com as pessoas autênticas;seja ela qual for a maneira que escolheu para se comunicar com o mundo! Tolero o que é verdadeiro mesmo que eu não me indentifique!


    Um abraço, Marluce

    ResponderExcluir
  21. Prolixidade na farmácia HAHAHAHAHAHAHA
    isso eu nunca vi!

    http://papel40kg.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. A boa educação cabe em qualquer lugar,não é?
    É que não estamos acostumados.
    O nosso português está cada vez pior!
    Espero que esteja melhor senhor, "um tanto quanto calvo"!...(risos).
    Bom fim de semana que se aproxima.
    Beijocas.

    (Repare que procurei escrever o melhor que pude ok?)

    ResponderExcluir
  23. Andre, acabo de postar mais uma entrevista com a Barbara Nonato, acho que vc conheçe, tá bem legal. Abração pra ti.

    ResponderExcluir
  24. Adriana Paula Moura14.4.11

    heheheheheh.akakakakakakakakakakakakaka.....André, tava precisando dar umas boas risadas, obrigada. Muito legal, eu até gostaria de encontrar com pessoas assim, será que eu poderia abrir minha boca? É muito bonito ver pessoas falando bem e corretamente, mas convivemos tanto com os caipiras da cidade, eu sou uma, que quando vemos gente assim ficamos assustados.Mas, foi muito legal.Até...

    ResponderExcluir
  25. Ouvir um português rebuscado causa mesmo estranheza nesse país em que há uma língua escrita e outra falada. Minha maior dificuldade em ensinar os pequenos a escrever é justamente a existência dessas 'duas línguas', pois eles só querem escrever como falam.
    Ri muito dessa parte:"o vestido da mais velha tinha uns babadinhos iguaizinhos a capa do botijão de gaz da minha avó, mais parecia ser chique e devia ser caro..."

    PS. Pelas bandas de cá não se usa tia, é pró mesmo e eu prefiro, tia é muito pejorativo : )

    ResponderExcluir
  26. Ja trabalhei como vendedor e tinha medo desses tipos de pessoa. Cheio dos nao me toque...

    ResponderExcluir
  27. Tão bom falar direitinho.

    Tão bom falar erradinho também.

    Tudo pódi na área da linguagem, mano. Se dirrubá, é pênis.

    ResponderExcluir
  28. O texto é divertido. Nada como uma palavra difenciada para nos tirar do eixo, seja com humor ou sem ele. Mas o mais interessante é perceber que sobram palavras para nos comunicarmos de variadas maneiras, e que é possível se fazer entender de variadas formas.

    ResponderExcluir
  29. rsrsrsrsrsrs...vivendo e se surpreendendo em André?! rsrsrs

    "Um tanto quanto calvo"...adorei!

    Parabéns...cada dia você se supera.

    ResponderExcluir
  30. Muito bom!
    Hahahaha,fiquei aqui imaginando e rindo =D

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!