domingo, 12 de dezembro de 2010

Podemos ser um Noel também!

Eu vejo essas pessoas que falam que se lembram de tudo o que aconteceu com elas desde que eram crianças, desde que tinham três ou quatro anos, que se lembram “como se fosse hoje”, aí eu penso que então eu sou ruim das cacholas... Porque eu não me lembro de quase nada! Na verdade eu tenho uns flaches de algumas coisas que me aconteceram e que geralmente não sei porque, são lembranças de momentos não tão felizes.
O pensamento mais antigo que lembro é um muito triste, de um homem que vendia biju na rua, que vinha com aquela matraca de madeira batendo “plac plac plac plac! _ Olha o bijuuuuuuu!”, e então eu que deveria ter uns três anos, (sei disso pela casa em que a gente morava), e ainda não conhecia dinheiro fui correndo em casa e peguei uma nota qualquer que estava por ali e corri pra comprar o biju, o homem disse que o dinheiro não dava, então eu voltei correndo e peguei outro dinheiro que encontrei, fui correndo e ele disse que ainda não dava, eu falei pra ele esperar e voltei correndo vasculhei a casa toda e arranjei mais umas notas, fui de novo ao bijuzeiro que pegou minhas notas todas amassadas na minha mãozinha de criança e falou para as outras crianças que estavam em volta dele: _ Olha o dinheiro dele, hahahaha, não dá pra nada e até parece dinheiro de bêbado, hahahahaha! Vai embora moleque, seu dinheiro não dá pra comprar nada, hahahaha.
E todos os meninos deram risada da minha cara... Essa é a lembrança mais antiga que eu tenho, de um bijuzeiro velho e desumano...
Outra lembrança muito antiga deve ser do ano seguinte, no natal, que é o natal que eu recebi meu primeiro presente do papai Noel, e eu já tinha quatro anos. Até então meu pai que trabalhava muito, mas também adorava gastar com as maravilhas da noite, não deixava faltar o básico em casa, que era comida, aluguel, água e luz, fora isso tudo era luxo, um chocolate olha lá que deveria ser uma vez a cada três ou quatro meses, refrigerante deveria dar pra uma semana e não era toda semana que tinha... Nesse contexto de humildade e pobreza eu pedi numa redação da escola que o papai Noel me desse uma bola “dente de leite”, que era uma bola que tinha naquele tempo, que parecia uma bexigona, e que hoje em dia as crianças não querem nem ver.
Lembro que meu pai foi a cozinha, voltou, e se deitou na cama com minha mãe, eu dormia numa cama ao lado, porque nossa casa só tinha um quarto um banheiro e uma cozinha, depois de algum tempo meu pai falou: _ André, você escutou esse barulho na cozinha? Vai lá ver o que é?
Eu fui e me lembro da bola ali em cima da pia! Embrulhada num papel vermelho... Puxa! O papai Noel havia lido a minha redação!
Meu natal não teve nada além da bola, eu nem sabia o que era panetone, não teve refrigerante, leitoa assada, churrasco... Imagina se isso era possível... Mas não importava nada disso, porque eu tinha ganhado uma bola dente de leite! O que mais que eu iria querer.
Esses dias eu estava pensando em como a vida melhorou, apesar de não ter mais meu pai aqui entre a gente, mas mesmo pouco antes dele morrer ele já havia resolvido ser pai de família de verdade, e as coisas foram melhorando e melhorando. Eu dou graças a Deus por tudo o que ele tem me dado de bom na vida.
Sabe eu estava assistindo a uns três anos uma reportagem sobre garotos muito pobres, que estavam pedindo ao papai Noel lhes trazer alguma coisa no natal, um carrinho, uma bolinha, uma roupinha, qualquer coisa...
Então eu resolvi que iria ao correio ser um papai Noel de alguma criança daquelas que escrevem pedindo presentes. Desde então eu faço isso todo Natal, eu sei que só vai o presentinho que a criança pediu, não vai churrasco, nem leitoa assada, e talvez essa criança também nem saiba o que é panetone, mas eu me lembro da felicidade que a bola dente de leite que o papai Noel me trouxe me deu, e posso falar que valeu a pena!

44 comentários:

  1. Que texto mais lindo, André! E ele se torna ainda mais bonito por ser uma história real, a sua história! Graças a Deus que sua vida realmente melhorou, continue confiando em Deus, ainda há muitas promessas para Ele cumprir na sua vida ..
    Certamente é bem melhor lembrar as coisas boas, entretanto eu acredito que geralmente lembremos mais do que não foi tão bom pelo fato de que nos marcou mais. E o bijuzeiro .. bem, ele realmente foi muito desumano, triste mesmo o que ele fez, mas nessa situação ficou estampada a mais bela qualidade de uma criança, a inocência!
    Parabéns por ser tão sincero e postar seu texto aqui! :)
    Abraço .

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito da sua parte André.
    Pensei em fazer mesmo, mas já tenho 40 guris q vem de uma realidade muito difícil e eu já vou presentear.

    ResponderExcluir
  3. Po, cara... escreve mais assim não, senão vc vai me deixar com lágrimas nos olhos, sempre!!!

    To brincando, é um lindo texto e vc ainda me fez refletir sobre épocas de "vacas magras" nas quais também passei. Nasci em 1980 redondos e acompanhei a evolução (ou des-volução, rs) de muita coisa, e lembro não só dessa bola dente de leite (eu tb a achava bonita), como de vários presentes que naqueles tempos estavam no auge e muitas crianças bem mais abastadas ganhavam e saiam exibindo o presente novo "que tinha ganhado do Papai Noel" no dia seguinte...

    ...era a Montain Bike BMX, a Super Caloi, aquela coleção toda do Playmobil, ou dos Comandos em Ação, aqueles jogos ultra divertidos da Estrela, fora os moleques mais "riquinhos" que ganhavam video games de presentes como o Atari, o CCE e outros mais que naqueles anos era algo preciosíssimo!!!

    Vc me jogou num túnel do tempo e mais ainda: me fez perceber que o Natal é solidariedade também, que se a gente fizer, cada um sua parte, para ajudar aqueles que não ganham NADA, poxa, é como se a gente tivesse dando um "castelinho de sonhos" para que eles possam entrar e brincar nele sempre!

    Valeu por vc ter uma alma tão legal.

    Abrs,
    www.vemaquinomeublog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Que texto humano, André!
    Muito sensível.

    É difícil lembrarmo-nos de tudo, tudo, tudo que se passou em nossa infância, mas tenho certeza que, momentos importantes e marcantes - tanto positiva, quanto negativamente, infelizmente -, JAMAIS deixarão de ser lembrados.

    O que descreveu, remete-nos a uma reflexão: nos gestos mais singelos é que encontramos a verdadeira felicidade. Não é necessário o "presente do ano" nem a big festa de aniversário, mas sim, um gesto de carinho, de lembrar do próximo, do abraço, de uma bola dente de leite...

    A sugestão dada poderia ser seguida por várias famílias neste Natal. Ir aos Correios e satisfazer um desejo simples, porém significativo a uma criança, é um gesto de amor ao próximo.

    É tão simples!
    Se fizessemos o pouco, teríamos muito a comemorar.

    Forte abraço,

    Fernando Piovezam
    seuanonimo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Amigo, sua história da infância é maravilhosa e sim, concordo com o amigo: todos podemos ser um pouco Noel também!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Andrézinho... deixa eu te contar uma coisa... Achei lindo seu gesto de presentear uma criança. Lindo, lindo. Se todos no mundo pensassem como você com certeza o mundo seria habitado por sorrisos, sorriso igual o meu quadno vc fez um comentário tão lindo no meu post do conto de fadas. Amei. Plantou um sorriso na minha face tbm. Adoro vir aki. Adorei seu texto. Vc é um cara divertido, alegre e com muito sentimento nesse coração enorme. Bjos irmãozinho

    ResponderExcluir
  7. Adorei esse post, mas hoje em dia não se vê mais essas coisas mesmo. O seu gesto foi belo. Parabéns, pela sua atitude e pelo seu blog.

    ResponderExcluir
  8. André,
    É curioso mesmo. Algumas coisas a gente lembra em detalhes e outras não. algumas vezes mesmo, uso o blog para postar lembranças, mas tenho alguns textos que ainda não terminei, porque me escapa detalhes.
    Em época de Natal, parece que todos se fortalecem e de alguma maneira se tornam mais tranquilas e solidárias.
    Acho que deveriam ser sempre assim, independente de datas, comemorações, etc.
    Um grande abraço e bom final de domingo.

    ResponderExcluir
  9. Seu post me emocionou, aqui em casa todo mundo faz isso tbm, é 'papai noel' de alguém no natal. É muito bom ajudar, ainda mais nessa época que o coração da gente fica mais bondoso. Beijos

    ResponderExcluir
  10. aaaaah, eu ainda gosto dessas bolas de leite, hahaha, *-* Eu amo praticar esporte e por mais que sejam leves, ajudam muito, deixa tudo divertido, adorei o seu pedido... hoje em dia, as crianças precoces pedem computadores e coisas muito caras, eu ficaria muito feliz com uma bola de leite! AAH, adorei seu texto e seu blog, e bom, esse cara do Biju foi meio babaca né. Na verdade, totalmente. Afinal, você fez todo um esforço para conseguir comprar, e ele foi no minimo ridiculo.
    E adorei o que você faz... sabe, eu poderia ser uma mmamãe noel, hahahahaha, trazendo alguns presentinhos, seria legal. Afinal, gosto de ver sorrisos, e digo que o sorriso de uma criança/idoso são os mais bonitos ;)
    Adorei o texto e parabéns pela atitude DEZ! \o/

    ResponderExcluir
  11. Esse ano vou ter o prazer de ser o Papai Noel de alguém, resolvi comprar alguns brinquedos e doar.

    Seu texto me fez lembrar de algo bom, não referente a propaganda e sim sobre a familia, emocionante de verdade

    ResponderExcluir
  12. O Natal e o fim de ano estão chegando, esta é uma época de ler, refletir,fazer um balanço sobre tudo o que aconteceu e seus resultados para assim projetar um ano novo melhor em todos os sentidos.
    Abraços André e Ótimo Domingo.

    ResponderExcluir
  13. Apesar de triste, sua história é muito linda. Pois hoje está onde está porque dá valor as coisas simples.

    Seus atos demonstram o que você é hoje.
    Parabéns pela iniciativa e eu também serei um papai noel para alguma criança

    Abraço de NINA

    ResponderExcluir
  14. André, eu sou muito sentimentalista e nessa época eu volto a ser criança, reflito no que ganhei ou perdi durante o ano e chego a conclusão que Papai Noel, este que foi você, indo aos Correios, existe porque nós queremos que ele exista, então eu vou pedir este ano que existam outros tantos assim como você, e mesmo pra quem, como eu não tem muito , ao menos uma bola Dente de Leite, que não existe mais, mas foi um de meus primeiros presentes também, vão para as cozinhas, quartos, salas, pontes, barracos, ruas, marquises...
    Um forte abraço deste teu seguidor, Renatinho

    ResponderExcluir
  15. Eu acho muito bonita a sua atitude de também querer ser o papai noel de alguém, ainda mais de pessoas que, por causa de sua condição social, não podem nem sequer sonhar com um natal como esse tradicional com comidas, bebidas e presentes.

    Nossa, que história maldosa essa do homem que vendia biju ein, muito sem noção ele.

    abcs
    obrigado pelo comentário lá no Olhar Receptor

    ResponderExcluir
  16. Desde cedo eu desconfiava que o presente que recebia no natal não era do papa noel, mas do meu pai mesmo. Achava papai Noel preconceituoso porque deixava crianças da Etiópia de fora. Abs!

    ResponderExcluir
  17. Nossa, que lindo! E triste ao mesmo tempo...
    A felicidade às vezes está nas coisas mais simples...

    Beijos e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  18. Eu tb fui no correio e adotei um cartinha.. vou entrega a mesmo esta semana.

    Abraço,
    P.A.

    ResponderExcluir
  19. Belíssimo texto!

    Vou segui-lo.

    BOA SEMANA

    ResponderExcluir
  20. É uma belíssima atitude, meu amigo e acho que todos deveriam fazer o mesmo. Tb costumo ir aos Correios para atender alguma das cartinhas e fazer uma criança sorrir, isso n tem preço.
    Como queria ter condições de ajudar a todas. Mas, peço que Deus abençõe cada uma e que Ele toque em mais corações para tb ajudar.

    Muito lindo o seu post!
    Ótima semana =)

    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. André... Amigo do Meu Coração!

    Emocionada demais com essa leitura... e encantada com sua coragem de expor assim sua vida!

    Fiquei imaginando vc de Papai Noel... deve ficar muito fofo!!! (com todo respeito...rsrs)

    Amigo... sou feliz de ter vc em minha vida!
    Obrigado pelo carinho das visitas!

    Tenha uma linda semana
    Beijo doce
    Sil
    Sempre aqui

    Ps: Ainda estou sem computador em casa, fico pegando carona no notebook da minha sobrinha.Mas ela o usa para estudar! Voltarei assim que puder para colocar a leitura em dia! Adoro vc Meu Querido Amigo!

    ResponderExcluir
  22. Lindo texto andré, bela iniciativa
    Infelizmente hoje as pessoas quando lembram do natal só lembram de toda aquela fartura dos presentes que irão ganhar, de quanto terão que gastar, das dietas e mais futilidades...

    Esquecem o verdadeiro sentido e esquecem que com pequenas atitudes podem marcar positivamente a vida de uma criança

    Belo blog, Mesmo antes da data Um Feliz Natal
    Passarei a acompanhá-lo por aqui
    Abraço !

    ResponderExcluir
  23. Puxa você sofreu um bullying aos três anos?
    Aquele vendedor de biju...
    Uma linda história, quantas crianãs nos Brasil não passam pelo mesmo? è uma atitude louvável o que você faz!
    Passei a te admirar pelo bom coração que tem!(evidente na leitura do texto)
    Parabéns!

    http://medicinepractises.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  24. Caralho velho, vou te falar. Quando vi o texto pensei " Puta que pariu outro texto de fim de ano e ainda por grande para caralho", mas se eu não tivesse lido eu com certeza seria uma pessoa pior do que eu sou agora. Seu texto é tocante demais cara. A historia é linda e o exemplo que você dá é magnífico. Eu sou ateu e não gosto muito desses feriados cristãos, mas historias como a sua e pessoas como você me fazem pensar que confraternizar, mesmo que em meio a uma incerteza, vale a pena. Parabéns e bom natal.
    To seguindo agora =)
    __________________________
    http://assimounao.blogspot.com/
    Lê, comenta, segue, sei lá.
    Eu retribuo. : )

    ResponderExcluir
  25. mto bom o blog, parabéns pela iniciativa do post

    indo
    [b]COMENTE NA NOSSA RETROSPECTIVA DE FINAL DE ANO[/B]
    1- Posts:
    http://mikaelmoraes.blogspot.com/2010/12/recesso-do-blog-retrospectiva-2010-02.html
    2- Vídeos:
    http://mikaelmoraes.blogspot.com/2010/12/recesso-do-blog-retrospectiva-2010-01.html
    <>
    OU SE JÁ COMENTOU, COMENTE EM OUTRO POST DO NOSSO BLOG:
    <>
    http://mikaelmoraes.blogspot.com
    <>
    QUER GANHAR UM SEGUIDOR?
    1- Siga-nos
    2- Avise no comentário deixando o seu link
    3- Retribuiremos com toda a certeza.

    ResponderExcluir
  26. Acho muito linda sua atitude. Também fiz o mesmo esse ano, e é muito gratificante. Recomendo a todos que puderem fazer o mesmo, que façam. No fim, a gente faz um bem pra gente mesmo.

    ResponderExcluir
  27. nós temos lembranças boa e ruins. Esse cara que vendia biju foi um grosso, credo! Que mal educado!
    Mas que bom que vc conseguiu ganhar a bola no outro Natal! São pequenas coisas que nos fazem felizes.
    E achei legal essa sua iniciativa de ser papai noel de alguma criança. Ás vezes reclamamos que nao temos isso ou aquilo, mas há tantas crianças por ae, que como vc disse, as vezes nem sabe o que é panetone e nem tem festa de natal, mas só querem um brinquedo ou alguma coisa simples que vão fazer elas ficarem com uma enorme felicidade.
    Gosto muito do jeito que vc escreve, é um texto gostoso de ler, nos prende a atenção, sem contar que adoro essas histórias da vida real!
    se quiser, passe no meu blog ta atualizado http://artegrotesca.blogspot.com
    bjos

    ResponderExcluir
  28. Comcerteza todos podemos ser um Papai Noel, podemos fazer a alegria de outras pessoas!!! Muito bonita a sua atitude!! Me deu muita vontade de fazer o mesmo. Parabéns pelo blog. Abraço.

    ResponderExcluir
  29. Obrigadão pelo link.. vou procurar uma maneira de retribuir vc!!

    Vou criar este esqueca de blog q indico..rs..

    ResponderExcluir
  30. Você fala sobre lembranças não muito felizes... Tendência que a gente tem de reter o que é desagradável e deixar passar o bom, né? Deve ser por causa da leveza; o que é bom vai mais depressa e os momentos pesados acabam ficando pra trás.

    Mas acredito que teus Natais não tão favorecidos foram passo para enriquecer (não me refiro a dinheiro) os Natais que se seguiram. A gente aprende, a gente cresce a gente consegue até fazer do pouco muito, como você fez com tua história aqui nesse artigo, embotado sentimentos e emoção no que relatou.

    Adorei!

    ResponderExcluir
  31. Nossa seu texto me deixou emocinada, que lindo da sua parte ..parabéns viu .
    Atitude linda , pode ter certeza que deus esta ti dando o dobro .
    Que ti tenha um Natal Ilumidado e Abençoado.
    Parabéns pelo blog e sucesso .

    Beijos

    ResponderExcluir
  32. Ando sensível André, e você me fez chorar.

    Tbém participo desta campanha maravilhosa dos correios e já contei numa postagem que a primeira vez que participei a cartinha pedia dois pacotes de biscoito recheado. AInda me aperta o coração!

    Vc sempre me surpreende positivamente!!!

    Grande, grande beijo.

    ResponderExcluir
  33. Foi essa a postagem que tu disse que iria expor um pouco da sua infância, né? Curti, Mansim! Alias, já virou anomalia quando algum escrito seu não consegue me agradar. Leitura tão boa.

    Partindo da literariedade para a informação, até o pedido, Mansim. Eu posso dizer que fui abençoado em nascer com pais que me sustentaram muito bem. Até fiquei mimado demais por causa dessas coisas. Mas me orgulho mais ainda em dizer que, nem por isso, eu perdi meu espírito de soliedariedade. Provavelmente algumas de minhas pelúcia ganharão novos donos! :D
    Feliz Natal e bom ano novo pra ti caso a gente não se ver mais, cara!

    ResponderExcluir
  34. Amigão, acho q é o texto mais emocionante q já li seu! vc cosegue transmitir a sinceridade em suas palavras e realmente creio q isso td é verdade e o pior é q mts crianças ainda hj vivem a mesma realidade q vc viveu anos atrás. Sua atitude e mt bonita e deve ser copiada com td a certeza, vc me du uma boa ideia e talvez eu até faça isso esse ano, vou deixar uma cartinha para o papai noel nos correios e esperar q alguém tenha dó de mim e me dê o que eu kero hehehe... brincadeira :)
    Falando sério man, vc me deu uma boa ideia e acho q irei fazer isso aqui na igreja aonde eu participo, vou passar a ideia p/ os outros catequistas e se der certo depois eu te aviso ok.
    E por falar em avisar, o blog do pena trás um alerta sobre o AVC, passe lá e confira :)

    ResponderExcluir
  35. Tenho andado fora ...
    Virei aos poucos para comentar os posts.
    Somente hoje consegui reunir selos que tenho recebido.
    Se tiver algum que você não tem ainda, esse selo é seu.
    Abração do amigo "Calcanhar".

    ResponderExcluir
  36. É, se todos fizessem a sua parte, se todos que podem comprar um presentinho fosse até o correio e pegasse a cartinha de alguma criança para presenteá-la, nenhuma delas passaria o natal sem presente!
    Parabéns pela iniciativa e pelo blog!

    ResponderExcluir
  37. Texo espetacular, entrei por acaso e agora não consigo para de ler. queria muito me tornar parceiro do seu blog, pois assim me ajudaria na divulgação do meu também:

    http://essenciaego.blogspot.com/

    sou aprendiz, tenho ele há apenas um mês.
    Obrigado desde já.
    Já estás na minha lista de parceiros.

    ResponderExcluir
  38. hahahah sou um pouquinho ruim da cachola tb, apesar de ter só 15 anos
    mas me lembro de algumas coisas gratificantes
    que me fazem pensar o quanto sou feliz por ter nascido quando vivi, já que a infância atual tá tão desiludida =//

    ResponderExcluir
  39. ANDRÉ, MEU AMIGO...

    ...SEI QUE VC NÃO É MUITO CHEGADO NOS SELOS, MAS TEM UM BEM ESPECIAL LÁ NO MEU BLOG PRA VC, RAPAZ!!!

    QUANDO PUDER E QUISER, É SÓ PEGAR!

    Abs,
    www.vemaquinomeublog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  40. André é muito bom e emocionante saber de sua historia... Conta mais!
    A razão me diz que tudo é mercantil e frio, mas ainda me resta um pouco de emoção, e ao me transportar para dentro de sua historia percebi sentimento.
    Compartilhe sempre conosco estas pérolas que trazem aquilo de bom que você tem como: humor, amor e emoção.
    Já imaginou se o congresso nacional e a câmara dos deputados e as câmaras municipais esparramadas por este país fossem compostos de homens como você?
    Que utopia a minha!
    O bijuzeiro fez buling se fosse hoje poderia ser processado mais aí já é outra historia kkkkkkkk e fazer o que com o coitado de um bijuzeiro?
    Abraço.

    ResponderExcluir
  41. André, se puder passa no meu blog. Você está o post de hoje... rsrs

    ResponderExcluir
  42. Que sensibilidade, André! Os seus natais da infância não foram muito diferentes do meu, mas com certeza fomos muito felizes e isso é o que importa. Quanto à solidariedade, só quem passa pra saber das dificuldades e depois compensar ao alegrar o natal das crianças carentes. Tô contigo.
    Bjos e obrigada por incentivar o meu blog.

    ResponderExcluir
  43. Agente Carequinha,

    Como sabes, costumo partilhar os seus textos com minha familía: com esse ñ foi diferente...
    Comecei a lê-lo e senti a voz embargar... Engasguei, pausei e chorei.

    Lindo demais! Comovente!

    Parabéns, sobretudo pela humildade de compartilhar a sua história, tão cheia de encanto!
    ( Ela me faz lembrar "Bandeira", "Cora"... )

    Gde abraço,

    ResponderExcluir
  44. Seu blog e excelente, seus textos também são ótimos, vou tentar me inspirar no seu blog para melhorar o meu, se quiser depois e só da uma olhada o link ta logo a baixo: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!