terça-feira, 10 de outubro de 2017

Mariana viajou, e Graziela se casou




                              

Rodolfo namorou com Graziela desde a adolescência. Com o passar do tempo, Rodolfo que sempre fora um doce de pessoa, se transformou em um rapaz ciumento e obsessivo, que não suportava a inteligência e a beleza de Graziela, que era uma menina que chamava atenção por onde passasse. Ele se julgava menor perto dela e apesar de amá-la perdidamente, sentia-se confuso e acuado perto dela.
Luiz e Mariana namoravam a oito anos. No quarto ano de namoro eles decidiram morar juntos, a vida era perfeita, eles realmente se amavam, eles realmente se respeitavam e viviam bem.
Chegou um dia que a Graziela não aguentou mais as crises de ciúme de Rodolfo, e decidiu terminar o relacionamento. Rodolfo não aceitou e chegou até a bater em Graziela. Foi uma briga enorme, que mobilizou os vizinhos e até a polícia. Rodolfo acabou preso naquela noite, e depois de dormir na cadeia, logo cedo, pagou a fiança e foi liberado.
Mariana era bióloga e recebeu uma oferta de emprego irrecusável no Canadá, pois além de independência financeira, ainda poderia fazer o que mais gostava na vida, só que Luiz era promotor, e tinha uma carreira brilhante pela frente.
Graziela começou a namorar com Ricardo seis meses depois da separação com Rodolfo, dois anos se passaram, mas quando Rodolfo soube que sua ex-namorada iria se casar, passou a ameaçar os dois. Ligava pra ela todos os dias, mandava cartas, e-mails e mensagens através do Facebook, dizendo que não aceitava esse casamento. Rodolfo fazia da vida de Graziela um verdadeiro inferno.
 Mariana e Luiz estavam num beco sem saída, ela tinha a maior proposta que um biólogo poderia ter, e ele tinha uma vida pela frente num ramo em que havia lutado muito para conseguir. Essa situação começou a martelar na cabeça deles, até que no calor de uma discussão, Luiz pediu para Mariana ir pro Canadá sem ele.
Rodolfo resolveu que não iria abrir mão de Graziela e não a deixaria se casar com Ricardo, o casamento estava marcado pro próximo sábado as 20 horas.
Sábado, as 20 horas, sairia o vôo que levaria Mariana ao Canadá. Numa última conversa, ela deixou claro para Luiz que se ele aceitasse, ela abandonaria o convite de emprego e ficaria no Brasil, mas Luiz não achou justo atrapalhar o sonho de Mariana, mesmo amando-a como a amava. 
Rodolfo foi até uma favela e comprou um revólver.
Mariana se despediu de Luiz e foi de taxi para o aeroporto.
Graziela estava se preparando para ir pra igreja.
Rodolfo bebeu a tarde inteira pra tomar coragem de executar sua vontade.
Quinze para as oito, Luiz se arrependeu, correu até a garagem e saiu em disparada com seu carro para tentar impedir Mariana de viajar.
Quinze para as oito, Rodolfo tomou coragem, pegou a arma, carregou-a, e partiu com seu carro pra matar Graziela e Ricardo na porta da igreja.
Luiz estava a 120 por hora na marginal, ultrapassando todos os carros, desviando dos motoqueiros e dos caminhões, enquanto Rodolfo vinha em sentido contrario, ziguezagueando e correndo o máximo que seu carro podia dar, os dois, cada um movido por um tipo de sentimento, vinham fazendo loucuras no trânsito, correndo riscos, e pondo todas as vidas que passassem por eles em risco também.
Foi então que num cruzamento dois carros colidiram de frente, outros carros que vinham atrás foram batendo, batendo, batendo, e isso se transformou no maior engavetamento que aquela cidade já havia visto. Os dois motoristas morreram na hora, e pedaços de peças de carro se espalharam por quarteirões inteiros.
A polícia chegou, os bombeiros chegaram, as pessoas foram parando seus carros no engavetamento.
As oito horas em ponto de um lado do engavetamento Rodolfo olhou no relógio e pensou: “- Isso deve ser um sinal de Deus... Eu ia fazer uma cagada e ia me ferrar pro resto da vida...”
Do outro lado, Luiz sentou-se no capô do seu carro, e olhando para o caos a sua frente, franziu a testa e pensou: “- É, eu tive muitas oportunidades para não deixar Mariana viajar, mas talvez seja melhor assim.”


Re-postagem de um conto que gosto muito, pela rotatividade do blog, acho que muitos novos leitores ainda não leram. Espero que tenham gostado.







11 comentários:

  1. Que legal! Adorei o envolvimento e rolos de cada um! Ficou muiiiiito bom e vale ler sempre! E se parares pra pensar, quantas vezes algo assim parecido pode acontecer,né? abração,tuuuudo de bom,feliz dia das crianças pro Samuca! chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou de reler Chiquinha!!!

      Excluir
  2. Estorias paralelas bem elaboradas e exemplos para a garotada não seguir e prestar atenção na vida.
    Abraços André.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Tiugo!!! O Tio mais legal do mundo!

      Excluir
  3. Gostei... olha fiquei lendo e criando as cenas da mente. hahaha. Sabe que daria um bom curta, né? Bom pra refletir.

    Blog: O Planeta Alternativo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rapaz!!! Seria uma coisa interessante fazer um curta com essa história.

      Excluir
  4. E como um acidente acaba por interferir no destino de várias pessoas...
    Gostei muito deste conto. É excelente, parabéns.
    Continuação de boa semana, caro André.
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se o poeta gostou!!!! Então deve mesmo ser bom.
      Obrigado Jaime!

      Excluir
  5. Penso que já o tinha lido, não me é estranho mas de qualquer modo adorei reler. Até que a memória já não é a mesma de outrora e é sempre bom "refrescá-la"
    Um abraço

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!