sexta-feira, 12 de abril de 2013

Mais uma ao som do blues



Antes de começar a ler, aperte o play.

Ele pegou uma mochila.
Dentro, colocou três cuecas, quatro camisetas, duas calças, quatro pares de meia, uma toalha e uma blusa de lã.
Colocou também uma escova, uma pasta de dentes e dois sabonetes.
Num bolso lateral da mochila, colocou sua carteira de identidade e seu CPF.
Deixou em cima da mesa da sala, o númreo e a senha de uma caderneta de poupança, e uma procuração para sua mulher passar as casas e os carros para seu nome.
Saiu...
No caminho até a calçada, fez um carinho no cachorro, e vagarosamente abriu e fechou o portão com cuidado para não acordar ninguém.
Ganhou a rua...
Ele virou aquela esquina, bem cedinho... As seis e meia, do dia quinze de janeiro de mil novecentos e oitenta e dois... Nunca mais se soube nada a seu respeito!
Uns o chamaram de covarde.
Outros o chamaram de maluco.
Outros disseram que ele morreu...
Outros disseram que ele se libertou, e que hoje deve estar feliz...


18 comentários:

  1. Provavelmente o saco estava pra lá de cheio.
    Bom fim de semana
    Abração

    ResponderExcluir
  2. Estranho isso,né? Legal te ler! abração,chica

    ResponderExcluir
  3. Acho que ele virou um maluco feliz :)

    Muito legal.

    um abraço!

    Eilan

    http://borderline-girl.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi André
    Quantos não tem vontade de fazer isso e não tem coragem kkkkk.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  5. Fiz algo parecido, mas a coisa toda foi mais punk.

    Voltei a tempo de não morrer, o que foi bom.

    Bom texto!

    F.

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Dedé,meu amigo
    me chamou a atenção, em seu post, que ele fez todos os preparativos para sair de casa...com certeza, na minha humilde opinião,ele foi buscar a felicidade em outro lugar.Se encontrou ou morreu...só puxando a cadeira e mais uma ao som de blues.
    Meu carinho
    Bom dia
    Bom final de semana
    Abaços

    ResponderExcluir
  7. Grande Dedé, estou de volta mano, tudo resolvido por lá, e cara, intrigante essa 'sumida' deste sujeito, nem ouso sugerir o que teria acontecido com ele, mas no mínimo, não estava satisfeito com a sua vida atual, se estar melhor ou não, ninguém sabe. Ah, segundo a foto acima, ele também levou um guarda-chuva, kkk

    Abração pra ti mano.

    ResponderExcluir
  8. Ele foi buscar o seu caminho (quem saberá qual?) e também quis privar a quem convivia com ele, da sua própria estranheza cotidiana. Será?

    Só sei que gostei disso, ainda mais acompanhado da magia do blues.

    Beijo, André.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Dedé meu amigo
    vim só agradecer o carinho de sempre e desejar um ótimo início de semana
    Abração

    ResponderExcluir

  10. Olá André,

    Não posso dizer que foi 'legal' ele partir tão silenciosamente, mas com certeza ele não estava feliz e foi procurar se encontrar em algum ponto de planeta.

    Perfeito para se ler ao som do blues.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Não gosto de partidas silenciosas. Quem fica precisa saber que não haverá retorno, para seguir em frente. Todos podem buscar outros caminhos, sem fugir. Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Embora devo dizer que essa é uma atitude que eu não concordo, também me sinto na obrigação de dizer que é uma reação que muitos já tiveram vontade nessa vida. Concordar, não posso; mas também não me sinto à vontade para fazer alguma crítica a esse respeito. André; um grande abraço meu caro!

    ResponderExcluir
  13. Eu ando com essa vontade de sair por aí!
    Deve ser ótimo!

    ResponderExcluir
  14. Eu ando com essa vontade de sair por aí!
    Deve ser ótimo!

    ResponderExcluir
  15. Eu ando com essa vontade de sair por aí!
    Deve ser ótimo!

    ResponderExcluir
  16. ELZE SIQUEIRA17.4.13

    Ja fiz isso e na escada do metro o amor me pegou!
    não voltei p/ aquela vida, mas comecei outra história, mais divertida e menos sofrida...

    ResponderExcluir
  17. o play faz soar uma maravilha sonora!!
    o texto fala de alguma coisa que eu já quis fazer.
    mas acho que sou covarde.
    ou tenho muito a perder se o fizer.

    ô cabeção literato, quanto é que sai o livro novo da dupla dinâmica de sampa?
    quando publicar em papel o primeiro, me manda o preço e o autógrafo, hein?

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!