sexta-feira, 8 de março de 2013

Oitentinha du bão!



- Oi, tudo bem? - Eu disse sendo simpático.
- Humm... - Respondeu o rapaz do outro lado do balcão.
- Eu deixei meu celular aqui pra fazer um orçamento hoje cedo.
- Humm... - Repetiu mascando um chiclete barulhentamente.
- Você viu o que estragou nele? - Perguntei.
- Ví.
- E aí? O que foi que estragou? - Perguntei tentando retirar alguma coisa mais polissilábica.
- O visor fréquis.
- Visor Flex? O que é o visor flex?
- Uma peça. - Respondeu o atendente fazendo cara feia.
- E isso tem concerto?
- Oitentinha du bão. - Respondeu esboçando um sorriso desfalcado.
- Como?
- Oitentinha du bão!
- Eu perguntei se tem concerto. - Falei em tom irritado.
- Intão... Oitentinha du bão! - Me respondeu o atendente com tom mais irritado que o meu.
- Você me entrega quando?
- Senta alí qui nóis já arruma. - Me falou apontando uma cadeira no canto do balcão.
- Rapido assim?
- É...
- A peça que você vai trocar é original? - Indaguei com um pouco de medo.
- Ôpa... Orégis. - Respondeu o rapaz mostrando o desfalque dentário mais uma vez.
- Tá bom então pode consertar...
- Tá pronto!
- Como? Já arrumou? - Falei eu espantado!
- Já! - Me disse ele estendendo a mão espalmada, sorrindo e continuando sua fala: - Oitentinha du bão!

14 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkk fréquis é ótimo, e oitentinha ficou barato.
    Abração

    ResponderExcluir
  2. rssssssssss.... Com oitentinha não mão, tudo fica bão!!!


    Muito legal!! Divertido!

    abração, chica

    ResponderExcluir
  3. Esse é espertalhão heim André? rsrs
    Abração!!

    ResponderExcluir
  4. O mundo é bão, Sebastião.

    ResponderExcluir
  5. ahahahhh bom para rir mesmo!

    ResponderExcluir
  6. Pensei que fosse um diálogo entre um desses atendentes de serviços públicos e o pobre do cidadão. A coisa é bem assim mesmo. Mas de qualquer forma, mesmo com o toque bem-humorado do André, esse tipo de coisa não é difícil de ser visto. Boa, André. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  7. Cara, tu não barganhasse? Eu teria dado setentinha du bão, kkkkkkk

    Ótima crônica bem humorada Mansim, abração pra ti.

    ResponderExcluir
  8. Querido André,

    Texto joia! Esse texto reflete a realidade do comércio, desde as primeiras navegações. Enfim, está no sangue a barganha.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Até parece que estamos lidando com seres de outro planeta (hehhhhehehhe). Mas é o que muitas vezes acontece. Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Hahahahaha... Ai,meu Deus! E por que tu não pegou o celular com a peça fréquis, jogava balcão no máximo uma onça da boa e pronto, ganhava carreira na estrada? Cabra mais desaforado!

    Menino, estou lendo um livro de um escritor até bonzinho... Tô descobrindo que o negócio é bonzão, visse?

    Beijo!

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Dedé , meu amigo!
    finalmente achei uma postagem,hoje, para rir um pouco...como já disseram acima,com oitentinha tudo fica bão...
    mas,sério... infelizmente, na sociedade capitalista atual, materialista e egoísta, muitos fornecedores/atendentes que podem, abusam. Essa é uma constatação vivida na pele, praticamente todos os dias, por nós consumidores...
    Meu agradecimento pelas suas palavras em meu blog.
    Bom início de semana
    Abraços

    ResponderExcluir
  12. O que é isso??KKKKKKKKK
    Grande abraço!!
    jorge-menteaberte.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

  13. rsrsrsrsr... É como diz meu marido, "preço combinado não é caro". Concordou, tem que pagar-rsrsrs. Que caro este visor 'frequis', hein? Aposto que não havia concorrente por perto-rsrs

    Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!