quarta-feira, 20 de julho de 2011

Omeletis Brasilis Miscigenadus

Hoje eu estava conversando com o Edson, um amigão sabidão que eu tenho, ele é realmente sabidão, é professor aqui na faculdade, é professor e já foi presidente da sociedade epírita aqui de Barretos, é engenheiro, é secretário de obras da cidade, é filósofo e como se diz xulamente "ele é fóda pra caramba". A gente sempre tem boas conversas e delas sempre saem boas idéias pra mim pensar e refletir sobre vários assuntos, como todo mundo que segue esse meu blog já sabe, eu sou cristão evangélico e ao mesmo tempo contestador de cristianismos tiranos que existem por ai, então eu e o Edson sempre temos algumas dessas discussões filosóficas e religiosas mas que são respeitosas e principalmente edificantes.
Hoje nosso assunto foi indo pra um lado onde a gente acabou discordando nas nossas idéias e olha que não era nada de religião, mas lá pelas tantas da conversa o Edson soltou essa: - O povo brasileiro é assim bobinho, sorridente, relaxadão e aceita tudo de cabeça baixa porque a nossa cultura é baseada na cultura indigena...
- Pérai - falei eu - a nossa cultura é europeizada e principalmente portuguesa!
Daquela hora pra diante eu comecei a pensar nesse assunto e apesar de perceber que realmente a gente tem muita coisa de indio enraizado na nossa cultura tipo nomes de cidades, de comidas, de usos na culinária como é o caso da mandioca, da farinha, do milho, do urucum, de ervas e outras coisas mais, na verdade eu ainda acho que nossa cultura é um amontoado de culturas, nós temos muito da cultura negra, muito mesmo, até na religião e no sincretismo religioso, temos influência negra na música, nos esportes, e também na culinária e na língua e temos também a influência européia principalmente de Portugal e da Itália, com uma grande pitada alemã e outra grande influência árabe e nipônica... Então eu ousei discordar do grande Edson, sei que ele estava falando na raiz antropológica do nosso povo, mas hoje isso "na minha opinião", não faz mais sentido, esse jeito humano e cordial e até bobão do nosso povo brasileiro vem realmente é da nossa grande miscigenação, onde fomos obrigados ao passar dos anos a conviver e absorver várias culturas que históricamente são rivais e antagônicas e conviver amigavelmente com elas. Pra cá veio muita gente fugida de guerras e de problemas que aconteciam aí pelo mundo e esse povo todo encontrou aqui um verdadeiro paraíso longe de radicalismos e ignorâncias raciais e políticas. Agora até os japoneses que são uma cultura fechadissima e muito tradicional, já está cada vez mais sendo absorvida e englobada na nossa cultura que mais parece um omeletão daqueles que a gente faz quando chega em casa com fome e não tem nada pronto pra comer, então agente vai pegando restinhos de coisas, junta com um queijinho ralado, uma cebolinha, uns ovos, bate, bate, bate tudo, põe uma pimentinha, esquenta o azeite na frigideira e faz um delicioso omelete! Essa é a nossa cultura realmetnte, um delicioso omelete! Tudo bem que esse omeletinho acompanhado com uma mandioquinha frita também fica muito bom... Mas no final tudo faz parte do omelete...


16 comentários:

  1. será mesmo que o jeito brasileiro tá "no sangue"? Acho que não heim... s:

    ResponderExcluir
  2. Acho q esse "jeitinho brasileiro" é muito mais uma questão ideologica.
    Temos aí várias épocas em q os brasileiros eram como os americanos. Defendiam ferrenhamente uma causa ou ideia e não tinham nada a ver com esse clima "bobão" de hj.
    Acho q o q falta para o brasileiro é ter algo comum pelo q lutar.
    Esse lance dos indios não tem nada a ver mesmo.
    Somos um povo muito misturado e acho q temos o melhor de cada cultura. Só esquecemos disso.
    Abç Andre ;D

    http://falandosobreall.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Con concordo com vc, temos uma mistura mundial por aqui, agora o que quero comentar mesmo é: Como é bom ter amigos inteligentes que sabem discutir sem perder o controle da inteligencia. Quer dizer, mesmo discordando de um assunto, a discussão andou e dela saiu até um post maravilhoso como esse. É bom isso né?!
    Bjao André!

    ResponderExcluir
  4. Sabe que eu até acho que essa mistura, miscelânia européia e indígena até que deu em bom resultado?! Se esse povo admitisse o potencial que tem... O país iria loooonge!...

    Até, André!

    ResponderExcluir
  5. O Brasil não é apenas o país do jeitinho, é do jeitão também. Jeitão corrupto, jeitão insano, jeitão bonito, jeitão de gente inteligente, jeitão de gente burra, jeitão de antenados, jeitão de desligados, jeitão de corruptíveis, jeitão que acaba te pegando de jeito.
    Abraço e ótima quinta feira pra ti.

    ResponderExcluir
  6. Lida de gado...povo marcado..."povo feliz".

    ResponderExcluir
  7. André adorei seu texto. Sua argumentação.
    Só nao ouvi a musica. pq onde estou neste momento não dá.
    Primeiro adorei a receitinha..rs
    e adorei a analogia que vc fez.
    Acho sim que brasileiro é bobão. Mas não no sentido dado pelo seu amigo,er no sentido de querer ser o mais espero, de levar vantagem.
    Sabe a lei do Jerson?mais ou menos por ai..
    Mas o que me preocupa, é que as pessoas acabam
    se acostumando ou ja se cansaram da contestação em meio a tantos eventos.
    Agora o povo brasileiro tem grande poder de resistencia... ele "guenta" rsr
    Mas até quando será??
    Um bj...
    Fiz uma postagem "fofinha hj no www.tessiturapoetica.blogspot.
    Aparece..
    Ma

    ResponderExcluir
  8. Fodidos desde antes de nascermos.

    ResponderExcluir
  9. Ola André! Esse assunto é interessante e ao mesmo tempo polemico. Também sou espírita, assim como seu sábio amigo, mas não concordo com essa afirmação de termos herdado essa passividade dos indígenas, pois sou professor de história e sei muito bem que existe uma grande confusão entre passividade e cordialidade dos povos nativos quando do momento da "descoberta". Além disso, poucos sabem, mas nessa mesma época boa parte das tribos indígenas do nosso território estavam "caindo no pau" entre si e isso justifica as diferentes alianças entre as tribos e as nações europeias.

    Somos um povo marcado pela miscigenação, formando assim uma nova etnia. Portanto a passividade ao meu ver esta relacionada com diretamente com a educação.

    Abraços, Flávio.
    http://www.shitnessbook.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. E viva a mistureba brasileira!!! =D

    BeijO grande e feliz dia do amigos atrasado. Ah, tem postagem nova e se puder curta a pag do blog no face http://www.facebook.com/?ref=home#!/pages/-Eve-simples-assim-/229224897100440

    evesimplesassim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, meu amigo!
    Eu super concordo com vc. Somos mesmo uma mistura de povos, por isso, no Brasil ninguém é igual a ninguem nas características fisicas. Diferente dos japoneses, que a gente olha pra eles e sabemos que são japoneses. Temos uma mistura. Não há comparação melhor do que a que vc usou do omelete =D Adorei o post!

    Um forte abraço e te espero lá no blog ;)

    www.nicellealmeida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Oi André!!!!
    Ah eu acho que o brasileiro tem esse jeitão justamente pela miscigenação...é culturas demais, informações demais e no fim o brasileiro é uma mistureba danada.

    Ahhh então eu realmente espero que o céu quando eu morrer seja bem assim, com esses eventos cheio de gente vestida de personagem e visuh..e com muitas pessoas amigos e conhecidos que eu gosto tanto da companhia! ^^
    bjs
    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Segundo os judeus só a miscigenação pode salvar a humanidade...porém me pergunto, se eles sabem disso, porque não misceginam ?

    O japoneses tem aquela de se achar raça superior....conheço alguns que são sinceros a ponta de falar mesmo, não me misturo com gaijin...e tem aqueles que enrolam, mas só casam com japones. Tem as excessoes logico como a yoko ono, que quando casa com um ocidental, destroi a maior banda de rock da historia da humanidade.

    O Brasil é essa mistura mesmo....somos o laboratorio do planeta terra e sem tem algo de bom para vir no futuro com certeza saira daqui.

    Tem razão com a triade - portugues,indio,negro...herdamos as burrices dos portugueses, a preguiça dos indios e o instinto de submissão dos negros...quem diz isso não sou eu mais um cara chamado Paulo Freire, que manja muito desse assunto !

    obrigado pela homenagem André - abraço

    ResponderExcluir
  14. Oi Dedé, tudo bem?
    E a Andréia? Manda um beijinho para ela!

    Não concordo que o brasileiro seja cordial, bobinho. Se vermos os noticiários, os fatos provam o contrário. Por aqui, existe cada crime hediondo e muita maldade, infelizmente, e isso não tem nada a ver com miscigenação, e sim com esperteza e mau caratismo, e principalmente com miséria de alma e de grana.
    Somos um país em que metade do povo passa fome e a outra metade faz regime!
    A miscigenação, a diversidade de raças, apenas nos proporcionou uma certa descontração; o que não significa sermos bobinhos. Somos bobinhos, por sermos extremamente passivos, mas isso ainda é reflexo de termos sido explorados, e não descobertos, como os livros oficiais dizem; e também reflexo de uma forte ditadura que em muito nos podou, e nos fez esperar do Estado um paternalismo gratuito.
    Ufa! Escrevi mais que a Tsu!!! rsrsrs

    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Voltando ao assunto e em nome de meus amigos Daniel Coxini (chefe Carajá da ilha do bananal) e Daniel Mundurukú (Mundurukú) que vem da nação Tupi que se divide em Kuráya e Mundurukú além de Arikém,Jurúna,Mondé, Ramaráma e tupari que se subdividem em outros 19 povos e antes disso vem o Tupi Guarani que se subdividem em outras 23 nações não contando os Macro-jê que ainda falam as linguas "Aikaná, Kaoaiaacre,Aricapu,Minki, Jabuti, Kanoé, Tikuna, Trumai,Awakê, Maku, Wasu". Classificação linguística baseada nos trabalho do professor Aryon Rodrigues.
    Ao todo conta-se + - 64 linguas diferentes no Brasil.

    Falando sobre extermínio:

    Nativos brasileiros, por Jean-Baptiste Debret.
    Estimativas da população indígena na época do descobrimento apontam que existiam no território Brasileiro, mais de mil povos, sendo cinco milhões de indígenas. [Hoje em dia, são 227 povos, e sua população está em torno de 400 mil]. As razões para isso são muitas, desde agressão direta de colonizadores a epidemias de doenças para as quais os índios não tinham imunidade ou cura conhecida.
    Durante o século XIX, com os avanços em epidemiologia, casos documentados começaram a aparecer, de brasileiros usando epidemias de varíola como arma biológica contra os índios. Um caso "clássico", segundo antropólogo Mércio Pereira Gomes, é o da vila de Caxias, no Sul do Maranhão, por volta de 1816. Fazendeiros, para conseguir mais terras, resolveram "presentear" os índios timbira com roupas de pessoas infectadas pela doença (que normalmente são queimadas para evitar contaminação). Os índios levaram as roupas para as aldeias e logo os fazendeiros tinham muito mais terra livre para a criação de gado. Casos similares ocorreram por toda América do Sul As "doenças do homem branco" ainda afetam tribos indígenas no Amazonas.
    COM TODO RESPEITO A TODOS OS AMIGOS:
    Só voltei ao assunto porque uma grande parte de nós "Brasileiros" pensamos que indio é tudo a mesma coisa e não é, mesmo não percebendo estamos muito mal informados sobre as terras que nossos antepassados 'tomaram' para si e fizeram esta miscelânea toda misturando povos, nações e culturas diferentes.
    Só para pensar um pouco rsrsrs pode ser que um pouquinho de seu sangue seja Bororo (aldeias circulares)e de sua esposa Karajá (aldeias lineares)povo de lingua e cultura diferentes e inimigos de sangue.
    Não é interessante?

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!