domingo, 31 de julho de 2011

Acostumar a amar

Essa é uma re-postagem de uma crônica de uns meses atrás aqui no blog, acho que vale a pena pra quem já leu relembrar essa idéia ou pra quem é novo aqui conhecer o que acho sobre um assunto que sempre falo, as covardias que fazem com animais.


Na minha cidade tem uma família de catadores de papel que são mais conhecidos que o prefeito. No começo eles eram três, o Milão mais velho, o Milão do meio e o Milão mais novo, é que a cidade toda chama eles de Milão.
A uns três anos atrás o Milão do meio morreu, só ficou o Milão mais velho que trabalha catando papelão no calçadão e no centro da cidade e o mais novo que trabalha nos bairros, o mais velho é uma comédia, conhece todo mundo mexe com todo mundo, não pode ver uma mulher bonita que faz gracinha, não pode te ver que pede um real pra tomar um guaraná, e vive dando trabalho e trabalhando nas ruas do centro da cidade.
A uns dez anos eu comecei a chamar o Milão mais novo de Quinhentinho e o pior é que esse apelido pegou, o Quinhentinho também cata papel, mas ele também faz uns rolos com baboseiras tipo presentinhos que ele compra, troca, vende e financia, quando saem esses presentinhos da coca-cola ou de qualquer outro tipo de produto ele junta as embalagens troca e depois troca de novo por outras coisas, depois vende e só faz rolo, seu nome é Jorginho, ele deve tomar banho todo dia mas não lava o pé e nem os braços que estão sempre sujinhos, ele anda com um chinelão derrapando na sujeira e no xulé e não tá nem aí, eu sempre falo pra ele lavar o pé mas não adianta...
Só que essa crônica não é sobre os Milões, eu quero mesmo é falar de três amigos inseparáveis do Quinhentinho, três vira-latas bonitões que vão onde o Quinhentinho for com a maior alegria do mundo, eles adoram aquele cheiro de xulé, adoram andar pela cidade fazendo rolos e catando papelão.
O Quinhentinho vai todos os dias na loja onde eu trabalho tomar café, os três cachorros deitam na frente da loja e ficam esperando ele sair, quando ele sai os cachorros chegam a chorar de alegria, pulam, latem e lambem seu dono porquinho!
Eu vi um monge budista falar que o espírito do cachorro pode vir a ser um espírito de gente e numa encarnação qualquer o homem também pode voltar como animal, vi um espírita falando que cachorro vir a evoluir até virar um espírito humano até pode mas o contrário não. Eu como sou cristão não posso acreditar em nada disso, porque a Bíblia não fala nada sobre reencarnação, apesar de algumas doutrinas forçarem a barra e dizerem que ela fala sim, que é só uma questão de interpretaçã, mas uma coisa eu vou falar, o amor que a Frida tem por mim e pela minha esposa e o jeito que ela nos olha quando estamos tristes ou quando estamos alegres, o jeito que os cachorros do Quinhentinho gostam dele... Puxa vida... Pode ser que eles nunca venham a ser gente porque acho que assim eles “involuiriam”, ou seja voltariam atrás no quesito amar sem se importar com as aparências...
Uma vez o padre Fabio de Melo disse que os cachorros não amam a gente e sim se acostumam com a gente. Ah se todos os homens fossem acostumados uns com os outros assim como a Frida é acostumada comigo...


24 comentários:

  1. É lindo demais observar o amor que esses bichinhos tem com os donos e conosco que os temos...
    Seus olhinhos falam, nos fazem entender e passam tudo o que sentem...

    Adoro!!! abração,chica e uma linda semana. E a tua esposa está bem? Não tem enjoos? um beijo à ela! chica

    ResponderExcluir
  2. Cachorro é cachorro e gente é gente.
    Mas, a covardia contra animais, para mim, é a mesma coisa que a covardia contra seres humanos.
    Agora, se aproximar de animais e se afastar dos seres humanos é uma fuga. De quê? Vai saber...

    Em relação ao seu último comentário no meu Blog, posso dizer que não tenho preguiça de escrever nem nunca tive, é que o meu estilo é mutável e às vezes estou mais inclinado a escrever pouco e explorar outras linguagens e tal.

    É isso!

    Abaços!

    F.

    ResponderExcluir
  3. Acabo de vir de um momento nostálgico de dentro de mim mesmo... Ainda estou me recuperando do filme (Cine Paradiso) que a pouco vi pela 3ª vez...
    Mas enfim, o amor (esse é o tema que devo dissertar por aqui)... O tempo, assim como a obra que citei, não pode perecer esse sentimento... Um cão tem mais humanidade nesse quesito, pois jamais esquece de SENTIR e lembrar do cheiro de quem ama... A Frida e seu faro são incondicionais, indeléveis em suas sensações de amores humanizados e grandiosos por ti, Andresão. Tem sorte, amigo!!!!

    ResponderExcluir
  4. Qdo se fala em natureza e principalmente nos animais eu abuso ultrajando em dizer que deus foi perfeito em td ele só errou no ser humano.
    PS: Td é questão de interpretação!
    Sempre me emociono com historias como essa por serem de amor incondiconal que desconhecemos em muitos nós, qdo se referiu ao Monge budista me lembrei na hr o qto solucei assistindo "Sempre ao seu lado". Quem é que não desejaria uma fidelidade como essa não é mesmo?
    Bj e boa semana ;)

    ResponderExcluir
  5. Oi André!

    Amido Querido!

    Me lembro dessa postagem!

    E deixo aqui meu carinho e consideração sobre as relações com animais de estimação.

    Meu beijo doce pra vc... e dias lindos e plenos!

    Com saudades e o carinho de sempre

    Sil

    ResponderExcluir
  6. O Loirinho me adora e eu adoro o Loirinho... e sei que ele é muito amigo meu!!! O Loirinho é o meu gato-cachorro!!! kkk "Gato-Cachorro" pq ele é um gato, mas se comporta muitas vezes como cachorro, hehe.

    Bonita realidade, André, apesar de meio triste por estarem nas ruas e tal. Poderiam muito bem ter um lar que pudesse acomodar os Milãos e seu cachorrinho.

    Mas é certo que a amizade deles NINGUÉM quebrará!

    ResponderExcluir
  7. André..

    Que linda esta sua cronica. Não sei não. Acho sim que não é questão do animal de acostumar com o seu dono.
    Aqui em casa somos tres. Tinhamos a Jully.
    Os tres a amávamos. Mas a quem ela mais se aproxima mais de mim.
    Ela me seguia.. Me tratava diferente do que tratava a Bruna e ao meu esposo.
    Não lembro onde eu li esta estoria: Diz que um homem rico vendo uma pessoa com fome, se aproximou e quiz ser generoso. Comprou-lhe um cachorro quente.
    Este homem, de posse do cachorro quente, pegou a salchicha e deu a seu cachorro.
    O homem rico não entendeu e perguntou ao hpomem pobre porque ele tinha dado o melhor ingrediente do seu lanche, a salsicha, para o seu cachorro.
    O certo segundo a visão do homem rico, era o homem pobre ter comido a salsicha.
    Foi qdo o homem pobre disse: Quem me protege quando estou dormindo a noite no banco da praça?
    O meu melhor pedaço é para o meu melhor amigo!
    Nunca me esqueci desta estória.
    Bj
    Uma linda semana a vc..e parabéns por esse seu dom de encantar com sua escrita!!
    PObrigada pelo carinho lá no meu cantinho!!

    ResponderExcluir
  8. todas as cidades têm seus milõezinhos. recordo-me de uma figura patusca, na minha, que também catava cartão e a quem chamavam de "ferro-velho". sujeito às traquinices da miudagem, era olhado com um misto de desprezo e benevolência pelos adultos. ao seu redor, sempre uma matilha de cães ainda mais lazarentos do que ele, acompanhavam-no para todas as aventuras sem herói.
    no dia da sua morte, fez-se notícia nos jornais locais, nos cafés e junto de todos aqueles que se habituaram a viver do outro lado do vidro com o ferro-velho. lamentaram? estou seguro de que sim, mas não tanto ao ponto de poderem ter reequacionado a indiferença com que sempre o trataram. se sentiam a falta dele? admito que sim, por compaixão humana e talvez cristã. de uma coisa estou certo: ninguém como os seus fiéis amigos sentiu tanto a sua falta.
    forte abraço, andré!

    ResponderExcluir
  9. Olá menino
    Quem não ama os animais, não é capaz de amar a ninguém.
    Voltei.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  10. André, eu discordo do ponto de vista do Padre sabe, quando ele fala que os cachorros se "acostumam" conosco.
    Já tive alguns cachorros, e em todos notei o amor que eles têm com as pessoas da casa.
    Eles dividem, umas eles amam mais que as outras e assim por diante.
    Tbm tive uma "gato cachorro" q nem o Loirinho do Marcel, mas sumiu desde o ano passado.
    Ele era um belo gato preto peludo , tinha uma coleira e agia feito cachorro, deve ter aprendido com a Fiona.
    Enfim, é muito triste ver um animal ou um ser humano sem ter onde dormir ou comer.
    A pior época é essa, onde o frio bate!

    Abraços meu querido amigo, parabéns pelo texto e Tenha uma Ótima Semana =*
    Olhe, meu texto da pesquisa foi real.
    Ta lá a fonte!
    BeijO'ss

    ResponderExcluir
  11. Olha, sou espírita e acredito em reencarnação, mas vc falou uma coisa no texto que mexeu comigo... Se esses cachorros viessem a se tornar homens com certeza não seria uma evolucao tao boa no quesito AMAR!
    Os animais amam muito mais e verdadeiramente...
    Que lindo post, adorei.
    bjos

    ResponderExcluir
  12. De fato... lindo seu texto!
    Sou da mesmíssima opinião, e quem é esse Padre pra falar que eles não amam? Amam sim e isso está estampado em seu olhar!

    Adorei a música...

    ResponderExcluir
  13. Olá André,

    às vezes não sei quem é gente, quem é animal. Talvez seja melhor ser animal, pois não têm algumas atitudes de gente.

    Abraço e uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  14. Sabe porque cachorro não é gente porque ele não precisa escolher entre o bem e o mal, simplesmente segue seus instintos dado por Deus. Os cães não vão para o inferno se matar alguem, nem são condenados, não tem discernimento.

    Nós humanos podemos escolher e não preciso dizer a um sábio como vc como está o mundo em relação ao amor fraterno e ágape.

    Abraço

    ResponderExcluir
  15. Eu sempre quis ter um cachorro, e meu pai nunca deixou .. Acho muito linda a relação entre humanos e cachorros *-*
    Ótimo texto,parabéns

    ResponderExcluir
  16. Oi Dedé, tudo bem?
    Também quero que os seres humanos se "acostumem" um com os outros, como meu gato Lito se acostumou comigo! Mas a isso eu chamo de amor! Alguém que olha profundamente para a gente, um ser peludo que sabe todos os meu segredos, e ainda assim, me conquistar, ronronar e me ajudar com seus carinhos, esse me ama!
    Assim seja com a Humanidade!
    Abraçãooo

    ResponderExcluir
  17. Tenho notado Dedé que depois da notícia da gravidez da tua esposa seus posts têm se tornado mais amorosos, romanticos, ou é impressão minha? kkk.

    Ótimo texto, não sei se o cão é o melhor amigo do homem, lógico que não (o melhor amigo do homem é Jesus), mas a relação de companheirismo e cumplicidade entre o cão e o homem é maravilhoso, é incrível essa relação de amor.
    Parabéns pela história, sempre se superando nos textos André.

    ResponderExcluir
  18. OI André,
    Acredito que os animais, principalmente os cães, formam um laço afetivo muito grande com os seus
    donos. São companheiros leais e carinhosos.
    Quanto aos mesmos serem possuidores ou não de um espírito, seria o caso de um estudo. Creio que não poderíamos desprezar nenhuma hipótese em razão de nossas crenças religiosas.
    Gostei muito do texto.
    Abração.

    ResponderExcluir
  19. Cachorro é uma coisa sensacional! É impressionante como eles conseguem, muitas vezes, ser mais racionais que os humanos...
    linda história!
    Beijão, e não eskece de curtir a pag do blog no face http://www.facebook.com/pages/-Eve-simples-assim-/229224897100440

    evesimplesassim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. André o/

    O amor de um animal nunca p]oderá ser entendido pelas pessoas que não saibam o que é amar.

    Ah cara, eu não sei o que deu em mim com esaa bobeira..bom até sei e o pior é que não deveria ficar assim mas acabei ficando! Sim, isso não combina comigo, esse momento goth depressivo (kkk). Infelizmente não sou um mangá e sim uma pessoa imperfeita que talvez por gostar da ficção, idealize e pense demais em certas coisas. Ás vezes sonho o que não tenho como obter e em vez de pensar sobre isso preciso pesar em coisasd ue realmente tem importância.
    Valeu pela força! Bjs!! E pode deixar que no próximo post voltarei com ânimo!!!

    bjs
    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Bicho, esqueci de comentar sobre a música do Cachorro Grande, uma das minhas bandas preferidas brazuca.

    E o bebê, já sabe qual o sexo dele e já escolheram o nome?

    ResponderExcluir
  22. E não sei... é interessante mesmo como esses bichinhos se comportam, mas não sou muito de "oi, meu amigo cachorro!", sabe como é?! s:
    E acho engraçado quando alguém que tem um e considera o animalzinho como filho fica falando umas duas horas dele, sem parar... Às vezes é entediante. E que eles são os amigos fieis que nunca abandonam é unanime ^^

    =D

    ResponderExcluir
  23. Noutro dia eu li uma frase que dizia "cachorro não é tudo na vida, mas completa ela". Poxa, que tremenda verdade!!!!! Eu tenho seis gurizadinhas caninas (o Urso, a Kiara, a Ana Cecília - isso mesmo, o nome da minha mana... rsss - a Loren, o Rudolf e a Ramona) e posso garantir que minha vida estaria tremendamente incompleta sem o amor incondicional que sentimos reciprocamente. Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  24. A palavra "animal" ,vem do latim "ânima" ,que significa ALMA....Então ,é bem isso,independente da explicação ou teoria ,vale o sentimento :)

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!