sábado, 12 de dezembro de 2015

Deixe seu vendedor vender, parte 3.


Amigos, esse é o último capítulo dessa saga de três postagens sobre vendas, que dei o título de: Deixe seu vendedor vender. Talvez um dia, esse assunto seja muito mais esmiuçado, e eu monte sobre ele, uma palestra ou quem sabe escreva um livro. Mas para o blog está bom. Obrigado a todos que comentaram por aqui, ou no facebook. 




Os clientes, cada vez mais “interneticados”, acham que conhecem todos os produtos e serviços do mundo, acham que sabem como tudo funciona, e acham que não necessitam de especificadores, ou de alguém que venha lhe “ensinar”, alguma coisa. Mas o cliente é o cliente, e desde que ele tenha razão, a ele seja dada essa razão. Por isso, os vendedores de hoje, estão cada vez mais pisando em ovos ao atender as pessoas, porque as pessoas, de uma maneira geral, estão cada vez mais melindrosas, e qualquer fala errada, ou mal colocada, pode ser usada contra o vendedor.
Por isso, uma empresa que fala a mesma língua, e joga como um time, todos atacando para o mesmo lado e defendendo em bloco, é muito importante.
Algumas empresas costumam pagar palestras sobre vendas e atendimento ao cliente, para seus vendedores. Isso é bom! Na verdade, é ótimo. Mas seria melhor ainda, se essa palestra se estendesse a todos os setores da empresa. Porque, uma palavra atravessada, que a menina do caixa fale para o cliente, pode acabar com uma venda em que o vendedor trabalhou dias, semanas ou até meses.
Outra coisa: é importantíssimo que os vendedores saibam tudo sobre os produtos que eles estão vendendo, mas também é importante, que os outros colaboradores e funcionários da empresa, saibam pelo menos o mínimo de cada produto. Se esses colaboradores e funcionários não souberem nada sobre esses produtos, eles não devem dar palpites na base do achômetro, pois esses palpites também destroem as vendas.
Então, resumindo as três postagem dessa série, uma empresa que quer crescer, que quer vender, e que não quer atrapalhar seu vendedor a vender, tem que fazer algumas coisas básicas:
- Manter o estoque em dia, não deixando que faltem as mercadorias, principalmente as que vendem mais.
- Não inverter os valores das informações, procurar ver, mesmo que isso custe o orgulho de alguns patrões, quem está certo nas questões que chegam até a direção.
- Treinar os colaboradores, mostrando-lhes que cada setor da empresa depende da área de vendas, para sua subsistência.
- Treinar os vendedores para que enfrentem esse novo tipo de cliente, melindrado e sabe tudo, trazendo para eles, cursos, palestras e demonstrativos sobre vendas e principalmente sobre os produtos que vendem.
- Capacitar todo o quadro de funcionários para que saibam pelo menos o mínimo possível sobre o que a empresa vende.

Obrigado, a todos que acompanharam essas três postagens. Se você for vendedor, ou algum colaborador, que viu essas situações acontecendo na empresa onde trabalham, espero que essas postagens lhe ajude em alguma situação. Quem sabe, em uma mudança para melhor!





17 comentários:

  1. Rapaz...para falar a verdade eu só vejo as coisas pelo lado do cliente.
    Na mais tenra idade, mamãe Lourdes caiu na besteira de me colocar como vendedor no mercadinho e foi a maior tragédia.
    Um dia eu quase apanhei de um senhor idoso porque perguntei com um certo ar de chiste "o que o senhor deseja" foi uma correria dos diabos o velhinho queria me matar.
    Eu fiz de conta que não entendi e perguntei pra dona Lourdes : Ué a senhora falou que devemos ser educados e perguntar aos clientes o que eles desejam. Porque será que o senhorzinho ficou bravo ?
    Quando já jovem fui trabalhar no bar Predileto aí em Barretos, e ao servir um cafézinho a um professor do PPP deixei cair um pingo de café no pires, ao tentar limpar com um guardanapo, porém antes que eu o fizesse levei um soco no rosto e ouvi as seguintes palavras (isso é para você aprender a servir as pessoas).
    O que eu fiz ? pulei o balcão, dei um pau no professor joguei o avental na cabeça do dono e fui fazer o footing na praça.
    Tenho mais alguns causos para contar, mas vou parando por aqui senão meu comentário como sempre acaba virando um texto chato e interminável.
    Só sei dizer que durante o tempo em que me meti a vendedor só me dei mal.
    No entanto como cliente também só me dou mal, compro três calças e acabo usando só uma porque depois de compra-las vejo que não gosto delas, camisas, camisetas, sapatos...tudo a mesma coisa.
    Vou na farmácia para comprar um remédio que o doutor me receitou e a "empurroterapia" acaba me fazendo voltar com várias sacolas de remédios, perfumes, desodorantes dos quais eu nunca jamais irei usar.
    Imagine-me perdido no supermercado.
    Ultimamente a Landa faz todas as compras e vou com ela a tiracolo com a listinha na mão, com medo dos vendedores.
    Me escondo sorrateiramente nas lojas, eles aparecem de repente não sei de onde. às vezes por detrás de uma coluna com aquele olhar fulminante..." O que o senhor deseja senhor ? " será que é praga do velhinho ?
    Abraço meu sobrinho...vender realmente é uma arte.

    ResponderExcluir
  2. Hahahahaha, Tiugo, seus causos são deliciosos! Pode escrever o quanto quiser e quanto mais melhor!!!

    ResponderExcluir
  3. Como já lhe disse, este é um assunto de que não entendo patavina. E olhe que já fui vendedora. No meu último emprego, era pintora de peças de cerâmica. Duas vezes por ano fazíamos feiras, na Exponor no Porto e na Fil em Lisboa. E era sempre eu que is com a patroa para a feira. Não era difícil, tínhamos as peças em mostruário na feira, era só tomar nota das referências e quantidades, nome do cliente e data de entrega.
    O meu trabalho mesmo era pintar as peças.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O importante é você aparecer por aqui Elvira! Um abraço e um ótimo domingo!!!!!

      Excluir
  4. Meu amigo André, muito boa a sua postagem, embora eu nunca tenha vendido nada em minha vida, mas como consumidora acho que ser vendedor é uma missão, lidar com pessoas, pois é, para tanto é preciso ser, além de inteligente, honesto e saber mesmo o que vende!
    Se você é vendedor, tens então aqui o meu respeito, acredito que és um ótimo vendedor, tens clareza e capacidade, tanto que deixo até os meus parabéns, trabalho bom e dará sim um ótimo livro/palestra, seja o que escolheres!
    Abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
  5. André, em determinada altura fui vendedor técnico, de serviços. A minha formação básica, é de relações públicas. Nessa base, apraz-me dizer que a boa venda é feita de dentro para fora, quer dizer que, numa empresa todos precisa de ter uma ideia do que é a venda dos produtos da empresa. No fundo, o futuro da empresa se baseia nas vendas.
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por vir Daniel, e é isso mesmo que comentou. No fundo o futuro da empresa se baseia nas vendas.

      Excluir
  6. Não tenho jeito para vender seja o que for, uma vez tentei e foi um fracasso...

    Boa semana :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahahahaha, isso é normal São!

      Excluir
  7. Não tenho qualquer relação com a actividade de vendas, no entanto achei o teu artigo muito completo e interessante. A demonstração de que todos os sectores de actividade carecem de uma especialização, com vista à prossecução dos objectivos a atingir.
    Obrigada pela visita e comentário no meu blog, André.
    xx

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Laura!! Visitarei sempre lá!

      Excluir
  8. Amigo, não conhecia o blog; mas, pelo que vi, você é um verdadeiro expert em vendas... e na difícil arte de transmitir ensinamentos. Parabéns, meu abraço! Boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Brimo! Hahahahahahaha. Apareça sempre!

      Excluir
  9. Olá André,

    Por tudo que entendo como consumidora e pela experiência que já tive de comércio, já que eu e minhas irmãos tivemos duas lojas (de moda feminina e de lingerie), cumpre-me parabenizá-los pelos acertados e sábios conselhos. O consumidor atualmente está mesmo bem informado e não admite ser enganado, enrolado ou maltratado. Qualquer deslize por parte dos funcionários da empresa comprometerá, sem dúvida, a atuação de um bom vendedor, além de colocar a reputação da empresa em risco. Isto sem mencionar os tradicionais processos por danos materiais e morais.

    Gostei muito de acompanhar o tema.

    Na oportunidade, deixo-lhe meus votos para um Natal feliz, juntamente com todos aqueles que lhe são caros. Que seja de paz e luz!
    Que 2016 lhe traga novos projetos, todos coroados de sucesso. Paz, saúde e um montão de felicidades.

    Até breve!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. Aqui está o link que você pediu. É meu, pode confiar.
    Abraços.
    Pirata

    https://mega.nz/#!Yd1mnaCB!I8e734HQLQkXmklYouhmLA7cqzORuYSu5hZIPbO4N_M

    ResponderExcluir
  11. Na maioria das empresas, as vendas ficam apenas nos ombros do vendedor. Nota-se isso em poucos segundos, logo no início da conversa. Quando falam por um guião como se tivessem engolido uma cassete, não tendo em conta que tipo de cliente têm pela frente, pelo menos no meu caso pessoal, a conversa fica logo por ali. E, mesmo que digam que têm algo para oferecer, nada feito, o assunto morre mesmo. Mas a culpa é das empresas, que preparam muito mal os seus vendedores.
    Mais um bom post sobre vendas.
    André, caro amigo, tem um bom fim de semana.
    E um FELIZ NATAL MUITO FELIZ, na companhia dos que te são mais queridos.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!