sábado, 10 de outubro de 2015

Dois meninos





Zéquinha chegou da escola correndo, jogou sua mochila na cama e apressadamente voou até o fogão. Colocou arroz, feijão, bife, ovo frito e um pouco de abóbora. Sentou-se no sofá da sala e matou seu pratão com um grande copo de laranjada, pra ajudar a empurrar tudo. Em minutos ele já tinha dado um beijo em sua mãe e estava gritando na frente do portão de Osvaldo seu amigo:
- Anda Osvaldo, "vamo" logo!
Quase que instantaneamente, Osvaldo se materializou na rua com uma bola debaixo do braço e os dois foram correndo pro campinho onde seus amigos estavam esperando pra começar a pelada.
Wilson Júnior chegou da escola, abriu a porta devagar, limpou os pés, entrou e colocou sua mochila em cima da escrivaninha do lado esquerdo, encaixadinha entre a parede e o computador.
Depois, Wilson lavou bem as mãos enquanto a empregada esquentava o marmitex no forno de microondas. Wilson mastigou a comida bem mastigadinha. Tinha arroz, lasanha, batata frita, salpicão e bife à role, tudo acompanhado com um copo de refrigerante. Ele estava meio amarelo ultimamente, e o médico da família receitou uma vitamina que devia ser tomada logo após o almoço. Wilson acabou de almoçar, escovou os dentes e foi para seu quarto ligar o computador.
Zéquinha estava empolgado, seu time estava ganhando do time da rua de baixo, e quem perdesse iria pagar tubaína e paçoquinha pro outro time.
- Toca a bola Roliço - gritou Carlinhos - toca logo!
Roliço tocou a bola pro Carlinhos, que tocou pro Zéquinha que chutou pro gooooooolllllllllllllllllllll!
- Hahahahaha - gargalhou Zéquinha - ganhamos a tubaína e paçoquinha!
Wilson Júnior conversou um pouco no facebook com alguns amigos virtuais e depois abriu uma página de jogos on line, pra jogar em rede com outros amigos que não conhecia.
Depois da partida emocionante, Zéquinha e os moleques foram roubar manga no quintal do seu Argemiro. Eles fizeram escadinha com as mãos e pularam o muro. Os meninos deram sorte porque seu Argemiro tinha saído e havia prendido os cachorros no quintal da frente de sua casa. Foi uma festa só!
Wilson Júnior era bom em matar os soldados inimigos no computador. Matou, correu, jogou bomba, dirigiu helicóptero e submarino. Ficou sentado em frente ao jogo, das quatro da tarde até as oito da noite quando sua mãe e seu pai chegaram do trabalho.
Zéquinha voltou das brincadeiras por volta das cinco horas. Comeu um pedação de bolo de fubá com leite e foi fazer a lição de casa.
As sete horas jantou, e se sentou na calçada junto com seus pais e os pais dos seus amigos num grande bate papo. As dez, morto de sono, Zéquinha tomou um copo de leite quentinho que sua mãe preparou e desmaiou até o outro dia. Sua mãe foi ao seu quarto, deu-lhe um beijo no rosto, e o cobriu com carinho. Então ele sorriu mesmo dormindo e sonhou com os anjos.
Enquanto os pais de Wilson Júnior estavam checando seus e-mails, ele ficou mais um tempo no facebook. Depois disso desceu com cuidado a escada, foi até a cozinha, tomou um copo de refrigerante, abriu um pacote de bolacha recheada, e passando pela sala, falou boa noite aos pais e foi dormir.
Os pais responderam sem levantar e nem tirar os olhos do computador. Wilson teve pesadelos... Sonhou que o exército inimigo o havia capturado e que ele estava encurralado num beco sem saída...




17 comentários:

  1. Pois é André suas entrelaçadas e belas historias podem estar acontecendo realmente por aí e leva a reflexão de
    que em qualquer das classes sociais o mais importante é o amor e o bom relacionamento entre os familiares principalmente entre os pais e filhos e a atenção que devemos dar uns aos outros.
    Se é que eu entendi bem ha ha ha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lógico que entendeu Tiugo. O senhor é o cara.

      Excluir
  2. Uma história bem real nos dias de hoje. Muitos pais vivem absorvidos pelos seus próprios problemas e deixam os filhos entregues ao pc,
    Adorei ler.
    Vou levar seu link. O mês passado desapareceram-me todos os links dos blogues cujo nome estava para lá da letra F. Tenho estado a recuperá-los aos poucos, mas ainda faltam alguns.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um abração Elvirinha, fica com Deus.

      Excluir
  3. Oi André,
    Parei um blog e nele havia muitas crônicas e como minha saúde está nos dando trabalho resolvi para o outro blog e fazer esse pequenino que não me ocupa muito tempo.
    Minha mãe era lúcida e sua casa parecia uma floricultura, ela conversava com as flores e ela mesmo respondia pelas flores. Perguntei ao médico, disse não ser nada. Ela amava as flores.
    Eu quando criança jogava pelada nos campinhos juntos com os meninos. Minha mãe achava que nunca me casaria, só que errou: casei-me duas vezes(viúva jovem e bonita nunca fica só.kkk, maldito cigarro).Hoje, procuro não recordar os belos tempos de outrora, pois mesmo não parecendo já engoli 68 velinhas e tenho medo do mal de alzheimer.
    Beijos no coração
    minicontista

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha 68 velinhas? Não parece. Obrigado pela visita.

      Excluir
    2. Oi André, hoje minha postagem é especial.
      Vai rindo viu? Tomara que você engula mais velinhas do que eu.kkkk
      Eu sigo um blog HUMOR EM TEXTO, só para rir, ele é um barato, ele não coloca foto e mexendo como sempre na internet, vi a foto dele, achava que ele tinha uns 50 anos. Mama mia deve ser mais novo que meu filhokkkk.
      Comi tanta macarronada, vou responder meus comentários e cama.
      Beijos
      minicontista

      Excluir
  4. Amigo André, lindo demais seu conto, estou chorando de emoção, por um que vive e isso me fez lembrar minha infância e a do meu único irmão, que foi linda, e pelo outro que, infelizmente não sabe o que é viver e não sabe o que é o amor!
    Amei ler e leria horas sem me cansar, tens um lindo dom de "contar", tanto que mexe com minhas lindas lembranças, e como gostaria que todas as crianças pudessem ter a vida igual a do Zequinha!
    Abraços bem apertados meu amigo, obrigada pelo carinho lá no meu espaço, amei sua visita e comentário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa Ivone. Se emocionou! Que bom.
      Obrigado pela visita.

      Excluir
  5. Ótimo final de semana!!!!!!!! Abraços

    ResponderExcluir
  6. Oi André
    Que seu filhinho cresça com muita saúde e inteligência!
    Beijo a todos
    minicontista

    ResponderExcluir
  7. Infelizmente, hoje a maioria das crianças não brinca ao ar livre, mas sim em frente do computador ou da TV. E isso não é nada saudável.
    Gostei imenso do seu texto, porque ele levanta um problema sério, já que a maioria dos pais preferem o sossego do filho ao computador...
    André, meu caro amigo, tenha um bom fim de semana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Jaime! Obrigado por vir!

      Excluir
  8. Oi André!
    Olha, fico feliz de ver como você continua com esses seus textos bacanas que nos fazem refletir e que falam muitas verdades!

    ResponderExcluir
  9. duas vidas e duas realidades (diferentes)

    gostei...

    :)

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!