quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Bulling!


Olá amigos, tudo bem?
Puxa, faz tempo que não posto nada por aqui hein!
Que férias compridas...
Hoje não aguentei, pois escrevi esse texto em um momento de descanso e resolvi matar a saudade de blogar.
Um abração a todos, e logo, logo, estarei por aqui de novo, firme e forte!






- Oi Pedro, tudo bem?
- Nada bem.
- Uai, porquê?
- Você acredita que uma menina está fazendo bulling com o Pedrinho lá na escola dele?
- Bulling? M... mas de que tipo?
- Ah... Ela chama o Pedrinho de quatro zóio, rolha de poço, troço de elefante, essas coisas.
- Coitado Pedro, só porque ele é gordinho e usa óculos...
- Só!
- E você sabe qual menina é essa?
- Sei sim, uma magrela sardenta, se chama Cláudia. Uma menina horrorosa, tão magra e alta que parece uma vara de cutucar estrela.
- Ah, você se lembra da Tânia, que a gente chamava assim quando era criança?
- Lembro, ela era irmão do boca de lata.
- Boca de lata?
- É o Carlos cabeção, que usava aparelho, e a gente chamava ele de boca de lata.
- É verdade... O Boca de lata se sentava do lado do Júlio cara amassada.
- Isso, hahahahaha, o Júlio japonês, que a gente chamava de cara amassada.
- Hahahahaha, como era bom no nosso tempo né?
- É... A gente colocava apelido em todo mundo e ninguém reclamava.
- Pelo contrário, as pessoas se esforçavam pra arrumar um apelido ou uma fofoca bem pior pra gente.
- É... Mas os tempos mudaram e essa magrela me paga! Vou lá reclamar com aquele careca do pai dela, e ela vai ver só. O Pedrinho chegou chorando hoje em casa.
- Quem é o pai dela?
- O Osvaldo careca, ele também estudou com a gente.
- Osvaldo careca?
- Na nossa época ele tinha cabelo, mas a gente chamava ele de pintor de rodapé.
- O Osvaldo anão de jardim?
- Ele mesmo! Lembra que ele chorava quando a gente falava que ele atravessava a rua correndo pra pegar impulso pra pular na guia?
- É mesmo Pedro! Hahahahahaha. Quando a gente fazia ele chorar era a nossa glória!
- Então, agora a sardenta magrela da filha dele está enchendo o saco do Pedrinho!
- Ah, Pedro, quer saber! Se eu fosse você, eu falava mesmo com ele, e se não resolver, eu falava na diretoria da escola ou dava parte na polícia!
- Isso mesmo! Acho que é isso que vou fazer!





9 comentários:

  1. E tinha o Domingo cinco 'zóio' dois de carne, dois de vidro e um fedido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahahahahaha, eu era um!

      Excluir
  2. Que bom que voltou André. Tenho saudades dos seus textos.
    Gostei de ler. Sabe no meu tempo também era assim. Nós não gostávamos dos nomes que nos chamavam e retribuíamos com os piores que nos ocorriam, mas não íamos chorar para casa, nem os nossos pais ligavam. Lembro-me de ouvir dizer ao meu pai que coisas de crianças, as crianças resolviam. E meu pai sempre nos dizia. Se houver briga defendam-se. Não quero que a primeira pancada seja vossa, mas se ela vier, não quero que se fiquem. A vida é uma sucessão de pancadas, tem que aprender a defenderem-se.
    Porém o bulling não é apenas isso. Lembro-me que meu filho foi vitima de bulling por parte de miúdos mais velhos. Batiam-lhe e roubavam-lhe o dinheiro que ele levava para o almoço. Ele nunca se queixou por medo de levar mais pancada, mas eu comecei a notar que alguém assaltava o frigorífico lá em casa. Eu e o marido estávamos a trabalhar, e ele não tinha chave. Num dia em que me senti mal no trabalho e vim para casa descobri. O Pedro, deixava a porta da sala que dava para a varanda, sem o trinco. Então na hora de almoço, vinha a casa, escala a parede até ao primeiro andar, subia para a varanda, empurrava a porta e almoçava em casa. Depois saía da mesma maneira. Calcula a minha aflição ao pensar que um dia ele podia cair e matar-se. Felizmente que o pai foi à escola, e resolveu o assunto.
    Um abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elvirinha!
      Que bom que apareceu.
      Realmente, quando o bulling é violento já virá coisa séria.
      Mas quando é chacota de criança, acho, como vc falou, que elas mesmo tem que resolver.
      Mas na verdade, o texto está falando do exemplo que esse pai dá.

      Um abraço!

      Excluir
    2. Bom dia, André! Que felicidade ver o seu retorno! Vc faz falta, hein? Vez após outra, verificava se vc havia retornado! Ficava triste quando via que não! Mas hoje, foi bem diferente! Graças a Deus! Olha, bem engraçado a historinha acima..rsss! Quando era criança, era bem magrela, e alguns colegas da escola me apelidavam ou de Olívia Palito, ou de A galinha magricela...rrrss! Sou da época do Balão Mãgico..rsss! E estava no auge aquela música: "A galinha, magricela, bota ovo sem parar...!" Nossa, como foi bom relembrar esses momentos, isso, graças ao seu póster, colega! Que o seu retorno seja potente, assim como vc é! Beijos, abraços e seja muito bem vindo, parceirinho lindo!!

      Excluir
    3. Obrigado Adeladia!!! Você sempre vem aqui e não interessada se eu vou retribuir ou não a sua visita!!

      Excluir
  3. ANDRÉ: Bom dia! Está mexendo no calendário da vida hoje? Se for real, então, coleguinha, parabéns pelo seu aniversário! Que a Mão Poderosa de Deus-Pai esteja sempre na sua vida, abençoando-lhe grandemente! Felicidades! Beijos no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahahahaha, obrigado amiga!
      Estou ficando velhinho!

      Excluir
  4. ANDRÉ: Visito seu blog, porque gosto do que vc escreve de verdade! Esse negócio de estar tão interessado em visitas, não acho dígno! Abraços.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!