sexta-feira, 4 de março de 2011

Adultinhos e crianções

Eu tenho notado que as coisas estão mudadas hoje em dia. Eu vejo umas relações de idade e comportamento meio diferentes do que eu achava ser normal.
As crianças de hoje em dia estão muuuuiiiitoooo mais espertas e as vezes chegam até a discutir com a gente sobre coisas que eu nunca imaginava que elas poderiam saber. Outro dia uma menininha de cinco anos estava falando sobre como o desenho dela estava chato em relação a novela da mãe, e que o futebol do pai era muito chato, porque na mesma hora passava "o Big Brother" e hoje era dia de votação!
Quando que eu naquela idade saberia falar ou argumentar demonstrando minha opnião sobre qualquér coisa? Nunca!
Um filho de um amigo meu, estava com uma chuteirinha no pé, e dizia que era a marca do Ronaldo e que o pai dele queria lhe dar uma outra, mas ele não quis, porque a do Ronaldo ele poderia mostrar para os amiguinhos e tirar um sarrinho! Gente... eu nem sabia o que era tirar um sarrinho, e nenhum dos meus amiguinhos sabiam também...
Hoje eles mexem em computador, em televisão, atendem telefone, fazem pesquisa na internet, eles aprendem de tudo e até mais fácil que a gente!
Minha sobrinha quando tinha seis anos e estava na escolinha, (que hoje não se chama mais parquinho e nem prézinho), já fazia pesquisa na internet. E quando ela tinha dez já andava de batom, com bota de não sei quem, e luzes no cabelo, olhos com lápis e falava em namorar, (meninos mais velhos)!!!!!!
Menininhos que jogam bola, falam em ir para a Europa, falam em Barcelona, em Real Madri, crianças que tem mais dinheiro, fazem judô, jiujitso, caratê, natação, balé, estudam musica, inglês, francês, chinês, e por aí vai...Quando que eu e meus amiguinhos de seis ou sete anos, sabíamos falar a palavra Europa???
Mas por outro lado, os jovens pais e jovens mães , que eram essas crianças chatas, adultinhas, se tornaram um adulto crianção, sem ter tido infância, eles querem ser crianças agora, brincando de Playstation, brincando de ser pai, de ser marido, achando que trair esposa e beber até cair é uma brincadeira muito legal. As mães não tem filhos e filhas, elas tem bonecas e tratam as crianças como tal, por isso as crianças serem um adulto em miniatura.
Outro dia um programa estava entrevistando um jovem empresário que estava de terno e gravata do Mickey... Os crianções estão por aí, brincando no trânsito, tirando rachas, arrumando encrenca se alguém encostar no brinquedinho deles, brincando de votar e sem assistir um horário político ou um telejornal ao menos, afinal assistir sobre política é um brinquedo muito chato!! Melhor ver o big brother ...
Tenho uma teoria: Criança adultinha sem infância, vira adulto crianção que quer viver a infância depois de velhos.
Tive a idéia de escrever esse texto no supermercado. Na minha frente um casal recém casado estava na fila do caixa, no carrinho deles só tinha danoninho, bolacha recheada, chocolate, tody, ki-sucos, refrigerantes, bolacha recheada, tody, ki-sucos, refrigerantes, refrigerantes, danoninhos, mais todys e bolachas recheadas. De repente a mãe de um deles chegou ao mercado, olhou o carrinho que estava lotado dessas coisas fez uma cara feia e falou: _ Uai gente, essa é a primeira compra de vocês depois de casados, onde está o arroz, o feijão, óleo, verduras, carne, frutas?
Então eles se entreolharam envergonhados, saíram da fila e voltaram as compras.
Tomara que eles tenham escutado a mãe, ou talvez só tenham se lembrado de que se esqueceram de pegar os baconzitos.

36 comentários:

  1. Genial e nesse texto SÓ VERDADES!!! A coisa tá assim mesmo...Pena! Pais não deixam as crianças se sujar prannão estragar o tênis de griffe, o vestido cheio de enfeites pode trancar e rasgar , na hora de ir no escorregador.E assim vai...
    Adorei ler! abraços,chica

    ResponderExcluir
  2. Poxa, muito bom texto andrée
    Esse tal cuidado dos pais, as vezes acabam sendo exageradoss por demais...

    Desculpa por não ter passado aqui alguns ddias atras, acontece que meu pc quebrou e tive que levar pra ajeitarr...
    mas to de voltaa

    Esterei sempre por aquii

    abrçoo
    http://essenciaego.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Há relacionamentos que estão tão cheios de futilidades que as pessoas não estão encontrando tempo para amadurecer.
    Vivemos na era pós modernidade onde as relações estão ficando cada vez mais passageiras, com isso também surge uma espécie de adolescência tardia que por vezes dificulta ainda mais a relações entre casais.

    O amadurecimento é um processo interno que vem com o tempo, através das experiências e predisposição para o crescimento individual. Todas essas brechas requer tempo, disciplina e força de vontade em virtude desse tão esperado e conquistado amadurecimento.

    Ótimo teu tema Andre, Abraços e Ótimo Carnaval!


    PS: Eu fico roxa sim!! huasasuhsauh

    ResponderExcluir
  4. Os tempos são outros hoje em dia. Realmente as crianças recebem um monte de informações e são forçadas a amadurecerem mais rápido. Hoje, uma criança de 10 anos tem mais informações do que um adulto de 20 anos de 25 anos atrás.

    No meu tempo de criança ainda vivenciei a inocência inerente à infância. Hoje não existe mais isto.

    Excelente texto Andre. Atualizei hoje o meu, sobre comentaristas de futebol, passa lá.

    ResponderExcluir
  5. É uma revisão de concietos..ou troca de papéis..as crianças estão mais maduras e os adultos mais infantis...talvez seja reflexo da globalização vai saber...

    André como você pode falar que acessar o blog do trampo é feio se você faz o mesmo/ Faça o que digo e não faça o que eu faço? kkkkkkk

    opa olha só eu tirei a verificação de palavras lá dos comentários! ahshahsahs eu tambem odiava aquilo =p

    e valeu pelo apoio no blog, estarei postando sempre não vou parar...arranjarei tempo parao blog sempre ^^

    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. E de fato as coisas estão tão aceleradas hj q as pessoas não vivem cada uma das fases como deveria.Uma pena!

    ResponderExcluir
  7. Broder, eu sou suspeito para falar, pois gosto de videogame e mais um trilhão de coisas que crianças gostam. Creio que a minha diferença seja o equilíbrio que trato tudo, ou ao menos tento tratar.

    Na minha época infantil, quando era para eu brincar paca, vivia lendo, rezando e estudando, creio que sou daqueles literalmente não tiveram infância e hoje aproveitam um pouco mais da vida.

    Minha filha é o exemplo típico do que o amigo fala, entra no google e busca joguinhos, tem uma personalidade forte para a idade, vivem ligada nos 220. Algumas vezes tenho que dar uma freada na mesma, para que ela se lembre que ainda é uma menininha.

    Mundo moderno, padrões distorcidos, vemos isso a todo momento. Creio que consigo ser um cara moderno e mesmo assim manter um equilíbrio, mas de vez em quando ganho da patroa um puxãozinho de orelhas também!

    Abraços renovados!

    PS.: não sei se esse comentário está duplicado, se estiver, amigo, exclua um, a Net por aqui está um pesadelo!

    ResponderExcluir
  8. Oi André! Claro que eu já ouvi falar de Death Note! Sou fã desse anime/mangá! Certamente você vai se interessar por ele também ^^.

    Olha, pra você ter uma idéia, fiz um artigo sobre ele no blog:
    http://empadinhafrita.blogspot.com/2011/02/death-note.html

    Aqui, estou disponibilizando os links para download:
    http://empadinhafrita.blogspot.com/2011/02/death-note-download.html
    (se houver algum link com erro me avise)

    E aqui segue uma lista das regras do tal "Caderno da Morte" :
    http://empadinhafrita.blogspot.com/2011/02/as-regras-do-death-note.html

    E esses dois artigos é muito interessante..quando você ver a abertura, notará várias referências bíblicas:
    http://empadinhafrita.blogspot.com/2010/08/simbologia-em-death-note.html
    e
    http://empadinhafrita.blogspot.com/2010/08/simbologia-em-death-note-ii.html

    Sou tão fã de Death Note que fiz cosplay de uma personagem da série, a Misa.

    bye o/

    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Nossa André, hj mesmo tava comentando com minha manicure sobre isso. As crianças de hj em dia parece q ja nascem sabendo das coisas. Por mais espertos e inteligentes q nós fôssemos nada se compara às criançasde hj. O que mudou na "formação" dessas crianças?
    Sinto falta da incocência, de crianças vestidas como crianças que assistiam desenhos e brincavam de casinha!

    BeijO*-*
    http://evesimplesassim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. É verdade, André, as crianças de hoje estão cada vez mais precoces, eu tiro pelo meu priminho que tem uns 3 anos, o pai dele não é daqui e eles moram em outro país, esse meu primo fala português porque a mãe é brasileira, fala chinês porque o pai dele é de Taiwan e fala inglês porque eles moram em Trinidad e Tobago e a escola ensina em inglês! Claro que é um pouco de tudo, afinal ele ainda é bem pequeno, mas de qualquer forma 3 línguas é muita coisa! rsrs
    Enfim, os papéis estão sendo trocados mesmo! Parabéns pelo texto e desculpe pelo tempo que passei sem comentar aqui, a faculdade toma o tempo todo! :D
    Bom carnaval, abraço :D

    ResponderExcluir
  11. ÓTIMO POST, ANDRÉ!!!

    Acho que está havendo mesmo uma 'adultiização' em cima das crianças sem precendentes, o que pode as tornar crianças aborrecidas, chatas e até ABUSADAS. Por culpa dos pais!!! Pais esses, muitos deles jovens, como vc disse, e que não colocam LIMITES pros seus filhos deixando eles fazerem tudo na internet, na televisao e realizando todos os seus desejos e vontades (como o caso do supermercado).

    Essa sua teoria é mais do certa: "Criança adultinha sem infância, vira adulto crianção que quer viver a infância depois de velhos."

    Assino embaixo aqui!

    PS: Estive gripado esses dias, cara, e por isso fiquei ausente... mas eu não esqueço do seu blog nao, André!!!

    ResponderExcluir
  12. Sua Crônica perfeita me mostrou que não só sou eu que estou percebendo esta total inversão de valores, que se instalou e ao que parece a cada dia se torna mais forte e abrangente. Muito boa sua crônica.

    ResponderExcluir
  13. Na verdade, eles estão invertendo o ciclo natural das coisas, dizem que quando entramos na terceira idade voltamos a ser crianças de novo. Eles nascem adultos, e quando deveriam exercer o papel, voltam a ser crianças. Quem foi mesmo que disse que o homem é um ser racional?

    ResponderExcluir
  14. Essa criançada,nasceu,já tinha tudo isso que nós tivemos que nos acostumar (e apanhamos,rs) para aprender :computador,google,redes sociais...As Empresas ,de todos os setores,lançam produtos para esse "público",e antes não era assim.Enfim,eles são reflexo do ambiente e época que vivem.São inteligentes,articulados?
    Sim.
    Mas,sabe...sinto falta daquela época,onde uma mãe sabia se fazer entender e era obedecida através de um único olhar.
    Excelente tema,excelente post ^^
    beijão :)

    ResponderExcluir
  15. Isso é bem verdade! A globalização fez do mundo algo que posso chamar de 'inovação do inovador'. Se os aparelhos eletrônicos, automóveis e a mídia avançou, as pessoas e suas relações tambem. E as crianças não escapam disso: na verdade, quanto mais jovem, maior é a influência sofrida.
    Pra escrever o atual post do meu blog, por exemplo, li sobre um assunto que tem algo aver com o que vc escreveu. No século 16, crianças, jovens e adultos eram tratados como se fossem da mesma idade. Não havia essa divisão etária que há hoje. A infância só foi "criada" no século 18, qnd as casas passaram a ser divididas em cômodos. E então, chegamos ao assunto do seu texto: as crianças de hoje.
    Abraço!

    www.ocontadordeodisseias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  16. Dsculpa a demora, mas mt obrigada pela participação no meu blog.
    Volte qnts vzs quisr, pois sua opnião eh mt important para nós.

    estou seguindo-o.

    Um beijo e boa noite.

    Danny

    http://cabecafeminina.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Andre, você tinha razão quando disse que eu iria me identificar com o conteúdo e estilo de suas crônicas. São muito pertinentes. Temática relevante. Acredito que houve um fenômeno de inversão na estrutura familiar. As crianças não se submetem mais à famosa "angústia de castração", pelo medo de perderem o lugar no desejo parental, e, consequentemente, seu precioso amor - mesmo que seja para manifestar contrariedade. Hoje, são os pais que recorrem a artifícios externos, a manuais de instruções, pois suas conjunturas simbólicas, subjetivas, não mais sustentam a Lei da educação dos filhos por si só. Os pais, inversamente, temem perderem o amor de seus filhos. Os pais não tem que ser amados, tem que amar. Esqueceram dessa metáfora fundamental. A debilidade afetiva atravessou as barreiras do suportável. As crianças, em suas aparentes demonstrações de desrespeito às ordens paternas, pedem com isso, na realidade, um freio, um cabresto, desejam que os pais sejam potentes o suficiente para barraem seus atos descontrolados. Mas eles não são. E os filhos cada vez ficam mais frustrados com tanta permissividade (perversidade). Antes tínhamos os pais oriundos de princípios sólidos dos governos do período entre guerras. Hoje temos a geração pós Woodstock, com a "libertinagem" como palavra de ordem - ou mesmo de desordem. Será que realmente as crianças estão mais espertas, ou será, sem entrar no mérito maniqueista do positivo ou negativo, que pela ausência radical de repressão, as crianças estão podendo expressar as perspicácias, sagacidades, inteligência, que antes se perdiam em algum cantinho recalcado do mundo psíquico? Um grande abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  19. Andre, você tinha razão quando disse que eu iria me identificar com o conteúdo e estilo de suas crônicas. São muito pertinentes. Temática relevante. Acredito que houve um fenômeno de inversão na estrutura familiar. As crianças não se submetem mais à famosa "angústia de castração", pelo medo de perderem o lugar no desejo parental, e, consequentemente, seu precioso amor - mesmo que seja para manifestar contrariedade. Hoje, são os pais que recorrem a artifícios externos, a manuais de instruções, pois suas conjunturas simbólicas, subjetivas, não mais sustentam a Lei da educação dos filhos por si só. Os pais, inversamente, temem perderem o amor de seus filhos. Os pais não tem que ser amados, tem que amar. Esqueceram dessa metáfora fundamental. A debilidade afetiva atravessou as barreiras do suportável. As crianças, em suas aparentes demonstrações de desrespeito às ordens paternas, pedem com isso, na realidade, um freio, um cabresto, desejam que os pais sejam potentes o suficiente para barraem seus atos descontrolados. Mas eles não são. E os filhos cada vez ficam mais frustrados com tanta permissividade (perversidade). Antes tínhamos os pais oriundos de princípios sólidos dos governos do período entre guerras. Hoje temos a geração pós Woodstock, com a "libertinagem" como palavra de ordem - ou mesmo de desordem. Será que realmente as crianças estão mais espertas, ou será, sem entrar no mérito maniqueista do positivo ou negativo, que pela ausência radical de repressão, as crianças estão podendo expressar as perspicácias, sagacidades, inteligência, que antes se perdiam em algum cantinho recalcado do mundo psíquico? Um grande abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  20. Da hora.


    visite: http://www.novaquahog.com/2011/03/como-aumentar-os-seios.html ADEUS SILICONE =/

    ResponderExcluir
  21. a tv tem pressa
    por isso as crianças são educadas assim!

    o consumo tem pressa!

    ResponderExcluir
  22. Olá, André, eu sou Brad - do blog Individualidade & Diversidade.
    Vim agradecer o comentário.
    Existe um lance de parceria no blog, o qual rende acessos para ambos. Gostaria de conversar sobre isto?
    Finalmente achei um blog descente (no caso o seu), e eu não queria deixar essa oportunidade passar.
    Troca uma idéia saudável.
    Parabéns, e aguardo respostas.

    ResponderExcluir
  23. Eu tenho um primo onde ele tem 9 anos de idade, ele demonstra ter 12, 13..

    [b]http://www.novaquahog.com/2011/03/como-aumentar-os-seios.html comente!

    ResponderExcluir
  24. Que as crianças parecem que já nascem sabendo mexer no PC isso é verdade! O pior de tudo é que o "ter" é mais importante do que o "ser"...

    E assim "engatinha" a humanidade...

    ResponderExcluir
  25. Uma crítica muito pertinente à nossa sociedade. Infelizemnte é a pura realidade. E o pior é que nenhum dos lados quer se enxergar como tal, crianças não se interessam mais por coisas de criança e adultos juram que são crescidos com esse tipo de atitude. Seu texto retrata bem o quadro de inversão de papéis - ou de idades - que vemos em muitos casos ultimamente (infelizmente).

    ResponderExcluir
  26. Gostei do texto, não me lembro de alguém ter abordado um tema similar a este.

    ResponderExcluir
  27. Fala André,
    Rapaz, realmente tens total razão. A molecada hoje em dia está mais esperta sem dúvida alguma, porém, alguns valores estão ficando para trás. É difícil identificar quais os reais motivos para esse, digamos, fenômeno.
    To aqui pensando como será daqui uns 20, 30 anos!?!?!?!?!
    As coisas estão evoluindo de uma forma assustadora nas últimas duas décadas.
    Acho que a família tem um papel muito importante e fundamental nisso.
    Amigo, muito obrigado pelas palavras lá no blog.
    Está caindo a ficha, gradualmente.....rsrrs
    Abraço e ótimo domingo.

    ResponderExcluir
  28. é, meu caro amigo, são os efeitos da globalização .!

    \tô aki retribuindo comentário, mto obrigada



    http://diariodagarotadevariasfaces.blogspot.com
    sigo quem me segue e retribuo comentários

    ResponderExcluir
  29. Bele Andre? Em relação ao texto dos comentaristas, eu poderia aprofundar mais, mas eu tenho medo de escrever textos que fiquem longos e chatos para o pessoal ler, ai eu procuro reduzir o máximo, agora depende se o texto for muito empolgante, ai eu sento a caneta.

    ResponderExcluir
  30. infelizmente as crianças de hoje estão ficando adultas mais cedo...
    no meu tempo de infância eu costumava brincar na rua com outras crianças, hoje dificilmente vejo crianças brincando na rua, no parque, o que seja. Muitos só ficam bitoladas em video-games (que estão mais violentos, assim como desenhos animados). Antigamente, meninas de 10 anos ainda brincavam de boneca. Hoje só querem usar maquiagem, andar no shopping e começar a namorar cedo. Depois engravidam muito cedo e não sabem porque...Há crianças de 11, 12 nos, que já começam a beber, fumar, usar drogas...
    A infância e juventude de hoje estão perdidas.
    E quanto a comprinha básica desse casal cheio de refrigerantes e bolachas recheadas, rsrs, talvez só isso tenha sobrado da infância, o gosto por guloseimas e coisas não saudáveis. A mãe que chamou a atenção deles, tinha razão.

    Até mais! Bjos!
    E respondendo sua pergunta sobre como tenho acesso a tantos artistas: horas e horas fuçando na net, mas tbm tenho meus segredos, hehe

    ResponderExcluir
  31. Oi Dedé, tudo bem?
    Pois é, valores trocados, sinais dos tempos. Mas também tem coisa boa por aí, sempre gosto de ver por este aspecto também. Crianças rápidas em raciocínio, mais exigentes. Isso é bom, pois obriga aos pais se atualizarem e darem o bom exemplo, o grande problema é que isso geralmente não acontece!
    Abraçãoooo amigo!
    Não te preocupa, os apelidos ficam só no condomínio da dona Xerife rsrsrsrs
    http://anaceciliaromeu.blogpspot.com

    ResponderExcluir
  32. Oi meu amigo de blogosfera !

    Bem eu tava lendo o sua cronica e tava imaginando o quanto essa inversão dos valores afeta minha vida...

    eu acho que no fundo sou uma dessas crianças adultas, mas existe uma diferença(em alguns ,não na maioria)dos que crescem sobre o efeito da responsabilidade.

    com 24 anos ja tinha minha casa propria, e carro

    Mesmo assim ainda jogava um playstation de vez em quando.Mas a maioria mesmo ta perdida e não sabe conciliar os dois mundos..

    Comprei umas açoes da vale, e marquei um treino de batalha campal....é estranho esse meu mundo...mas cheio de responsabilidade.

    enfim...é bom manter a criança interior...mas esquecer que cresceu é imperdoavél !


    passa lá que atualizei !
    abraço

    http://universovonserran.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. hj em dia parece q é assim mesmo
    as crianças querem crescer e os adultos querem ser crianças
    o importante é viver cada época da vida como se deve e nao queimar etapas q depois nao se recuperam mais

    ResponderExcluir
  34. Tudo evolui, inclusive as pessoas. É natural que as crianças nasçam cara vez mais espertas. E cá comigo, acho que nem existe essa coisa de adulto, isso é apenas um mito. Todo mundo é criança, alguns estão apenas disfarçados.

    ResponderExcluir
  35. É André!!!

    Eu sei como é difícil criar essas crianças nessa época de hoje!

    Mas ainda é possivel educar sem roubar a infância deles! Eu daqui... estou tentando! Não quero filhos "crianções" mais adiante!

    Beijos pra ti!

    Sil

    ResponderExcluir
  36. Na minha visão as crianças de hoje são estragadas pelo excesso de informação que chega a elas. Cultura é necessária, mas penso que falta limites pra muitas coisas e isso leva à uma transformação precoce onde as crianças perder boa parte da doçura infantil que deveriam ter. Sem considerar a falta de tato de muitos pais ao educar.

    Adultos abobados! É o que mais tem... uma coisa é manter alguma ingenuidade ou sensibilidade a ponto de não se tornar um adulto sisudo ou carrancudo, transbordando aquela seriedade chata; outra é ser bobão.

    Coisas da modernidade, André! Velhos somos nós!

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua visita e pelo seu comentário, volte sempre!